Executivo

Segunda-Feira, 14 de Fevereiro de 2011, 11h:23 | Atualizado: 14/02/2011, 12h:35

Saúde Pública

Henry se assustou e deu essas declarações, explica Romoaldo

Romoaldo Junior   As declarações do secretário de Estado de Saúde Pedro Henry (PP) esquentaram os ânimos na Assembleia, tanto que os membros da Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentário (CFAEO), antes mesmo de definir seus cargos no grupo, convocaram o gestor para prestar esclarecimentos sobre as acusações de superfaturamento nos contratos da pasta.

   Com a tarefa de baixar a temperatura da discussão, o líder do Governo na Casa, deputado Romoaldo Junior (PMDB), acredita que Henry foi motivado pelo susto. “Ele esperava ter os recursos para fazer o Hospital Metropolitano, construir hospitais regionais e quando se deparou com o volume de contratos da secretaria, se assustou e deu essas declarações”, explicou em entrevista à rádio CBN, nesta segunda (14).

   De acordo com ele, a SES tem uma série de contratos para manter seus escritórios nos pólos regionais que geram gastos da ordem de R$ 100 milhões ao ano para a pasta. “Acho que o secretário tá mais assutado com o volume de contratos, justamente devido aos valores”, ressaltou. O deputado ainda destaca que o Legislativo não vai se abster da discussão e deve apurar as denúncias.

   “Se houver algum fundo de verdade nisso, vamos descobrir”, afirmou. Equanto espera as explicações de Henry aos parlamentares, o peemedebista prefere não fazer qualquer avaliação sobre o caso. “Primeiro temos que saber o que ocorreu. A gente está supondo, mas não tivemos acesso a nenhuma informação ainda. Não podemos trabalhar com suposições, temos que ter algo concreto, mas assim que tivermos, vamos tomar as devidas providências”, ponderou.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Gean Carlo | Segunda-Feira, 14 de Fevereiro de 2011, 15h50
    0
    0

    Ué mas precisa este sr. Pedro Henry falar, aqui em MT não tem Tribunal de Contas???? Ou é tudo maravilha, hã ta lá é composto só de ex-políticos, sim, haja técnica apurada, será que é preciso alertar algum Conselho ou precisamos que o TCU possa fazer as análises "isentos".

  • marcelo | Segunda-Feira, 14 de Fevereiro de 2011, 15h26
    0
    0

    o Henry junto com o irmão contratou a Creatio para ser a empresa do terceiro setor em Cáceres. Agora na secretaria diz que é preciso parceria com o terceiro setor para tocar a saúde em MT, já, já veremos essa história no Hospital de Cuia bá e Varzea Grande, adaministrados por parceiros!!!!!!!

  • martins | Segunda-Feira, 14 de Fevereiro de 2011, 13h43
    0
    0

    Sabe o que aconteceu o pedro pensou que estava dando entrevista na sua tv descalvados de caceres no AQUI E AGORA que ele pode tudo inclusive criticar até DEUS que não acontece nada e fazer o que mais gosta falar mal principalmente da herança maldita dos governos dos outros, só esqueceu de combinar com o Blairo e o Silval pelos problemas anteriores agora vai ter de mostrar os contratos não para os deputados que são capachos mas para os procuradores vai ter que mostrar serviço Dr. Henry.

  • Cuibano | Segunda-Feira, 14 de Fevereiro de 2011, 12h56
    0
    0

    Quem fala demais da bom dia a cavalo, agora que quero ver ele explicar de onde tirou suas concluçoes, falar e berrar e facil provar que e dificil, chupa essa manga \Henry

  • pirota de c.. limpo | Segunda-Feira, 14 de Fevereiro de 2011, 12h48
    0
    0

    Quer Dizer Que o nobre Secretario supoz que seus antecessores são ladrões ? Todos os funcionarios da SES foram coniventes ? O Governador BM , sabia e pactuava com isso ? Ou ele é um BUFÃO ? PREVARICAR não dá cadeia ?

Pode abandona Raye e pune Saggin

sandro saggin curtinha 400   Sandro Saggin (foto) amargou outra derrota em Barra do Garças. Inicialmente, seria candidato a prefeito pelo Podemos. Mas resolveu, por conta própria, levar o partido para uma coligação com partidos de esquerda que lançaram o ex-prefeito Paulo Raye, apoiado pelo PC do B, PT e Pros. A...

Ex-vereador recua para apoiar primo

divino 400 barra do bugres   Ex-vereador, ex-presidente da Câmara e empresário bem sucedido, Chico Guarnieri (PTB) não será candidato a prefeito de Barra do Bugres nas eleições deste ano. Guarnieri, que disputou a prefeitura em 2016, até ensaiou, mas recuou ao ver que o primo, pedetista Doutor Divino...

3 ex-prefeitos viram cabos eleitorais

percival muniz 400 curtinha   Dois candidatos de oposição em Rondonópolis têm ex-prefeitos como principais cabos eleitorais. O empresário Luiz Fernando, o Luizão (Republicanos), conta com apoio de Adilton Sachetti, que já comandou o município e perdeu na tentativa de reeleição, e...

3 candidatos competitivos em Sinop

roberto dorner 400   Apesar da "inflação" de candidatos a prefeito de Sinop, com cinco no páreo, a disputa tende a se acirrar mesmo entre o empresário Roberto Dorner (foto), do Republicanos e apoiado pela prefeita Rosana Martinelli (PL), o ex-prefeito e deputado Juarez Costa, que atraiu 10 partidos para o palanque, e o...

Ex-prefeito no páreo em Alta Floresta

robson silva 400 curtinha   Alta Floresta, uma das cidades pólos do Nortão, tem sete candidatos a prefeito. Um deles é Robson Silva (foto), empresário, ex-prefeito entre 93 e 96 e que concorre pelo MDB, mesmo partido do prefeito Asiel Bezerra, que está encerrando o segundo mandato e se tornou um dos principais...

Vice sinopense quer retornar à Câmara

gilson de oliveira 400 curtinha   O vice-prefeito de Sinop e apresentador de TV, Gilson de Oliveira (foto), resolveu concorrer a vereador, cadeira já ocupada por ele por dois mandatos, o primeiro pelo PSDB, entre 2005 e 2008, e, depois, pelo PSD (2009/2012). Foi candidato a deputado estadual duas vezes (2006 e 2010) e, como suplente da...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.