Executivo

Sábado, 15 de Junho de 2019, 08h:33 | Atualizado: 15/06/2019, 17h:31

lei de carreira

Por reajuste de 5,5%, servidores da Sema indicam greve; impacto será de R$ 3,5 mi

Arquivo

Sema

Fachada da sede da Sema, no Centro Político Administrativo; servidores querem reajuste

Os servidores da secretaria de Meio Ambiente (Sema) estão em indicativo de greve. A negociação com o Poder Executivo é para que seja cumprida a lei de carreira sancionada pelo ex-governador Pedro Taques (PSDB), que estabelece o reajuste salarial em 5,5% neste mês e 6,4%, no ano que vem. A categoria, que é representada pelo Sintema, possui 430 servidores. Caso o governo conceda o reajuste o impacto neste ano será de R$ 3,5 milhões.

Na quinta (13), representante dos servidores já se reuniram com o secretário de Planejamento e Gestão, Basílio Bezerra. Uma segunda reunião deve ser agendada para a semana que se aproxima com o secretário da Casa Civil Mauro Carvalho. A categoria também quer se reunir com o presidente da Assembleia Eduardo Botelho e o líder do Governo, Dilmar Dal Bosco, ambos do DEM.

“Estamos construindo alternativas. A greve é o último recurso para a exigência do direito. O governo se mostrou aberto ao diálogo. Como a implementação deveria ser feita este mês, ainda está dentro do prazo”, explica o presidente do Sintema, Germano Gomes Passos Júnior.

Com a expectativa de que a reivindicação seja resolvida por meio das reuniões com os interlocutores do Governo, a categoria não definiu quando realizará nova assembleia. Caso entre em greve, será a segunda carreira a paralisar atividades no serviço público para cobrar cumprimento de lei de carreira.

 Os servidores da Educação foram os primeiros a entrar em greve, em 27 de maio, para pedir o reajuste de 6,7%, conforme previsto na Lei Complementar nº 510/2013. Por outro lado, o Governo já demonstrou que o Estado não tem condições financeiras para garantir o pagamento do reajuste aos servidores, já que o impacto na folha seria de aproximadamente R$ 200 milhões, só neste ano.

Ontem, os servidores da Sema também aderiram ao movimento de paralisação nacional contra a reforma da Previdência, que tramita no Congresso. A greve geral também foi realizada em defesa da educação pública, contra o contingenciamento de verbas promovido pelo Ministério da Educação e na pauta interna do Sintema, o dia está sendo de debates e reivindicação para o cumprimento da lei de carreira.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • renato | Domingo, 16 de Junho de 2019, 16h58
    6
    1

    Realmente, observando o RGF do 2º quadrimestre de 2017, podemos observar que o governo de MT à época, ja havia extrapolado o limite prudencial da LRF, ou seja, antes de sancionar a lei da SEMA, o que ocorreu somente em setembro/2017. Podemos observar e constatar então, que o reajuste de 5,5%, afrontou diretamente o inciso I, do parágrafo único do artigo 22 da LRF. E no Projeto de Lei aprovado consta impacto financeiro para 2019 em torno de R$5milhões.

  • tiago | Sábado, 15 de Junho de 2019, 13h16
    8
    3

    Professores de MT em greve, fiquem atentos, se o governo atual vai implantar os reajustes neste mês de junho/2019, aos servidores da SEMA, no patamar de 5,5%, o que daria um impacto a mais na folha de pagamento no valor de R$4.975.072,73 (Quatro milhões, novecentos e setenta e cinco mil, setenta e dois reais e setenta e três centavos),conforme consta na mensagem nº 55/2017 no sítio da ALMT. Bem como do fiscais do grupo ocupacional TAF da SEFAZ, cujo impacto financeiro está na casa dos R$24.000.000,00 (vinte e quatro milhões), para o ano de 2019, a partir de julho/2019, caso o governo implante na folha, tudo isso esta no sítio da ALMT, para fins de comprovação e transparência quanto a informação. Todos sabem que essas 02 (duas) leis foram aprovadas e sancionadas pelo governador, quando o Estado de MT já tinha superado os limites prudenciais da LRF, no segundo quadrimestre de 2018, e para comprovar basta consultar o RGF-Relatório de Gestão Fiscal do quadrimestre da época, porém o TCE e o MPE até o momento não agiram quanto a essa irregularidade.

  • sandra | Sábado, 15 de Junho de 2019, 13h13
    9
    4

    Essa lei da SEMA, foi aprovada irregularmente, uma vez que os limites prudenciais na época, já haviam sido ultrapassados, ou seja, o governo Taques sancionou essa lei indevidamente, uma vez que nos termos da LRF não poderia ter dado o reajuste de 5,5%. E o atual também não pode, já que estaria dando aval a uma ilegalidade e além disso, teria que pagar sim o reajuste da dobra dos professores e também a RGA a todos os servidores de MT. Estamos de olho!!!!!!!

Matéria(s) relacionada(s):

Governo quita toda a folha de junho

O governo estadual concluiu nesta sexta (19) o pagamento de junho dos servidores ativos, inativos e aposentados que ganham acima de R$ 7,5 mil. Para essa quitação foram necessários R$ 61,8 milhões. Com isso, liquidou totalmente a folha de junho dos cerca de 100 mil funcionários públicos, que consomem R$ 472,7 milhões. No dia 10 deste mês, o governo pagou a primeira parcela dos salários de junho, depositando até R$ 5,5...

Emedebista pode ser candidato único

leonardo bortolin curtinha   Eleito na suplementar realizada em 2017, Leonardo Bortolin (foto), de Primavera do Leste, é considerado hoje o prefeito emedebista em MT mais bem avaliado. Na convenção do partido nesta quinta no município, lideranças, como o deputado federal Carlos Bezerra e os estaduais Thiago Silva,...

2 "amarelam" e faltam de propósito

nininho curtinhas   Dois deputados não pisaram os pés na sessão desta quinta propositalmente. "Amarelaram". Ao invés de tomarem posição quanto ao projeto de lei complementar do governo que reinstitui os incentivos fiscais, Nininho (foto) e o delegado Claudinei preferiram não comparecer. Assim como os...

Adevair vai para PTB e quer ser vice

adevair cabral curtinha   O PTB, que hoje não tem um representante entre os 25 vereadores cuiabanos, vai abrigar dois parlamentares, o presidente da Câmara Municipal Misael Galvão, hoje no PSB, e o primeiro-secretário da Mesa, o tucano Adevair Cabral (foto). O curioso é que ambos chegam na legenda petebista...

7 contra reinstituição dos incentivos

valdir barranco curtinha   Como já esperado pelo governador Mauro, apesar da pressão de diversos segmentos, como do comércio, do agronegócio e da indústria, o projeto de lei complementar número 53, que trata da reinstituição dos incentivos fiscais, passou facilmente pelo crivo da Assembleia....

Irmão de ex-senador já sai do governo

wener santos curtinha   Durou apenas seis meses a permanência do ex-prefeito de Nova Marilândia (2013/2016), Wener dos Santos (foto), como secretário-adjunto de Cidades do Estado. Irmão do ex-senador Cidinho Santos, Wener foi exonerado no último dia 2. Pediu para deixar o governo Mauro. O salário não...

ENQUETE

Profissionais da Educação estão em greve há mais de um mês. O que você acha disso?

estão corretos. Devem continuar

discordo. Deveriam voltar às aulas

pra mim, não faz diferença

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.