Executivo

Segunda-Feira, 21 de Fevereiro de 2011, 07h:24 | Atualizado: 21/02/2011, 07h:49

Saneamento

Para Lúdio, Sanecap não dá conta de suas obrigações e quer coleta

Lúdio Cabral   O vereador Lúdio Cabral (PT) afirmou ser contra a possibilidade da Sanecap ficar responsável pela coleta de lixo da Capital. "A Sanecap precisa primeiro dar conta da tarefa que tem hoje", disparou. A medida é prevista pela Lei Nacional do Saneamento, que determina que o tratamento de água, a coleta de esgoto e lixo e a administração do aterro sanitário sejam responsabilidade de uma única entidade. Mesmo com a Câmara já tendo aprovado o projeto de lei que adequava a legislação municipal à nacional, as mudanças ainda não saíram do papel. Isso porque os quatro serviços básicos continuam sendo divididos entre a Sanecap e a secretaria de Infraestrutura.

   Enquanto a companhia cuida da água do esgoto e do aterro, a Seminfe é responsável pela contratação da empresa que faz a coleta de lixo. Para Lúdio, apesar de necessária, a medida ainda não é possível. "Sei que o lixo faz parte da questão do saneamento, mas hoje a Sanecap não tem condições de cuidar sequer do aterro", ressaltou. A preocupação do parlamentar tem fundamento, visto que o aterro sanitário da Capital está prestes a atingir sua capacidade máxima e a empresa ainda não tem previsão de quando adotará uma solução definitiva para o problema.

   O local atende aos mais de 530 mil habitantes de Cuiabá, que produzem uma média de 500 toneladas de lixo por dia. A alternativa que vem sendo estudada é a abertura de mais uma célula emergencial ao lado do espaço utilizado hoje. Esta será a segunda "improvisação" da Sanecap, já que a primeira célula foi implantada em meados de 2010 e está prestes a se esgotar.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • camila | Quarta-Feira, 23 de Fevereiro de 2011, 09h24
    0
    0

    Alô vereador Ludio,porque o sr. não cumpre a sua função basica de fiscalizar o executivo,começando por verificar se o convenio entre Prefeitura municipal e Sanecap está sendo devidamente cumprido,com os repasses de custos do aterro,sendo efetuados pela PMC? Tirar dinheiro do sistema de agua e esgoto,para financiar RS,é um crime contra a população e uma medida dedesmonte da sanecap, para justificar a privatização. será que o vereador do pt ja entrou no bando que esta na partilha da venda da sanecap? Já não basta agazeta e a tvca macomunados com acamara ou casa de horrores e o prefeito,para fazer a negociata?

  • camila | Quarta-Feira, 23 de Fevereiro de 2011, 09h24
    0
    0

    Alô vereador Ludio,porque o sr. não cumpre a sua função basica de fiscalizar o executivo,começando por verificar se o convenio entre Prefeitura municipal e Sanecap está sendo devidamente cumprido,com os repasses de custos do aterro,sendo efetuados pela PMC? Tirar dinheiro do sistema de agua e esgoto,para financiar RS,é um crime contra a população e uma medida dedesmonte da sanecap, para justificar a privatização. será que o vereador do pt ja entrou no bando que esta na partilha da venda da sanecap? Já não basta agazeta e a tvca macomunados com acamara ou casa de horrores e o prefeito,para fazer a negociata?

  • Hilda suzana veiga settineri | Quarta-Feira, 23 de Fevereiro de 2011, 05h30
    0
    0

    BELO, BELO, AINDA DESCUIDADO COM A MINHA BELA CIDADE Alguns meses decorrem do passamento do ex-prefeito que disse que não renunciaria e desdisse abandonando o Município em uma crise inimaginável. Desde então, Belo, assumiste o palácio e em vez de limpar a casa, preferiu dividi-la com os antigos ocupantes e com todos aqueles que pudessem lhe servir, justificando o injustificável, nesse estranho jogo de faz-de-conta. Mas, belo, minha cidade tem problemas com o asfalto que se escoa diluído pelo tempo, pelo e pela forças das águas e tu me vens com o tal do IPTU carregado talvez, nos caminhões responsáveis pela coleta dos resíduos urbanos, com valores que como bom ilusionista conseguistes encantar tão dóceis e amáveis edis a sua causa, como se o valor venal atribuído aos imóveis para a imposição do ônus fiscal fosse real. Dificilmente alguém consegue comercializar o seu imóvel pelo valor atribuído, então me pergunto Belo, de onde saíram esses valores? Acredita que essa valoração se deve as benfeitorias que implantou recentemente? Não se pode tributar o futuro. Se o imóvel será valorizado com as intervenções de mobilidade urbana com vistas a Copa de 2014, é preciso esperar que aconteçam primeiro. A rigor até o momento o que se tem é expectativa. Nada de concreto tem acontecido, exceto, essa conta enorme. Sem falar no serviço deficitário da coleta do lixo urbano. Belo, ontem fiquei indignado. Ao lado do ponto de ônibus, estavam amontoados sacos e sacos de lixo, enquanto trabalhadores aguardavam pacientemente o ônibus que os levaria ao local de serviço. É Belo, não tem como explicar a ineficiência dessa máquina desajustada que segue rumo ao desconhecido, espero, tome jeito e com rompantes de Janio Quadros, entoe o “varre, varre vassourinha” nos corredores do Palácio, talvez ai, comece a funcionar essa estranha engrenagem. Belo, não adianta culpar o “de cujus” se fica agarrado ao seu espólio, depois, já foram tantas lágrimas desde seu passamento que, deve estar ciente quanto ao cheiro putrefado que contamina a bela cidade talvez tenha essa origem. Belo, se não tens competência de ser eficaz na gestão da minha bela cidade, faz um favor a todos nós, renuncie e, se possível, vai fazer algo bem longe para que a distância nos faça amenizar a revolta e guardá-lo no baú do esquecimento, pelo menos sem mágoas e com alguma dignidade.

  • Marcos Lapenda | Segunda-Feira, 21 de Fevereiro de 2011, 10h05
    0
    0

    O crônico problema de coleta e disposição final do lixo não só em Cuiabá como em geral em todo o Brasil merece análise profunda sobre a gestão pública nesse país. Alijando o pessimismo sobre as propaladas reformas política e tributária, vislumbra-se uma esperança de que o comportamento sócio-político da população brasileira entre em consonância com as necessidades prementes de uma sociedade que se quer organizada. No caso precípuo, Cuiabá sofre, assim como em todo o Brasil, da doênça que a atividade política impregna a todos que postulam essa atividade.O poder é a pedra angular dos que pretendem elevar seus egos e suprir suas necessidades de consumo explendoroso. O pessimismo toma conta daqueles que acreditam que a história é retorcida, principalmente quando da tal proclamação da república que ninguém do povo viu, a não ser um cavalo baio do Exército Brasileiro e um velho marechal febril. Mas a república no papel saiu, assim como o Rei saiu.Pra Paris.A convite das oligarquias gaúchas, paulistas, mineiras e pernambucanas.Todas elas saboreando leite, café e açúcar adicionados a churrascos dos caudilhescos dos pampas. E Cuiabá?Ah Cuiabá!Tu é porção magnífica desse país e não precisava ser, diríamos redescoberta pelas patas que pisotearam os pampas e nem ter as práticas políticas e administrativas do povo do café com leite e açúcar quie remontam a monarquia. Verdade!A política nunca será moderna, vanguardista ou revolucionária.Será sempre histórica e hereditária.Estará sempre no casulo-valhacouto dos que herdaram práticas dos seus antepassados. O lixo de Cuiabá está ou deveria estar na retina de todos os cuiabanos.O lixo como regra geral é sucedâneo da herança que se postou na cidade quando do advento da política miúda e da corrupção desenfreada. Ou alguém duvida que o lixo é a matriz que norteia o saneamento, saúde, educação e outros departamentos administrativos?Alguém dúvida que a corrupção nasce no lixo?Cidades que possuem uma boa política para o lixo têm uma menor incidência de corrupção. Até quando Cuiabá?Até quando...

  • Juliana | Segunda-Feira, 21 de Fevereiro de 2011, 09h30
    0
    0

    Concordo com o posicionamento do vereador Lúdio: como médico sanitarista ele sabe a importância do cumprimento dos objetivos básicos da Sanecap de fornecimento/distribuição de água e coleta/tratamento de esgoto; e como vereador ele sabe que o básico não está sendo feito adequadamente. Delegar mais uma função para a Sanecap é apaziguar um problema que deve ser resolvido por técnicos e não por politicagem. O mínimo que a população espera é que os políticos do executivo e os envolvidos tenham a decência de formar uma equipe de profissionais (repito: técnicos/peritos, não politiqueiros) para o planejamento de uma solução.

  • LUIZ ANTONIO FRANKE SETTINERI - SAROBA | Segunda-Feira, 21 de Fevereiro de 2011, 09h10
    0
    0

    ESTE FILME EU JÁ VI! Em diversas empresas públicas esta prática do PSDB e seus aliados foi comum. Há um sucateamento, param os investimentos, cortam as contratações até a empresa estar tão debilitada que a própria população fica propensa à privatização. É um crime. O que está se tratando é da saúde de nosso povo. Não posso condicionar ao LUCRO o bem estar do povo cuiabano. Houve grandes investimentos inclusive do governo federal para esta mesma empresa e, sob deliberada ação, estes investimentos não causaram o efeito mínimo desejado. Fora a água jorrando de diversos pontos da cidade sem a mínima manutenção. A água é um bem que todos comentam que num futuro próximo irá ser fruto de muitas disputas e é uma vergonha o povo cuiabano ver mais esta empresa passar para as mãos do capital privado - dizem até que tem empresário com esperiência colhida em outros estados de olho no filão de ouro.

Um novo embate entre Diane x Adair

diane alves 400 curtinha   Adair José Alves Moreira, que vinha atuando na assessoria do vice-governador Otaviano Pivetta, decidiu mesmo concorrer de novo à Prefeitura de Alto Paraguai. Ele já foi prefeito por duas vezes. Adair será o principal nome da oposição à prefeita democrata Diane Alves (foto),...

Taques ofuscado e sob mira do MPE

pedro taques 400 curtinha   Pedro Taques (foto) achou que o recall dos tempos de senador e governador, ajudando-o a se posicionar de forma razoável nas pesquisas, bem antes do início da campanha, o manteria como favorito na corrida ao Senado. Ledo engano. Não levou em consideração o alto índice de...

2 caciques não disputam Alto Garças

roland trentini 400 curtinha   Após décadas de rixas, de campanhas ostentadoras, rachas e brigas eleitorais intermináveis em Alto Garças, os ex-prefeitos Rolando Trentini (foto) e Júnior Pitucha resolveram não mais concorrer ao Executivo. Mas, um deles segue se movimentando nos bastidores. Pela...

Um ex-prefeito inelegível em Poconé

clovis martins 400   Dificilmente o ex-prefeito petebista Clovis Damião Martins (foto) terá registro de candidatura a prefeito de Poconé deferido pela Justiça Eleitoral. O promotor de Justiça, Mário Anthero, já pediu impugnação do registro do petebista por inelegibilidades. Clovis, que...

Briga em Sinop entre Juarez e Dorner

juarez costa 400 curtinha   Em Sinop, a briga eleitoral caminha para tensão e acirramento entre o emedebista Juarez Costa (foto) e Roberto Dorner (Republicanos). Hoje, o ex-prefeito seria eleito, mas Dorner vem crescendo nas adesões, com ajuda do vice de sua chapa, ex-vereador Dalton Martini (Patriota). O apoio da prefeita Rosana...

França elegível; CNJ desatualizado

roberto franca 400 curtinha   O advogado Rodrigo Cirineu, que assumiu a assessoria jurídica da campanha a prefeito de Cuiabá de Roberto França (foto), assegura que o ex-prefeito está elegível. Explica que o cadastro de inelegibilidades do Conselho Nacional de Justiça, constantando ainda o nome de...