Sábado, 18 de Julho de 2009, 19h51
PALÁCIO PAIAGUÁS
Maggi diz que pode levar mandato até o fim e elogia Silval


    Romilson Dourado
    De Manaus


Terezinha e Blairo Maggi, governador em exercício do Amazonas, Omar Aziz, e o presidente da Trip Linhas Aéreas, José Mário, neste sábado, no aeroporto de Manaus, sobre inauguração da linha Cuiabá-Manaus
Blairo Maggi na recepção no aeroporto de Manaus, neste sábado, ao lado do governador em exercício Omar Aziz, afirma que agora precisa repensar renúncia do mandato por causa da vinda da Copa para Cuiabá
Fotos: Romilson Dourado

  Após 15 dias de férias, parte do tempo em Miami (EUA), o governador Blairo Maggi revelou neste sábado, em entrevista ao RDNews ainda no aeroporto de Manaus (AM), onde fez conexão para cheguir rumo a Cuiabá, que não decidiu ainda se concluirá o mandato integralmente. Segundo ele, a escolha de Cuiabá como uma das 12 subsedes da Copa do Mundo de 2014 "pode mudar muita coisa". Observa que continua analisando três hipóteses: renunciar a cadeira de governador em dezembro desde ano ou em abril de 2010 ou até mesmo concluir os 8 anos de gestão integralmente, o que o levaria a comandar o Estado até dezembro do próximo ano.

  "Não tenho prazo definido sobre a saída. Com a vinda da Copa tenho que pensar e repensar sobre o assunto". Perguntado sobre qual das três possibilidades seria a mais provável, o governador sorriu e disse: "pode ser que eu fico até o final, mas tudo isso preciso discutir para tomar decisão", ponderou Maggi.

   Em princípio, Maggi havia feito pré-acordo com o seu vice Silval Barbosa (PMDB) para este assumir de vez o Palácio Paiaguás a partir de janeiro de 2010. Nesse caso, o governador renunciaria ao mandato já em dezembro deste ano. Ele sustentava até há cinco meses que, dessa forma, Silval teria a liberdade de executar todos os 12 meses do orçamento-geral do Estado referente ao exercício de 2010. Agora com o advento da Copa, Maggi recuou. Ele disse neste sábado que tudo agora precisa ser repensado.

   Apoio ao Silval

   O governador voltou a defender o nome de Silval para a sucessão estadual, mesmo se tratando de um aliado de outro partido. Fez rasgados elogios ao peemedebista. "Eu trabalho o nome do Silval para governador porque ele tem sido um vice atuante, presente e tem decisão". Maggi contesta as críticas, segundo as quais Silval não teria pulso firme nas ações administrativas. "Eu ouço críticas de que o Silval não tem decisão, mas tenho observado que é o contrário. De fato, ele (Silval) como vice-governador não pode mesmo ter poder de decisão porque ele não é o governador de fato", enfatiza Blairo Maggi para, em seguida, destaca que o seu vice "tem perfil ideal para continuar administrando o Estado". "Para mim, o Silval é o nome".

   Sobre uma eventual candidatura do seu colega de partido e empresário Mauro Mendes ao Palácio Paiaguás, o governador foi enfático ao descarta essa hipótese. Segundo ele, Mendes, que perdeu para prefeito de Cuiabá no ano passado no confronto de segundo turno com o tucano Wilson Santos, vai concorrer novamente ao Palácio Alencastro em 2012. Destaca que o PR está preparando Mendes para essa missão.


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/