Executivo

Quinta-Feira, 21 de Maio de 2020, 12h:34 | Atualizado: 21/05/2020, 12h:46

Coronavírus

Em reunião, Bolsonaro é cobrado sobre ajuda e rapidez sobre acordo da lei Kandir

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi cobrado quanto ao pagamento da compensação prevista na Lei Kandir em reunião na manhã desta quinta (21) com governadores, entre eles o de Mato Grosso Mauro Mendes (DEM), para debater o pacote de ajuda aos Estados e municípios que pode ser publicado amanhã (22). O tom da reunião foi amigável e de harmonia em meio ao avanço desenfreado da pandemia do coronavírus, que já matou quase 19 mil pessoas no país.

O acordo foi homologado pelo Supremo ontem (20) e, quando entrar em vigor, Mato Grosso terá direito a R$ 6,5 bilhões. Apesar disso, para se tornar realidade, ainda depende de um longo caminho de debates e votações, por exemplo, no Congresso.

Além dos chefes dos Executivos estaduais, participaram da reunião ministros e os líderes da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM), e do Senado, Davi Alcolumbre (MDB).

Na oportunidade, outro pedido dos governadores foi quanto à manutenção da previsão de congelamento dos salários dos servidores públicos por dois anos - mesmo desejo de Bolsonaro. Trata-se de um dos itens mais polêmicos do pacote de ajuda aos Estados e municípios, que foi aprovado pelo Congresso e aguarda sanção do presidente.

Se mantida a proposta aprovada, Mato Grosso pode receber a maior parcela entre os estados do Centro-Oeste. Ao todo, o valor é de R$ 1,3 bilhão ao Estado e R$ 1,1 bilhão aos municípios, em 4 parcelas. O auxílio emergencial deve ser utilizado em ações de combate à pandemia da Covid-19.

Reprodução

Presidente Jair Bolsonaro durante reuni�o com governadores, Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre e ministros para tratar do pacote de aux�lio aos Estados e munic�pios

Presidente Bolsonaro em reunião com governadores, Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre e ministros para tratar do pacote de auxílio aos Estados e municípios

O governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, representando os governadores das regiões Norte e Centro-Oeste, pediu ao presidente que sancione o Projeto de Lei Complementar 39/2020 e cobrou ainda urgência no repasse da compensação pela Lei Kandir.

“Quando ao congelamento dos salários, é algo que os Estados precisam nesse momento, até mesmo antes da crise já estávamos com altos gastos com pessoal e não é possível bancar os aumentos nessa situação”, disse.

Bolsonaro não confirmou que atenderia aos pedidos mas disse que “a questão será analisada com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e também fui informado sobre a definição do STF quando à Lei Kandir. Depois de 20 anos de espera, agora saiu”.

União entre os Poderes

A reunião teve um tom de apaziguamento para a crise política entre Bolsonaro e Congresso. Em seu discurso, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, falou de “união entre os Poderes para enfrentar a crise”.

De acordo com o senador, “cada um sabe o tamanho da sua responsabilidade” e ainda defendeu o projeto de ajuda aos estados e municípios, aprovado pelo Congresso. "É uma conciliação com um novo olhar. Quem diria que um litígio judicial, questionado no STF, por conta da pandemia para suspender suas dívidas com a União seria abrangido pelo projeto?”. Destacou ainda que foi possível uma saúde jurídica segura que suspendeu R$ 49 bilhões em de dívidas até dezembro de 2020.

Já Rodrigo Maia apesar de reforçar a importância de unir esforços, aproveitou para trazer o tema das reformas administrativa e tributária, prometidas por Bolsonaro, mas que não foram tocadas.

“Se antes da pandemia pensava-se em uma reforma administrativa considerando 70% do PIB na relação da dívida, agora isso passa para 100%. Também terão mudanças quando à reforma tributária porque antes só eram considerados bens e consumo, agora é preciso dar maior ênfase na renda e em outros impostos que precisam ter sua estrutura modernizada”.

Para Maia, o fim da pandemia vai trazer também a necessidade do país aderir a marcos regulatórios no âmbito internacional. “A credibilidade do Brasil é fundamental para atrair investimentos e vamos ter que pensar em problemas antigos, como o caso do saneamento básico”.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Presidente da Ucmmat quer reeleição

edcley lopes ucmmat 400   Reeleito para o sexto mandato e com a maior votação em Vila Bela da Santíssima Trindade, o vereador Edcley Lopes Coelho (foto), que obteve 391 votos pelo Solidariedade, luta agora por outro desafio. Quer se reeleger presidente da Ucmmat, entidade que congrega as câmaras municipais com seus 1.404...

Elisângela conduz Secom da Câmara

elisangela tenorio 400 curtinha   A jornalista Elisângela Tenório (foto) está de volta ao comando da Comunicação Social da Câmara de Cuiabá. Ela ocupou o mesmo cargo na gestão Justino Malheiros, mas, na época, não teve à disposição estrutura para desevolver uma...

Logística em MT pra distribuir vacinas

mauro mendes 400 curtinha   O governo estadual já providenciou toda logística para levar as vacinas anti-Covid-19 aos municípios. O governador Mauro Mendes (foto) destaca que, em princípio, adquiriu 3,5 milhões de seringas. Os lotes de vacinas chegam a MT até a próxima quarta. Seguindo o Plano...

Emanuel no PTB e reeleição do filho

emanuelzinho 400   O PTB está sendo preparado para receber a filiação do prefeito Emanuel Pinheiro, que iniciou o segundo mandato em Cuiabá. Sem ambiente para seguir no MDB, onde passou a enfrentar resistência de toda a bancada do partido na Câmara Federal e na Assembleia, Emanuel recebeu convite de...

Ex-deputado "detona" Aliança por MT

victorio galli 400 curtinha   As deputadas federais Carla Zambelli e Bia Kicis, que estão na linha de frente pela criação do Aliança pelo Brasil, partido idealizado por Bolsonaro e ainda na fase de coleta de assinaturas para ser formalizado, foram informadas de que o ex-deputado federal Victório Galli...

Saúde em MT sob iminente colapso

Os números da pandemia da Covid-19 em MT são alarmantes. Entre sexta e este sábado foram registrados 1.050 novos casos de pessoas infectadas com o vírus e mais 21 mortes. Desde o início da pandemia, quase 5 mil mato-grossenses já morreram da doença. Em Cuiabá, o índice de ocupação de UTIs chega a 69%, superando o pior período da pandemia, registrado em agosto do ano passado. Em outras regiões do Estado, a...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT optou pela implantação do BRT em Cuiabá-VG em detrimento do VLT. O que você acha disso?

Estou de acordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.