EXPEDIÇÃO 300

Sexta-Feira, 12 de Julho de 2019, 09h:20 | Atualizado: 13/07/2019, 12h:56

Benzedeira e raizeira carrega os saberes seculares das mulheres da terra - fotos

José Medeiros

Dona Fia, al�m de benzer, faz muitos ch�s medicinais e raizadas que melhora a sa�de dos que confiam no poder das suas m�os e natureza

Dona Fia, além de benzer, faz muitos chás medicinais, boas ações e raizadas que melhoram a saúde dos que confiam no poder dos seus saberes ancestrais

Dona Fia, também conhecida como Fiinha, que mora na região da Comunidade São Gonçalo Beira Rio, caminha pelas árvores olhando para terra e se encosta a cada tronco e galha seca, dando pausas, pouco a pouco, como quem encontra uma preciosidade a cada metro quadrado. Não demora e arregala o olho, amassa com a unha as folhas, cheira o miolo e apresenta para quem lhe acompanha na trajetória que faz pelo pomar que ela mesma plantou. Quem acompanha sua história sabe bem da sua fama de que “tudo que planta, dá”, ou como diria a termologia popular, tem o dedo verde.

José Medeiros

Entre os arbutos, �rvores centen�rias e horta que Dona Fia gosta de ficar mexendo o dia todo, ela apresenta um pouco da natureza e conta receitas de rem�dios

Entre árvores centenárias e horta, que Dona Fia gosta de ficar mexendo o dia todo, ela apresenta um pouco do seu quintal e explica receitas de remédios 

Elza Juliana do Amaral, aos 81 anos, é conhecedora da medicina natural. A idade lhe deixa cada vez mais serena, como uma guardiã livre e instintiva de seus saberes, é uma caridosa benzedeira. Para alguns, uma médica da floresta, que desafia até os estudiosos diplomados e convencidos só pela ciência. O que Dona Fia sabe é ancestral.  Herdou da mãe, que herdou de outras.

José Medeiros

Uma lontra brilhante da expedi��o de Jos� Medeiros que se mistura a natureza bruta e conhece seus encantos

Uma lontra brilhante da expedição de José Medeiros que se mistura à beleza do rio e natureza bruta, ela faz parte da grandeza, pois conhece seus encantos

É que a calmaria da senhorinha - mais uma entre tantas Lontras Brilhantes do projeto Expedição 300 - O rio das lontras brilhantes: da nascente à foz, fotografado por José Medeiros - é de se prestar atenção. Hora, por sua coragem em usar uma cobra para benzer os que lhe pedem proteção, outra pela bondade em medicar com o que a terra lhe oferta meio a tanta diversidade.

José Medeiros

Quintal da benzedeira � repleto de plantas nativas e tamb�m as medicinais que ela plantou

Quintal da benzedeira é repleto de plantas e as margens do rio. Além do cuidado com os seus, ela acolhe a comunidade e faz o bem sem cobrar nada por isso

Não cobra pelo que faz, nem pela raizada, xarope ou rezas de proteção. Acredita que tudo que nasceu da terra foi dado por Deus, assim, de graça. Bem como o poder que carrega em sua fé e transmite pelas mãos. “Eu tenho muita fé em Deus, Nossa Senhora e São Benedito”, endossa.

José Medeiros

Carinho de Elza pela natureza � n�tido, al�m de ter passado a inf�ncia no local, ela tamb�m ensina filhas e netas o amor pela sabedoria ancestral

Carinho de Elza pela natureza é nítido, além de ter passado a infância no local, ela também ensina filhas e netas o amor pelo ancestral que lhe foi ensinada 

Elza conta que, certa vez, sua irmã evangélica pediu ao pastor da igreja que frequenta para ele a convencesse Dona Fia, benzedeira, ir para a igreja. Foi então que o pastor respondeu, “vou falar pura verdade para a senhora, a fé dela (Dona Fia) é muito grande”, remedou.

José Medeiros

Dona Fia benze as pessoa tamb�m usando serpentes, costume antigo foi ensinado pela m�e

Dona Fia benze as pessoa também usando serpentes, costume antigo foi ensinado pela mãe, que por sua vez foi ensinado por outras matriarcas da família

O pastor, que a defendeu, disse que qualquer um que chega para Dona Fia e pede algo para comer, ela ajuda. Pede um chá e ela dá, pede para benzer e ela o faz. Ela sempre faz o bem, e seus filhos de nascença, além dos que ajuda pela comunidade, sempre foram tratados com as ervas e ensinamentos que aprendeu desde menina. Dona Fia é íntima do mato, cresceu e constituiu sua família com o marido José. Teve com ele dez filhos, a maioria com a ajuda de uma parteira, e seguem hoje casados e saudáveis. 

José Medeiros

Na beira do rio Cuiab�, Dona Fia � raizeira e conhece bem as plantas da regi�o

Na beira do rio Cuiabá, Dona Fia contempla, todos os dias, o amor pelo divino e se diz fiel a Deus, devota de Nossa Senhora, São Benedito e outros santos

Outra pausa no bate-papo que acontece no meio da mata. A benzedeira puxa com força o cipó até aparecer à raiz. Mostra para a câmera, como quem faz parte e extensão da sacracidade, entre o catolicismo e ensinamentos indígenas que naquelas terras outrora também habitaram. “Tudo que eu planto, a terra pega. Olha quantia de muda que eu faço. Molho minhas plantas, meus frutos. Se eu fosse egoísta, teria ganho dinheiro de uns médicos de São Paulo, um deles me ligou uma vez e queria me pagar até passagem, mas não aceitei”, revela.

Ao lembrar da vez que uma senhora da mesma comunidade tinha uma criança que “bebeu água de parto”, mas fez uma composição de ervas que fez ela vomitar e defecar as impurezas. “Pena de angola é bom para pneumonia. Outra vez dei uma muda para ajudar no câncer. É só bater com mel e fazer um chá com a folha da graviola”, indica.

Segue a caminhada, lava a mão na beira do rio, o sol prestes a se por e ela mostra uma série de ipês que plantou. “Ainda não floreou, mas vai ficar bonito. Tem rosa, branco, amarelo e tudo quanto é cor”, finaliza.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Elias | Sexta-Feira, 12 de Julho de 2019, 13h02
    6
    0

    linda cultura e fé

  • Eudes | Sexta-Feira, 12 de Julho de 2019, 11h38
    7
    0

    Digite oMuito bom! Excelente matéria Parabéns para dona Fia, lindo trabalho. Linda História de Vida

Matéria(s) relacionada(s):

De fora da disputa em Rondonópolis

percival muniz 400   O pecuarista Percival Muniz (foto), hoje "mergulhado" nas duas fazendas na região do Xingu, adianta que não será candidato a prefeito de Rondonópolis, posto já ocupado por ele por três vezes. Mesmo com recall junto à população de bom gestor e popular, ele é...

Conselheira e o faturamento familiar

jaqueline jacobsen curtinha 400   Está repercutindo muito mal para a conselheira substituta do TCE-MT Jaqueline Jacobsen (foto) a notícia publicada pelo site O Livre, nesta sexta, de que a sua irmã, advogada Camila Jacobsen, em sociedade com Eveline Guerra, filha da conselheira, são sócias da "Jacobsen &...

Selma vê maior conforto no Podemos

selma curtinha 400   No grupo de WhatsApp "PSL Mulher MT", Selma Arruda (foto) escreveu um texto de despedida do partido. Disse estar chateada "com tudo isso", mas que não perdeu a fé e que o Governo Bolsonaro vai dar certo. Afirma sair do PSL com "coração partido" e que continua com os mesmos ideais no Podemos, onde...

Podemos esperando Selma se salvar

alvarodias_curtinhas   Na busca para ampliar a bancada do Podemos no Senado, o senador Alvaro Dias, derrotado à presidência no ano passado, só correu atrás de Selma, no sentido de convencê-la a se filiar no partido, depois que foi informado que ela tem chances reais de derrubar no TSE a cassação por...

Fávaro e esperança em assumir vaga

carlosfavaro_curtinha   O representante do escritório de MT em Brasília Carlos Fávaro (PSD) está convicto de que a senadora Selma não só será cassada de vez pelo TSE nos próximos meses, como a decisão da Corte lhe permitirá assumir a vaga enquanto não for eleito um novo...

Maturidade e nova visão sobre o TCE

janaina_riva_curtinha   No segundo mandato e sentindo-se mais madura politicamente, apesar de ainda bem jovem – completou 30 anos em 21 de janeiro – a deputada Janaína Riva revela que pensa diferente sobre a indicação de políticos ao cargo de conselheiro do TCE. Ao autorizar os colegas a derrubar a...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Mauro Mendes?

excelente

bom

regular

ruim

péssimo

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.