Segunda-Feira, 04 de Janeiro de 2010, 18h01
TCE
Emocionado, Albano é prestigiado por autoridades em posse; Joaquim se despede




Políticos e autoridades prestigiam solenidade de posse de conselheiro Valter Albano na presidência do Tribunal de Contas
Foto: Josinei Moreira

   No discurso de despedida da presidência do TCE, o conselheiro Antônio Joaquim lamentou nesta segunda (4) os ataques ao Tribunal de Contas da União e dos Estados e condenou as iniciativas que pregam a extinção dos órgãos de controle externo. “Esses críticos, muitos deles parlamentares, se esquecem, ou talvez nem saibam, o que é mais grave: que os tribunais exercem uma função delegada do próprio parlamento, de fiscalizar o uso do dinheiro público”, disse, em meio a aplausos de mais de 300 pessoas, entre representantes dos Poderes Judiciário, Executivo e Legislativo.

   Ele destacou o editorial da revista Veja, focado no trabalho do TCU. “O destaque foi dado por Veja ao fato dos Tribunais de Contas estarem, nos últimos tempos, sendo objeto de ataque, exatamente quando buscam melhorar a sua ação fiscalizadora. Cita especificamente o TCU e as críticas feitas pelo presidente Lula, que culpa o Tribunal por eventual atraso nas obras do PAC”.

   Segundo Joaquim, os críticos apenas diminuem a força do próprio parlamento ao pregar o enfraquecimento dos Tribunais de Contas. “Na sanha de agradar ao chefe do poder Executivo, diminuem o parlamento e desequilibram a necessária harmonia entre os poderes”, avaliou.

   Em vez de enumerar as ações implementadas durante sua gestão, que começou em 31 de janeiro de 2008, Albano apenas destacou as visitas técnicas de 16 tribunais interessados no modelo implementado no órgão mato-grossense, além dos Tribunais dos países de Moçambique e Peru.

   Ao final, ele aproveitou para tecer elogios ao novo presidente do TCE, conselheiro Valter Albano. “O salto de qualidade que o TCE apresentou nos últimos anos deve-se, indiscutivelmente, à presença de Albano neste colegiado. Com ele teremos certamente um choque de qualidade e uma ação determinante em busca da eficiência e da eficácia”. Albano vai comandar o órgão até janeiro de 2011.

   Albano se emocionou no discurso de posse e lembrou do ex-governador Dante de OLiveira (já falecido). "Gostaria que Dante estivesse aqui neste momento. Quando cheguei ao TCE, ele me pediu que eu usasse minha energia e conhecimento para que o Tribunal fosse útil à população e é exatamente isso que fazemos hoje", diz.  Para ele, o fato de assumir o TCE não deve ser motivo para "envaidecimento". "A presidência me causa honra", resumiu em seu discurso. (Com Flávia Borges)


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/