Executivo

Terça-Feira, 12 de Fevereiro de 2019, 10h:48 | Atualizado: 12/02/2019, 17h:34

RONDOLÂNDIA

Me perseguiam e pediam mensalinho na rua e na minha casa, diz prefeito afastado

Reprodução

Prefeito de Rondol�ndia Agnaldo Rodrigues de Carvalho (PP)

Agnaldo de Carvalho diz que vereadores inventavam acusações

O prefeito afastado de Rondolândia, Agnaldo Rodrigues de Carvalho (PP), garante que se viu obrigado a pagar propina a vereadores para não ser investigado em CPIs na Câmara. Ao , disse ter sido “perseguido” e “extorquido” pelos parlamentares. “Eu falei toda a verdade para o Ministério Público. Eu não tinha outra saída. Estava gastando dinheiro do meu próprio bolso e o pedido [de propina] era constante. Eu não tinha outra saída, realmente, naquele momento”, disse ao .

O progressista foi afastado por decisão da Justiça a pedido do Ministério Público Estadual. Na mesma decisão, foram decretadas as prisões de três, dos nove vereadores por Rondolândia. Diones Miranda Carvalho, o Diones do Rubão (PSB), Lígia Neiva (PTB) e Joaquim da Cruz, o Kinca Boiadeiro (SD) são acusados de recebimento de propina, conhecida como “mensalinho”.

 “Os vereadores iam na minha casa, me procuravam nos lugares e falavam que eu tinha que ajudar eles. Já tinham colocado várias denúncias, que eu reverti por meio de liminar. Eles inventavam coisas, tiravam do ar, não tinha nada de concreto. Tanto é que eu não fui acusado de desviar nenhum real [de dinheiro] público”, afirmou.

Agnaldo disse ter começado a colaborar com o MPE no passado. A cassação pela Câmara Municipal teria vindo logo em seguida, em agosto de 2018. Agnaldo reverteu o afastamento por meio de decisão liminar na Justiça.

“Se eu não os ajudasse, eles diziam que iriam criar a CPI para me tirar do mandato. Quando eu entreguei ao Ministério Público, eles fizeram. Usaram a lei em benefício próprio”, concluiu.

Além de afastar Agnaldo do cargo, a Justiça bloqueou R$ 100 mil das contas do prefeito. Os vereadores, além de presos, também foram afastados e tiveram o bloqueio de R$ 24 mil de suas contas.

Tanto o prefeito, quanto os parlamentares estão proibidos de acessarem às dependências do Legislativo e do Executivo, sem perda do salário, durante a fase de instrução da ação civil pública movida pelo MPE.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Carlos | Terça-Feira, 12 de Fevereiro de 2019, 20h25
    0
    0

    Será que isso só ocorreu em rondolandia!

Servidores sem pagar os empréstimos

adevair cabral curtinha 400   A Câmara de Cuiabá rejeitou o veto total do prefeito Emanuel e promulgou a Lei 6.547, que suspende por 90 dias o pagamento de parcelas de contrato de crédito consignados tanto dos servidores públicos ativos e inativos da prefeitura quanto da própria Câmara Municipal. A...

Eleição ao Senado junto com municipal

carlos favaro 400 curtinha   A eleição suplementar para uma vaga ao Senado deve ocorrer em MT junto com o pleito municipal, em 15 de novembro. A definição oficial partirá do TSE até o final deste mês. Em princípio, a suplementar estava marcada para abril, mas, por causa da pandemia, foi...

Wellington tem 47 lotados no Senado

wellington 400 curtinha   Com dois meses e meio na cadeira de senador, Carlos Fávaro tem hoje 18 assessores lotados no gabinete, muito aquém do quadro dos colegas Jayme Campos e Wellington Fagundes. O chefe de gabinete de Fávaro é o advogado Irajá Rezende de Lacerda, filho do primeiro-suplente Zé Lacerda....

Cáceres, lockdown e frases de alerta

francis maris 400 curtinha   Em Cáceres, o prefeito Francis Maris (foto) decretou lockdown desde a última segunda, dia 29, como forma de forçar os moradores a permanecer em casa para conter o avanço da Covid-19. Mas as medidas restritivas não estão surtindo tanto efeito na prática. Muitos continuam...

4 prefeitos de MT com coronavírus

luiz binotti 400 curtinha   Pelo menos quatro prefeitos em Mato Grosso já foram diagnosticados com Covid-19. O caso mais recente envolve Luiz Binotti (foto), de Lucas do Rio Verde. Ele aguarda resultado de exames, mas já se encontra em isolamento domiciliar. Com sintomas do novo coronavírus, Binotti decidiu ficar em casa. De um...

Forçando cuiabanos a ficar em casa

emanuel pinheiro 400 curtinha   Acuado por causa do avanço dos casos de Covid-19, o que tem provocado colapso na rede pública de saúde, principalmente em Cuiabá, o prefeito Emanuel Pinheiro (foto) decidiu adotar medidas mais restritivas para conter circulação e aglomerações de pessoas,...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.