Executivo

Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019, 17h:04 | Atualizado: 18/11/2019, 17h:11

ENCONTRO NA AMM

Líderes municipalistas dizem que extinção de municípios é uma proposta desastrosa

Assessoria

Neurilan Fraga AMM

Neurilan Fraga, presidente da AMM, durante discurso feito  na abertura do Encontro Municipalista, na manhã de hoje

A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que prevê a extinção de 1.252 municípios brasileiros com até cinco mil habitantes, sendo 34 de Mato Grosso, foi um dos principais assuntos debatidos   na abertura do Encontro Municipalista, promovido pela AMM realizada nesta segunda (18). A  proposta  foi apresentada  pelo Governo Federal ao Congresso Nacional no início de novembro e desde então, tem mobilizado lideranças de todo o país que contestam a viabilidade da proposta.

O presidente da AMM, Neurilan Fraga (PSD), disse que a medida está sendo proposta de cima para baixo e que não foi submetida a uma ampla discussão com a sociedade. Além disso, Neurilan questiona alguns critérios adotados para a extinção dos municípios, como a arrecadação de impostos  inferior a 10% do total de receitas.

“Municípios pequenos contam  com pouca arrecadação de IPTU, ITBI e ISS, que foram incluídos na PEC pelo governo. Não foram considerados o ICMS e o FPM, que também compõem o orçamento das prefeituras e são as principais fontes de receitas de muitos municípios brasileiros”, assinalou.

Neurilan disse, ainda, que dos 34 municípios de Mato Grosso que se enquadram na proposta do Governo, todos estão com folha de pagamento em dia, embora tenham que complementar financeiramente vários serviços, por conta do subfinanciamento de programas federais. “Não concordamos e não vamos aceitar. Vamos pedir que a bancada federal levante essa bandeira e apoie a manutenção da autonomia desses municípios”.  

O presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Glademir Aroldi, também contestou a PEC do Governo Federal. Pontuou que a arrecadação dos entes federados em 2018 representou R$ 2,3 trilhões e que deste montante, apenas 0,7% se referem à arrecadação dos 1.252 municípios ameaçados de extinção.

 “Não é com essa medida que o Governo Federal vai resolver o problema do país. Não podemos admitir que mais de 1,2 mil municípios sejam extintos. A unificação de planos de carreira e do  sistema de previdência, por exemplo, será impraticável”, afirmou.

Aroldi lembrou que o repasse de recursos do Governo Federal é insuficiente para atender várias demandas, como na área da saúde. Ele citou como exemplo o programa Estratégia Saúde da Família, que  tem um custo mensal de cerca de R$ 50 mil, no entanto, as prefeituras recebem apenas cerca de R$ 10 mil para prestar o serviço.

Parlamentares federais e estaduais também contestaram a viabilidade da proposta. O senador Wellington Fagundes (PL)  disse que o desenvolvimento ocorre no município e que cada ente da federação administra aquilo que é arrecadado na esfera municipal. “Não acredito que essa proposta vai passar nem na Comissão de Constituição e Justiça do Senado”.

A deputada federal Rosa Neide (PT) disse que a sociedade tem que ser ouvida sobre a proposta e defendeu que é no território municipal que as políticas públicas acontecem. “Não daremos nenhum voto contra os municípios” (Com Assessoria).

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Gladston | Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019, 08h39
    0
    0

    Neurilam e demais, A TETA ACABOU!!!!!

  • Renato Rosa Fortes | Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019, 21h22
    2
    0

    "Empresa" que não dá lucro, tem que fechar. Políticos que gostam dos cabos eleitorais...

  • Ricardo | Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019, 19h03
    5
    0

    Desastre é ficar com município sem renda dependendo de repasses para sobreviver Riva na cadeia já

  • Antonio | Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019, 18h46
    4
    0

    Tem muitos prefeitos e vereadores mamando ....o povo quer acabar é com isso .....será que ninguém percebe!!!

Matéria(s) relacionada(s):

Denúncia, psiquiatria e agora atestado

elizabeth 400 curtinha   Lotada como técnico-administrativo do RH do Hospital Metropolitano da Capital, Elizabete Maria de Almeida (foto), recorreu a um psiquiatra uma semana depois de registrar um BO e, sem apresentar provas, acusar o prefeito Emanuel de negociata, inclusive com dinheiro vivo para vereadores, com vistas a...

Título de Cidadã para senadora goiana

janaina riva 400 curtinha   A Assembleia fará sessão solene nestes últimos dias de 2019 para prestar homenagem a várias personalidades de diferentes segmentos e profissões. Uma das que serão condecoradas com o Título de Cidadã Mato-Grossense é a goiana Kátia Regina de Abreu,...

Francis sem os vereadores do partido

cesare 400 curtinha vereador caceres   A administração Francis Maris em Cáceres se tornou tão emblemática que perdeu apoio dos dois únicos vereadores do seu partido, o PSDB, na Câmara Municipal. Os tucanos Valdeniria Dutra e Claudio Henrique integram hoje o bloco de oposição ao prefeito,...

Gilberto prestigia sobrinho na Câmara

marcelo oliveira 400 curtinha   Depois de 11 meses sem pisar os pés na Câmara Municipal de Cuiabá, o vereador licenciado Gilberto Figueiredo, secretário estadual de Saúde e um dos pré-candidatos a prefeito do grupo do governador Mauro, apareceu neste sábado na sede do Legislativo, no ato que marcou a...

Suplente que terá 2 anos de mandato

adilton da levante 400 curtinha   Derrotado à reeleição em 2016, Adilson da Levante (foto) reassumiu cadeira de vereador pela Capital desde janeiro deste ano e deve prosseguir no cargo até o final do mandato, em dezembro de 2020. É que o titular Gilberto Figueiredo, que se elegeu pelo PSB e vai migrar para o DEM,...

PSDB veta Taques e vai priorizar Leitão

paulo borges 400 curtinha   O comando regional do PSDB não vai dar chance para Pedro Taques, caso este ensaie concorrer ao Senado com a provável suplementar, já no início de 2020 com a iminente cassação do mandato de Selma. Embora tenha dito que hoje se dedica à advocacia e à vida de professor...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.