Executivo

Quinta-Feira, 09 de Janeiro de 2014, 13h:11 | Atualizado: 09/01/2014, 14h:23

DÍVIDA

Governo quita dívida de R$ 5,8 bi contraída na gestão Jayme Campos

(valerya@rdnews.com.br)

Rodinei Crescêncio

silval-divida.jpg

 Governador Silval já comemora pagamento da dívida bilionária com União

O governo do Estado pagou, em dezembro, a última parcela de uma dívida de R$ 5,8 bilhões, contraída há 20 anos, na gestão do ex-governador, hoje senador, Jayme Campos (DEM) (1991/1995). Por ano, o governo desembolsava R$ 150 milhões para quitar o empréstimo. Esse era um dos grandes débitos do Estado.

Com isso, o governo deve R$ 6 bilhões até o fim de 2014, contando os empréstimos de R$ 4 bilhões contraídos pelo governador Silval Barbosa (PMDB), em virtude da Copa do Mundo e do programa MT Integrado. “São recursos que agora poderão ser investidos em saúde, educação, segurança e infraestrutura para a população mato-grossense”, ressalta Silval sobre os R$ 150 milhões que sobrarão em caixa por ano.

O montante de R$ 5,8 bilhões é referente à Lei Federal nº 8727/1993. A dívida começou a ser negociada com a União no primeiro semestre de 1991, pelo Programa de Saneamento Financeiro e de Ajuste Fiscal proposto pelo governo federal para rolagem dos débitos contraídos pelos Estados. O valor total do contrato foi de CR$ 143.989.667.828,75.

Os acordos foram interrompidos após o assunto ser submetido ao Congresso Nacional para aprovação da Emenda Constitucional (Emendão) que forneceria respaldo legal com os entes federativos.

Em 1993, foi editada a Lei 8727, que financiou pelo prazo de 20 anos, prorrogável por mais 10 anos se houvesse resíduo devedor, calculado pela Tabela Price e respeitando o limite máximo de comprometimento da Receita Líquida Real (RLR), mantidos os encargos originais de todas as dívidas dos estados e municípios junto à União e às entidades por ela controlada.

 

Isso é conversa de pessimista, rebate Silval sobre dívidas

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Paulo Maria Ferreira Leite | Quinta-Feira, 09 de Janeiro de 2014, 19h39
    0
    4

    Vamos colocar as coisas nos devidos lugares. Não foram dívidas contraídas pelo Governo Jaime Campos, mas sim renegociadas em sua gestão, eram compromissos pendentes vindos de outros governos. Jaime, na época, negociou com o ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso, uma composição para que o montante geral fosse dividido em 20 anos, o que aliviou o caixa do Estado.

  • Adriano | Quinta-Feira, 09 de Janeiro de 2014, 15h32
    4
    1

    São repassados mais de trezentos milhões por ano para a Asembléia. Oque é feito com esse dinheiro? Se diminuíssem esse repasse em 200 milhões por ano em dez anos teríamos 2 bilhões em economia e os deputados ainda poderiam nadar de braçada com os 100 milhões que sobraria para eles. Porque ninguém toca nesse assunto?

Acerto pra Pivetta se filiar ao Podemos

alvaro dias curtinha   Mais uma demonstração de que o senador Álvaro Dias (foto), líder do Podemos no Congresso, está ignorando a pré-candidatura ao Senado do seu próprio colega de partido, deputado José Medeiros. Álvaro já acertou com Pivetta apoio na disputa à...

Critério para definir candidatura em VG

fabio tardin 400 curtinha   O presidente da Câmara de Várzea Grande e filiado ao DEM, Fabinho Tardin (foto), sonha com a cadeira de prefeito, mas não tem apoio dos Campos para concorrer à sucessão municipal. Como Lucimar Campos não pode buscar o terceiro mandato seguidamente, o grupo liderado pelo senador...

Prefeito de Lacerda, projeto e derrota

alcino curtinha 400 pontes e lacerda   O prefeito de Pontes e Lacerda, Alcino Pereira Barcelos (foto), resolveu dar de ombro para a Câmara Municipal sobre um projeto de grande alcance social e perdeu feio na queda-de-braço. Contrariando a vontade do prefeito, os vereadores aprovaram a proposta, apresentada pelos colegas Pedro Vieira e...

MPE antes e depois de Maluf no TCE

jose antonio borges 400 curtinha   Antes, membros do MPE fizeram esforço para impedir a nomeação de Guilherme Maluf como conselheiro do TCE, sob argumento de que não detinha notório saber jurídico, contábil, econômico e financeiro e ainda carrega vários processos judiciais nos ombros....

Fatura por média e multa à Energisa

thiago 400 ager curtinha   Após fiscalização no 2º semestre do ano passado, a Ager-MT multou em R$ 14,4 milhões a Energisa. Descobriu-se irregularidades na área comercial da concessionária de energia. Thiago Bernardes (foto), coordenador Regulador de Energia da Agência, explica que, no trabalho...

PS-VG e revolta por falta de médicos

marcondes curtinha 400   Principal calcanhar de Aquiles do 2º maior município do Estado, que registra hoje cerca de 200 mil habitantes, o Pronto Socorro de Várzea Grande não está recebendo pacientes ortopédicos e nem ginecológicos em sua porta de entrada. É que a unidade não tem...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Sobre a senadora Selma Arruda, que teve mandato cassado por caixa 2 e abuso de poder econômico, você acha que ela foi...

ingênua

corrupta

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.