Esporte e Lazer

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2018, 08h:07 | Atualizado: 13/04/2018, 17h:18

Airsoft

Jogo de estratégia ganha adeptos em Cuiabá e reúne até famílias em combates

Festas de aniversário ganham tema de armas e confrontos podem durar por rodadas ou até 24 horas

Há pouco mais de um ano os jogos de airsoft estão se transformando em uma prática frequente entre amantes da ação, tática e armas. O combate é simulado, assim como uma guerra ou confrontos em ambientes diversos. Diante disso, empresas em Cuiabá surgem a todo vapor e se especializam neste tipo de serviço.

Mário Okamura

jogo estrategia6

Atiradores que brincam no Stand ganham 100 munições e um alvo temático por R$ 30

Para diferenciar armas reais das usadas nos jogos existe uma tarja laranja na ponta do objeto. Entre defensores e críticos, o procurou estabelecimentos e adeptos da modalidade, ao descobrir que a febre está em shoppings, parques, bares e outros lugares da cidade, com adaptações para os praticantes e apreciadores do esporte. Além das disputas rápidas, os jogos mais longos são chamados de "operação" e podem durar mais de 24h, o que leva os jogadores para mais perto da realidade de guerras e confrontos.

Segundo o empresário Rafael Fabri dos Santos, 35 anos, proprietário da empresa Sniper, especializada em airsoft e localizada em um dos shoppings de Cuiabá, o primeiro contato com o esporte ocorreu após buscar uma ideia de negócio diferente e que pudesse agregar à população uma opção de lazer associada à emoção. “Este negócio aconteceu pela vontade de diversificar. Sou engenheiro florestal e de segurança do trabalho, o mercado foi afetado pela crise, busquei algo que pudesse relacionar renda a lazer”, explica.

A empresa funciona a sete meses, mas a franquia já tem um ano e cinco meses em Cuiabá. O intuito da mudança foi para atingir um público maior de pessoas e Rafael acredita que o indicador de aceitação pode ser deduzido através do rápido número de interessados, além de vários campos de combate e times que surgem todos as semanas, o que não minimiza os cuidados de sua equipe para que os jogos continuem com respeito às leis.

“Precisamos nos atentar para locais adequados e próprios para a prática do esporte, pois com o crescimento surgem também os aproveitadores, que não se atentam à legislação necessária e agem de forma clandestina”, pontua.

Por semana, a média de frequentadores na empresa é de 500 pessoas, e duas mil por mês. Conforme Rafael, nos finais de semana o fluxo de clientes dobra.

Reprodução

jogo estrategia-mikael3

Mikael faz pose para mostrar airsoft e tem um bar em Cuiabá onde oferece o jogo

Para o empreendedor, o diferencial da loja é a estrutura. “Nosso espaço conta com mais de 400 m² para prática do esporte, com cinco modalidades diferentes. Todas as réplicas possuem nota fiscal e ponta laranjada, conforme exige a legislação. Os instrutores são treinados e o cliente recebe o equipamento pronto para realizar os disparos, além de estar munido de óculos de proteção individual”, reforça.

Neste estabelecimento, o cliente pode escolher brincar no Stand, onde ganha 100 munições e um alvo temático por R$ 30, ou ainda duelar com outra pessoa, com a mesma quantidade de munição por R$ 25. Além desta opção, oferecem a de progressão tática, que é um percurso de simulação onde o jogador é desafiado contra o tempo, pelo valor de R$ 35, utilizando duas armas.

“Uma opção que tem crescido muito é a realização de eventos em parceria com nossa loja. No último mês realizamos três eventos e algumas festas de aniversário. Levamos a prática do esporte até o local desejado, estrutura adequada e instrutores", diz Fabri.

Já o empresário Mikael Vargas, 28 anos, relata que sempre foi um apaixonado por coisas militares, armas, guerra, jogos, como battlefield e counter strike, mas conheceu o airsoft apenas em 2014. Não demorou e comprou todos os equipamentos que pode e trouxe à tona o que era fantasia para a realidade. Na época, ele morava com a família em Barra do Bugres e formou o primeiro time daquela cidade. Naquele período, também chegou a montar uma operação com a participação de diversos outros adeptos de várias cidades do estado. Hoje, uniu a proposta de airsoft com bar e continua dedicado às suas paixões.

O esporte no Brasil inteiro tem crescido, e aqui em Cuiabá não é diferente - diz Mikael

“Eu já queria começar um negócio nesse segmento. Voltamos a morar em Cuiabá, eu jogava bastante por aqui, e pensava em montar um campo de Close Quarters Battle (CQB) dentro da cidade, porque os jogos costumavam acontecer apenas aos fins de semana em lugares mais remotos. Por isso, imaginei que apenas um campo não seria o bastante para sustentar o negócio”, conta.

Com as duas paixões unidas, o diferencial seria ter um campo de CQB e oferecer o aluguel do equipamento aos clientes. “É um esporte caro e uma arma de entrada, sem nenhum upgrade, custa em torno de R$ 1mil, fora os outros equipamentos. Eu queria oferecer a oportunidade de praticar o esporte também para as pessoas que ainda não tinham essa condição ou que queriam experimentar o esporte antes de fazer o investimento”, pontua.

Ao imaginar que não conseguiria tocar o negócio sozinho, convidou amigos para serem seus sócios, e em outubro de 2017 lançaram o Hazard Airsoft Bar. “O esporte no Brasil inteiro tem crescido, e aqui em Cuiabá não é diferente. Toda semana aparece no Hazard gente que nunca tinha ouvido falar de airsoft até bem pouco tempo, e que se encanta", relatou. Segundo Mikael, toda semana aparecem operadores novos nos jogos, se equipam e usam as próprias armas, sendo que muitos dos clientes tiveram o primeiro acesso no seu bar.

Vargas também frisa que, o que antes era uma prática predominante entre homens, agora tem seguidoras mulheres e pessoas mais jovens, alguns grupos são formados por famílias. "As mulheres estão com força no esporte. O primeiro time feminino de airsoft de Cuiabá começou jogando no estabelecimento lançado por mim e meus sócios", lembra. 

Galeria: Novo esporte: airsoft

“Os clientes vão, levam suas esposas, seus filhos, e todos jogam juntos. Acontecem festas de aniversário no Hazard, onde os pais fecham um horário para que o filho ou filha junto com seus amigos se divirtam.”

No local, cerca de 200 pessoas são atendidas por semana. O preço para jogar cinco rodadas (rounds) é de R$15 por pessoa e dez rounds custa R$25 por pessoa. A cada round os jogadores recebem um carregador cheio e o tempo limite para se recarregar nestas pausas é de três minutos e meio. “Fornecemos o armamento, a proteção facial e a munição. Podem jogar desde um contra um ou até cinco jogadores contra cinco. As regras são explicadas ao início de cada jogo para quem ainda não conhece o esporte”, conclui.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • TUKINHA NETTO DE CUIABÁ-MT | Sexta-Feira, 13 de Abril de 2018, 14h46
    1
    0

    parabéns a todos os praticantes . Especial ao presidente e diretores pelos trabalhos DE assistências em datas especiais , PARA FAMILIA CARENTES EM BAIRROS E REGIÃO DE CUIABÁ , COM ENTREGA DE PRESENTES E ALIMENTOS ! sEMPRE LEMBRANDO QUE ESTE ( esporte e sim emagrece ) kk e tira estres e coloca adrenalina em ordem . Fora as novas amizades que são feitas , com pessoas do bem ! Eu sou Tukinha Netto De Cuiabá-mt

  • Henrique Maluf | Sexta-Feira, 13 de Abril de 2018, 13h07
    2
    0

    Bela matéria! Lembram os jogos de polícia e ladrão da infância! Porém pra gente grande!

  • Eventos Airsoft Brasil | Sexta-Feira, 13 de Abril de 2018, 10h08
    3
    0

    Olá portal RD, belo artigo sobre Airsoft. Somos a Eventos Airsoft Brasil e gostaríamos de indicar aos seus leitores, o nosso site. Lá eles poderão conferir mais informações sobre Airsoft, como os próximos eventos, equipes e campos. Abraços

  • Regina | Sexta-Feira, 13 de Abril de 2018, 09h22
    4
    21

    Um incentivo aos uso de armas. Lazer? Armas matam. Só quem já teve um amigo, parente morto por armas entende o que sinto.

Matéria(s) relacionada(s):

Pleno escolhe novo desembargador

carlos alberto 190 curtinha tj   Nesta 5ª (27) o Pleno do Tribunal de Justiça, sob Carlos Alberto Alves, define quem vai assumir a vaga deixada pela desembargadora aposentada Cleuci Terezinha Chagas, que deixou o Pleno em janeiro. Ao total, 24 magistrados, da primeira quinta parte dos mais antigos lotados na Entrância Especial,...

Retorno e convidados de Rondonópolis

adilton sachetti curtinha   Apesar de ter se casado com Lidiane Campos longe de Rondonópolis, onde foi prefeito e pretende concorrer de novo ao mesmo posto, Adilton Sachetti fez questão de prestigiar dezenas de rondonopolitanos entre os 250 que receberam convite especial à festa matrimonial, realizada sábado, na pousada...

Prefeitos e dinheiro público com shows

marquinhos do dede curtinha   Algumas prefeitos estão aproveitando datas comemorativas, como o aniversário de seus municípios, para promover farra artística com dinheiro público. Em Paranatinga, por exemplo, o prefeito Marquinhos do Dedé (foto) autorizou gastar R$ 115 mil em dois shows dentro da...

Possível duelo entre Pátio e Sachetti

Em 2008, Adilton Sachetti (foto) era prefeito de Rondonópolis e, com a máquina a seu favor, tentou a reeleição e, mesmo assim, foi derrotado por Zé do Pátio. No próximo ano, 12 anos depois, os dois devem se enfrentar de novo nas urnas. Agora em posições inversas. Pátio, com o controle da máquina, buscará novo mandato. E Sachetti, pela oposição, pretende reconquistar a prefeitura para resgatar...

Situação de emergência na MT-100

As péssimas condições de trafegabilidade da MT-100, agravadas por ingerências e irresponsabilidade de empreiteiras que fizeram obras pela metade, levaram o governo estadual a decretar situação de emergência no trecho entre Torixoréu e Pontal do Araguaia e sob interferência da Defesa Civil. Com isso, está sendo possível executar obras paliativas sem licitação, uma forma de amenizar o transtorno,...

Após governador, prefeito vai à Bolívia

francis maris curtinha   Duas semanas depois do governador Mauro e dois secretários terem ido à Bolívia tratar da comercialização do gás e do fornecimento de ureia para MT, o prefeito de Cáceres Francis Maris (foto) e sua vice Eliene Liberato vão fazer igual. Ambos ficarão 10 dias em...

ENQUETE

Tramita na Câmara Federal o projeto 832/2019, do deputado José Medeiros, requentando uma proposta de 2007 do então deputado Jair Bolsonaro, propondo extinguir o Exame da Ordem como exigência para inscrição na OAB e, assim, poder exercer a profissão. O que você acha disso?

Concordo - esse Exame tem de acabar

Discordo - bacharel precisa, sim, se submeter ao Exame

Sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.