Executivo

Sexta-Feira, 09 de Abril de 2010, 09h:25 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:25

POLÍCIA FEDERAL

Henry, Abicalil e Silval são citados em gravação da PF

Deputados federais Pedro Henry (PP) e Carlos Abicalil (PT) e governador Silval Barbosa (PMDB)    A Polícia Federal teria interceptado ligações telefônicas que ligariam o deputado federal Pedro Henry (PP) e o governador de Mato Grosso Silval Barbosa (PMDB) ao empreiteiro preso na última quarta (7) durante a Operação Hygeia, Valdebran Padilha, que ficou conhecido em todo o país como “aloprado” no caso da compra de um dossiê contra tucanos nas eleições de 2006. Henry teria dado aval para liberação de recursos públicos de interesse de Padilha, conforme aponta uma escuta telefônica feita pela PF em fevereiro de 2009. Ainda segundo a mesma gravação, Silval, que na época era vice-governador, teria sido um dos avalistas. Os dois negam a ligação com Padilha, conforme revela o jornal Folha de São Paulo desta sexta (9).

    As investigações também apontariam o deputado federal Carlos Abicalil como avalista de Padilha. O diálogo que compromete Silval e Henry foi citado na decisão do juiz federal Julier Sebastião da Silva, que determinou a prisão de 35 pessoas acusadas participar de um esquema que desviava recursos da Funasa. Eles foram presos em Mato Grosso, Rondônia, Goiás e Distrito Federal e são acusados de causar um rombo de pelo menos R$ 51 milhões ao erário. Segundo a PF, o prejuízo pode chegar a R$ 200 milhões. Todos devem ser indiciados por formação de quadrilha, estelionato, fraude em licitações, apropriação indébita, lavagem de dinheiro, peculato, corrupção ativa e passiva, prevaricação, dentre outros.

   Por enquanto, todos continuam presos, mas os advogados de defesa já recorreram ao TRF para reverter a prisão preventiva. Entre as pessoas acusadas de participar do esquema estão o ex-prefeito de Santo Antônio do Leverger Faustino Dias Neto (DEM), Valdebran, o coordenador da Funasa Marco Antônio Stangherlim, o secretário-geral e o tesoureiro do PMDB Rafael Bastos e Carlos Miranda, respectivamente, e o sobrinho do deputado federal Carlos Bezerra (PMDB), Jose Luís Bezerra.

-----------------------------------------------
O diálogo que compromete Silval e Henry foi
citado na decisão do juiz federal Julier
---------------------------------------------

   Segundo as investigações, uma das empreiteiras de Padilha atuava em Cáceres, curral eleitoral de Henry. Numa das ligações ele aparece conversando com Carlos Miranda e relata que negociava um empréstimo com uma pessoa de pré-nome Marilena, mas que ela exigia “garantia de pagamento, ou seja, o compromisso de que Silval liberaria dinheiro para obra ou projeto do interesse do aloprado”, relata a reportagem. Carlos afirmou então que a “operação” estava garantida.

   "Silval ligou pro Yuri, ligou pro Pedro Henry e falou: ó Marilena, se você quiser fazer essa operação (de empréstimo), pra esse pessoal, você pode fazer porque eu já chequei, está assinado, está tudo averiguado. Esse recurso já era pra ter até saído". Os recursos liberados seriam destinados à realização de bailes de carnaval. Na época Yuri era secretário estadual de Turismo. Hoje ele é um dos diretores da Agecopa.
Outro lado

   Procurado pelo RDNews Silval negou qualquer ligação com Padilha. Assegura que não conhece o empreiteiro e que nunca conversou com ele. “Não conheço Valdebran Padilha. Nunca avalizei nenhuma liberação de recursos para ele”, declarou Silval. O governador disse também que este tipo de ligação do escândalo da Funasa com o seu nome deve ser uma articulação do “comitê da maldade”, numa referência a um grupo de tucanos que ficaram conhecidos por articular a veiculação de panfletos apócrifos nas eleições. Silval é pré-candidato à reeleição e é adversário do ex-prefeito de Cuiabá Wilson Santos (PSDB).

--------------------------
Silval garante que nunca
conversou com Valdebran Padilha

-------------------------

   Henry também assegurou que não tem ligações com Padilha. Ele aproveitou ainda para dizer que a obra, feita pela empreiteira em Cáceres (MT), foi tocada com emenda do deputado Carlos Abicalil (PT-MT). O petista trocou ligações com envolvidos no caso do dossiê, mas nega relação com o caso. Nesta quinta (8) ele disse que propôs emenda genérica para obras com recursos no Ministério das Cidades, mas quem definiu o projeto e a empreiteira foi a Prefeitura de Cáceres. Roger Fernandes, advogado de Valdebran, disse que o inquérito é confuso porque misturou três linhas de investigações diferentes e, por isso, não há como comentar a ligação entre Valdebran e Miranda.

Postar um novo comentário

Comentários (54)

  • Maria das Dores | Sexta-Feira, 13 de Maio de 2011, 12h45
    0
    0

    Até quando o povo será obrigado a presenciar estes escândalos??? E o pior é que sabemos que tudo acaba em pizza, ou seja ninguém é punido!!! E aí grupo de PMDB não vão parar de se envolverem em escândalos???? O prefeito aqui do município tbem é do PMDB, nunca vimos uma gestão bagunçada como esta e com tantas falcatruas. TCE acorde!!!!!!!!!!!

  • Jedae | Quinta-Feira, 15 de Abril de 2010, 16h41
    0
    0

    Jedae, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • OSMAR CUIABA | Segunda-Feira, 12 de Abril de 2010, 09h59
    0
    0

    Parabens rdnews, pela coragem de divulgar essa materia sobre envolvimento de autoridades de MT, nesse escandalo. Onde está a imprensa escrita e a TV?

  • mara | Domingo, 11 de Abril de 2010, 15h36
    0
    0

    parabens ao silval em colocar animo a policia tava e esta precisando disso, agora tem esse probleminha né silval....é por isso que o dinheiro publico não chega no destino final...

  • marta | Domingo, 11 de Abril de 2010, 15h33
    0
    0

    tudo malandragem, se foram citados é claro que tem coelho nessa moita, e esses 3 não iam confirmar nada...

  • mauro da silva | Sábado, 10 de Abril de 2010, 08h58
    0
    0

    Henry, Abicalil e Silval são citados em gravação da PF; esse é brasillllllllll^???

  • mauro da silva | Sábado, 10 de Abril de 2010, 05h11
    0
    0

    mauro da silva, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • CESAR | Sexta-Feira, 09 de Abril de 2010, 18h03
    0
    0

    e pelo jeito vai dar WSxMM

  • marcio | Sexta-Feira, 09 de Abril de 2010, 17h40
    0
    0

    O pedro henry aparece em todas as listas! vamos ver a convocação do dunga, aposto que o nome dele vai estar lá!

  • Ricardo | Sexta-Feira, 09 de Abril de 2010, 17h28
    0
    0

    Pedrinho.....de novo???

Briga eleitoral de parentes em General

renato vilela 400 general carneiro   A briga política, jurídica e eleitoral na pequena General Carneiro, de 14 mil habitantes, está acirrada e envolve, em palanques diferentes, grupos com vínculos familiares. São dois na disputa pela prefeitura. A ex-prefeita Magali Vilela desistiu de tentar de novo o teste das...

Ataques a EP e o revide dos amigos

fabinho 400 curtinha   O empresário Fábio Martins Defanti, o Fabinho Promoções (foto), que em 2016 disputou para vereador e perdeu, está sendo bombardeado de críticas em grupos de WhatsApp, inclusive pelos próprios amigos, por causa de comentários, gravados em dois vídeos, com um...

Luizão e 10 promessas em cartório

luizao 400   O empresário Luizão (foto), candidato a prefeito de Rondonópolis pelo Republicanos, registrou em cartório 10 comprimissos de gestão, garantindo, em caso de eleito, executá-los logo no primeiro mês de mandato. O primeiro deles é de zerar a fila de consultas, exames e cirurgias. E...

Ex-secretários de França sem mácula

roberto franca 400 curtinha   A assessoria jurídica da coligação de Roberto França (foto), que concorre à Prefeitura de Cuiabá pelo Patriota, classifica de mentirosa e irresponsável a notícia de que ex-secretários de França, da época em que comandou a Capital, de 1997 a...

Líderes de Lucas e apoios ao Senado

otaviano pivetta curtinha 400   As principais lideranças políticas da "República" de Lucas do Rio Verde estão divididas nos apoios sobre candidaturas ao Senado. O vice-governador Otaviano Pivetta (foto), recém-desfiliado do PDT, faz campanha pela coronel Rúbia Fernanda (Patriota), propagada como a candidata...

Reeleição difícil em Barra do Bugres

raimundo nonato 400   Aos 81 anos, o piauiense de Campo Maior, Raimundo Nonato (foto), busca renovar o mandato de prefeito de Barra do Bugres pelo DEM. Embora considerado carismático e populista, pioneiro no município e ajudado pela força da máquina pública, Nonato, que já foi prefeito nos anos 82 e 90,...