Executivo

Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019, 12h:14 | Atualizado: 13/11/2019, 12h:29

Reforma da Previdência

Conselho pede vista e analisa proposta; Previdência complementar pode ser criada

Todos os membros do Conselho do MT Prev, sob justificativa de que precisam estudar melhor a proposta da Reforma da Previdência de Mato Grosso, pediram vistas do projeto apresentado pelo Executivo, que segue as mesmas normas aprovadas pelo Congresso Nacional na reforma feita pelo Governo Federal. Eles terão cinco dias úteis para analisar, sendo que, no decorrer deste prazo, haverão várias reuniões com técnicos do governo. O Palácio Paiaguas se diz aberto ao diálogo, mas tem pressa porque há expectativa de que o rombo previdenciário seja de R$ 31,1 bilhões até 2029.

O apurou que, nos bastidores, uma das preocupações dos membros é com o teto pago aos pensionistas. Ciente da situação, o Executivo planeja encaminhar, junto com a reforma estadual, uma previdência complementar. Ela poderá ou não ser aderida pelos servidores dos Poderes Judiciário, Executivo e Legislativo, além de órgãos do Tribunal de Contas e Ministério Público.

Christiano Antonucci

Mauro previd�ncia

Governador Mauro Mendes conduz reunião e apresenta dados sobre o rombo da previdência. Desembargador Perri e José Antônio 

Na reunião do conselho, que durou três horas nesta quarta (13), o presidente do MT Prev Elliton Souza expôs que mais de 50% dos aposentados têm entre 40 a 55 anos, enquanto somente 7,28% têm mais de 65 anos. Segundo levantamento do governo a reforma vai gerar uma economia de até R$ 6,1 bilhões até 2029. Mesmo com o projeto, a previdência ainda vai fechar as contas no vermelho no final dos próximos dez anos.

Estamos dispostos a construir a melhor situação para o Estado de Mato Grosso e sociedade

Mauro Carvalho

O secretário-chefe da Casa Civil Mauro Carvalho reconhece que as medidas não vão zerar o rombo da Previdência. “Ele vai ser mitigado”, disse a jornalistas depois da reunião com os membros do MT Prev. E acrescenta: “logicamente, que existe um início de recuperação de receita, mas depois o deficit continua e muito menor que a situação que estamos hoje”.

Cita que, atualmente, o Estado tira R$ 115 milhões de outras fontes para pagar os aposentados. “Esse ano vai faltar 1,3 bilhão. O que significa isso para a sociedade? Significa menos investimento na saúde, infraestrutura, segurança, educação. Todo mundo tá pagando essa conta”, ressalta.

Mauro avalia que, para continuar a previdência da forma que está, só aumentando impostos. “A sociedade está disposta a dobrar o valor da energia elétrica? A sociedade está disposta a criar um novo Fethab? Ninguém está disposto a isso. Nessa reforma, que está sendo proposta hoje, não interfere na vida do cidadão”.

Após o prazo para análise e discussões, os membros do conselho do MT Prev voltarão a se reunir e discutir o projeto da reforma da previdência estadual. “Estamos dispostos a construir a melhor situação para o Estado de Mato Grosso e sociedade. Tudo aquilo que vier, como sugestão, para melhorar ainda mais esse projeto do Governo Federal, estamos aberto a discussão”, disse Mauro. Em seguida, a discussão ocorrerá na Assembleia Legislativa.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Alberto | Quinta-Feira, 14 de Novembro de 2019, 07h47
    1
    0

    E quais são os servidores que se aposentam cedo no Estado? Só pode ser policial militar, que ironicamente estão fora da reforma da União. Então, vão continuar se aposentando cedo e encarecendo a conta, ou seja, será uma reforma podre.

  • Robertinho Kanashiro | Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019, 23h10
    0
    0

    Na moral!!! Nesse país, quem trabalha honestamente só tnc!!! Q país é esse???

Prejuízos para Acorizal de R$ 753 mil

clodoaldo monteiro 400 curtinha acorizal   O conselheiro interino Moisés Maciel concedeu medida cautelar proposta pela secretaria de Controle Externo de Contratações Públicas do TCE, suspendendo de imediato um termo de parceria, em vigor desde 2017, entre a prefeitura de Acorizal e a Oscip Iso Brasil. Foi descoberto...

"Eu não devo um centavo para Júlio"

sergio rezende 680   O empresário e ex-vereador de Chapada dos Guimarães, Sergio Rezende (foto), que foi "enquadrado" pelo cacique político do DEM, Júlio Campos, reagiu, mas sem as críticas duas de antes contra o ex-governador. Irritado pelos ataques feitos por Rezende em um grupo de WhatsApp, Julio gravou um...

Ex-vereador do DEM recua da disputa

ivan evangelista 400 curtinha   O pecuarista e ex-vereador Ivan Evangelista (foto) vai mesmo jogar a tolha. Apontado como uma das apostas do DEM na briga por vaga no Legislativo cuiabano, Ivan não se empolgou, notou dificuldades para se obter êxito nas urnas e vai comunicar a direção do partido de sua desistência da...

Gestão Tatá sob várias irregularidades

tata amaral 400 curtinha   A gestão Tatá Amaral (foto), em Poconé, está sendo marcada por uma série de irregularidades. Uma denúncia feita junto ao TCE pelo auditor público interno municipal, Ademar Vivan Júnior, foi confirmada. Descobriu-se, por exemplo, contratação...

Ucamb é multada por irregularidades

edio 400 curtinha   Numa sessão realizada por videoconferência, o TCE puniu o líder comunitário Édio Martins de Souza (foto) por irregularidades num convênio de 2009 com o Estado. Na época, Édio presidia a União Cuiabana de Associações de Moradores de Bairro (Ucamb)....

PSD reforça nome de Flávio em VG

selleman mathias 400 curtinha psd vg   Chamou a atenção a presença do presidente do diretório do PSD, em Várzea Grande, Selleman Mathias (foto), no lançamento da candidatura do empresário Flávio Vargas (PSB) à sucessão da prefeita Lucimar Campos, nesta quarta. Ao que tudo...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT estuda retomada das atividades escolares presenciais possivelmente em agosto ou setembro. O que você acha?

Estou de acordo

Não - aulas não podem voltar por agora

tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.