Sábado, 23 de Janeiro de 2021, 15h28
MEDIDAS TOMADAS
Em resposta a deputado, governador nega decretar lockdown em Mato Grosso - veja

Ana Flávia Corrêa e Jacques Gosh

Dayanne Dallicani/Arte/Rdnews

lockdown

Governador Mauro Mendes (DEM) descartou a possibilidade de decretar lockdown em todo o território de Mato Grosso. Ele concedeu coletiva de imprensa na tarde de sexta (22). Fala é resposta ao deputado estadual Lúdio Cabral (PT), que recomendou a quarentena rigorosa de pelo menos duas semanas.

“O Governo já decretou as medidas, não sei se o deputado Lúdio teve a oportunidade de ver, mas ele traz recomendações e chama os prefeitos para esse jogo. A realidade do Estado é diferente. Eu não posso tratar Cuiabá e Várzea Grande igual uma cidade que não tem praticamente nenhum caso”, disse.

“Não é correto, não é justo. Trate os desiguais de forma desigual para você igualar e criar as mesmas oportunidades. Essa é uma responsabilidade objetiva dos prefeitos. O Governo já sinalizou isso e colocou as forças de segurança à disposição para apoiar as prefeituras. Todos estamos fazendo a nossa parte”, complementou.

Deputado é médico sanitarista e, de acordo com seu entendimento, Mato Grosso corre o risco de enfrentar um colapso no sistema de saúde igual o que acontece no Amazonas, em que faltam insumos básicos para assegurar a sobrevivência de pacientes infectados pelo novo coronavírus.

Por isso, ele encaminhou ofício onde requereu que Mendes tomasse medidas para evitar a circulação de pessoas e aglomerações em todo o território estadual, além do fechamento de atividades não essenciais.

“Se não forem adotadas quarentena rigorosa por no mínimo duas semanas, o que está acontecendo hoje no Amazonas pode acontecer em Mato Grosso em poucas semanas”, alertou Lúdio.

Deputado destacou que os casos de coronarívus e os óbitos em decorrência da doença estão em crescimento acelerado no Estado. Ainda, citou a taxa de ocupação dos leitos de enfermarias e Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), que teve crescimento de 29,2% em 14 dias.


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/