Sexta-Feira, 17 de Abril de 2009, 11h47
SAÚDE PÚBLICA
A dengue pode matar você!


 Sim, você! Você mesmo, que assistindo aos telejornais se diz indignado com a calamidade causada pela dengue na capital de Mato Grosso, enquanto em seu próprio quintal as larvas do Aedes Aegypti se desenvolvem na profunda paz. Quantos ainda precisam morrer para que o cidadão comum se conscientize de que a dengue também é da conta dele?

   É triste abrir os jornais e encontrar mais uma notícia trágica sobre a dengue. O mais triste é saber que a população tem consciência de como evitá-la e não o faz. Por quê? Talvez pela certeza de que a obrigação de evitar uma epidemia caiba somente ao poder público. Então, já que não será penalizado e nunca será picado pela criação de seu próprio quintal, pra que perder tempo combatendo ou evitando criadouros do Aedes ...O que mesmo?

   Nesta semana já são nove os casos de morte em decorrência da dengue no Estado de Mato Grosso, quatro delas ocorreram em Cuiabá. Os dados apontam mais de 6 mil notificações, sendo que aproximadamente 300 são de casos graves. No feriadão da Semana Santa muita gente sensibilizada pela situação e pela campanha do MT-Hemocentro aproveitou para doar sangue e/ou plaquetas, o que somou 285 bolsas de sangue doadas.

    No mesmo feriado santo, a população de Cuiabá e Várzea Grande pôde assistir nos noticiários locais imagens feitas em sobrevôo sobre as duas cidades, para que técnicos da Secretaria Estadual de Saúde (SES) identificassem possíveis criadouros do mosquito da dengue. O que elas retrataram? Oras! Aquilo que muitos e possivelmente você já sabia e nada fez. As tais imagens apresentaram a negligência social em piscinas abandonadas, terrenos baldios transformados em lixão, caixas d´água descobertas, acúmulo de lixo em quintais e tudo aquilo que já sabemos que pode se tornar risco à saúde pública.

   É inadmissível que em pleno século XXI pessoas morram picadas por mosquitos criados em suas próprias casas, ou em seus vizinhos. É inacreditável que agentes de saúde precisem usar de “força de polícia” e arrombar entradas de domicílios para combater o famoso Aedes Aegypty. O poder público como um todo está se mobilizando contra esta epidemia, as campanhas contra a dengue estão, há muitos anos, por toda parte e até as crianças do ensino fundamental já sabem como evitar criadouros da dengue. Resta saber até quando a sociedade continuará fingindo que não sabe, que não viu e que não tem nada a ver com isso.

     Marcia Matos é jornalista e assessora de comunicação do Cepromat (e-mail: matosmarcia1@hotmail.com 


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/