Quinta-Feira, 31 de Dezembro de 2020, 14h40
RETROSPECTIVA
Governador enfrenta Covid, embates com servidores de MT e lança pacotão de obras

Ana Flávia Corrêa

selo_retrospectiva

O governador Mauro Mendes (DEM), apesar dos desafios da pandemia da Covid-19, encerra 2020 com mais tranquilidade do que 2019 – seu primeiro ano de mandato. Logo no começo deste ano, as previsões eram para lá de otimistas, mas, eis que em março foi registrado o primeiro caso de coronavírus em Mato Grosso.

A chegada da pandemia expôs as entranhas da sucateada saúde de Mato Grosso, sem Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e estrutura descentralizada. Aí, Estado precisou fazer uma força tarefa para abrir leitos para acolher os infectados pelo vírus em estado grave.

No Hospital Estadual Santa Casa, foram abertos 70 leitos. Outros 40 foram criados no Hospital Metropolitano de Várzea Grande. Outros municípios de Mato Grosso contaram com 94 novas vagas para pacientes com coronavírus.

Rodinei Crescêncio

Mauro Mendes

Outra medida de urgência para enfrentamento da pandemia foi a abertura do Centro de Triagem, na Arena Pantanal, em Cuiabá. Local foi, e ainda é, utilizado para realização de testes rápidos para detecção do vírus. Governo também disponibilizou o “kit Covid”, composto por hidroxicloroquina, ivermectina, azitromicina, anticoagulante e dipirona.

O governador, assim como parte do seu secretariado, também foi infectado pelo coronavírus. Mauro, inclusive, chegou a ser internado.

Vencidos esses desafios iniciais, Mauro está prestes a completar 2 anos de sua gestão. Em meio a chegada da segunda onda da pandemia, começou a colher às medidas duras, amargas e sacrificantes tomadas no ano anterior.

Com isso, diminuiu a tensão social e conseguiu lançar, em outubro, programas como Mais MT, que prevê o investimento de R$ 9,5 bilhões entre 2019 e 2022. Dinheiro deve ser destinado, entre outras coisas, à segurança, saúde, educação, desenvolvimento econômica, infraestrutura, turismo e meio ambiente. Além disso, retomou obras emblemáticas como a construção dos hospitais Central e Júlio Muller e anunciou uma solução para as obras do VLT - decidiu que vai trocar de modal e implementar o BRT.

No ano passado, com o não pagamento da RGA, de leis de salários, a revisão dos incentivos fiscais, entre outras medidas, o Estado voltou para o azul. Pela primeira vez em 10 anos se gastou menos do que foi arrecadado.

MaykeToscano

Governador Mauro Mendes vistoria obras em C�ceres, Porto Estrela e Barra do Bugres_

Governador Mauro Mendes vistoria obras em Cáceres, Porto Estrela e Barra do Bugres. Governador lançou neste ano um pacotão de investimentos em MT

E se de um lado, Mauro diminuiu o desgaste junto aos servidores ao colocar os salários em dia e colocando fim ao parcelamento, de outro teve fortes embates com a reforma da Previdência, que foi “piorada” por causa de uma cobrança maior junto aos aposentados .

Quanto à Reforma da Previdência, texto do Estado aumenta a idade mínima para aposentadoria voluntária de 55 para 62 para as mulheres e de 60 para 65 para homens. Mudança impopular teve o argumento de que garantiria a diminuição do déficit previdenciário e do déficit atuarial estimado em R$ 62 bilhões.

Mauro também atuou pesado para renegociar dívidas e créditos, disponibilizadas em parte do ano para contribuintes. Débitos eram referentes Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (IMCS), Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e Imposto sobre Transmissão “Causa Mortis” e Doação (ITCD), entre outros.


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/