Terça-Feira, 24 de Novembro de 2020, 07h14
Milícia armada mata 4 e, antes de morrer, um deles tenta poupar a esposa grávida

Bárbara Sá

chacina Aripuanã

Antes de ser brutalmente executado por uma milícia armada, com mais três pessoas, em um garimpo ilegal em Aripuanã (a 1.002 km de Cuiabá), Jonas dos Santos, de 25 anos, pediu que a esposa grávida fosse poupada. O caso foi registrado ontem (23). Os quatro corpos foram encontrados com sinais de execução e queimados.

Vítimas foram abordadas por grupo em uma caminhonete, algemadas e levadas para uma estrada vicinal a caminho de Juína (a 800 km da Capital) onde seriam mortos.

Os corpos localizados foram identificados como Deuzilene Tavares, de 40 anos, conhecida como “Babalu”, o filho dela, Luiz Felipe Viana Antônio da Silva,19, Leôncio Gomes, 40, e um quarto alvo, o Jonas.

Conforme o boletim de ocorrência, o grupo saía do garimpo, quando foi abordado por uma quadrilha em uma caminhonete, modelo e cor não informados. Neste momento, que foi sequestrado. Durante o trajeto, os bandidos informaram que todos seriam executados, foi quando Jonas implorou para que a esposa fosse poupada por conta da gravidez. Após as execuções, eles levaram a grávida para Juína onde a mandaram nunca mais voltar à região ou, se falasse para alguém sobre o ocorrido, seria morta. O carro usado pelo grupo criminoso também foi incendiado. O caso é investigado pela Polícia Civil.


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/