Sexta-Feira, 14 de Agosto de 2009, 11h42
CUIABÁ
Após exoneração de Rosa, Santos anuncia Ussiel no cargo


   O prefeito de Cuiabá, Wilson Santos (PSDB), anunciou nesta sexta (14) que o novo procurador-geral do Município é o advogado Ussiel Tavares, presidente municipal do PSDB. A decisão do tucano foi tomada após o pedido de exoneração de José Antonio Rosa, preso nesta segunda pela Polícia Federal por supostas fraudes nas licitações do PAC  na Capital. Rosa ocupava a função desde janeiro de 2005, início da gestão tucana. Até então era considerado um dos intocáveis do prefeito.

   Já Ussiel, que não esconde o desejo de ver Santos no Palácio Paiaguás nas eleições do próximo ano, deve encontrar problemas na pasta, já que o escândalo em torno de Rosa e da Procuradoria-Geral ganhou proporções nacionais. Ussiel tem sido um fiel escudeiro do prefeito e espécie de porta-voz. Ele é o responsável por articular sua pré-candidatura, levar e trazer recados aos vereadores da bancada tucana e "abafar" qualquer tipo de escândalo na Capital.

   Segundo Santos, Ussiel também terá a missão de chefiar a Comissão de Inquérito Municipal, para averiguar a participação de outros servidores públicos no esquema. (Flávia Borges)

(12h20) - Santos segue recomendação do MPF e cancela licitações dos 7 lotes

   Wilson Santos anunciou a anulação das licitações dos sete lotes do PAC em Cuiabá. A decisão foi tomada após um alerta do procurador da República, Mário Lúcio Avelar, responsável pelas denúncias de vícios jurídicos nos procedimentos. Avelar chegou a dizer que o prefeito cuiabano poderia ser responsabilizado como co-responsável pelos crimes que culminaram na prisão de 11 pessoas durante a Operação Pacenas, da Polícia Federal. Santos ainda não soube informar quando as licitações serão reabertas, mas garantiu que o processo será iniciado do "zero".

   Até agora,  as empreiteiras que faziam parte do Consórcio Cuiabano são Três Irmãos Engenharia Ltda, que pertence aos irmãos Marcelo e Carlos Avalone; a Gemini, do ex-prefeito Anildo Lima Barros; a Construtora Concremax, de Jorge Pires; e a Lúmen Consultoria, Construções e Comércio Ltda. Elas terão de devolver cerca de R$ 6,2 milhões cada. Já as empresas que fazem parte de Consórcio LGL Engenharia e Saneamento Ltda, que são a Construtora Geosolo, Lage Engenharia e Pavimentação Ltda e a Lince Construtora e Incorporadora Ltda, tiveram nada menos que R$ 898 mil sequestrados pela Justiça. O Consórcio SPE Sanebem Saneamento, que tem como construtora a Augusto Velloso S/A e Tejofran de Saneamento e Serviços Ltda, terão também de devolver cerca de R$ 466,5 mil cada.

   As investigações iniciaram em 2007 pela Superintendência da PF em Mato Grosso, a partir de irregularidades detectadas pelo Tribunal de Contas da União e pelo Ministério Público Federal e do Estado. As acusações sustentavam que empresas já eram vencedoras das licitações mesmo antes do processo licitatório, pois os concorrentes ajustavam o conteúdo das propostas antecipadamente, oferecendo dinheiro e parte dos contratos firmados com a Prefeitura de Cuiabá. (Flávia Borges)

--------------------------------------------------
Clique no play
e confira trechos da entrevista de Santos ao programa Cadeia Neles


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/