Domingo, 13 de Setembro de 2009, 14h01
C┴CERES
Pedetistas lanšam Pivetta ao governo; Cintra vai a federal


   Pedetistas se empolgaram com o encontro regional realizado em Cáceres neste sábado e reforçaram a proposta da pré-candidatura a governador do deputado e empresário Otaviano Pivetta, que comanda o partido no Estado, como também de nomes pela região Oeste para disputas proporcionais, como do vereador por Cuiabá Sérgio Cintra, lançado para deputado federal, e do vice-prefeito cacerense Wilson Kishi, a estadual. O partido acertou uma "dobradinha" em Cáceres entre Cintra e Kishi.

   Cintra morou em Cáceres por vários anos. Atuava como professor. Depois, mudou-se para Cuiabá. Após tentar, sem êxito, várias eleições, inclusive de deputado, ele conseguiu a primeira-suplência de vereador nas urnas de 2008 e, graças ao licenciamento do titular Adevair Cabral, fez estreia no Legislativo cuiabano no mês passado. Ex-PP, Kishi foi vereador por cinco mandatos, chegou a ocupar cadeira de deputado por alguns meses em 2007, foi adjunto de Esportes do governo Blairo Maggi e, desde janeiro deste ano, ocupa o posto de vice-prefeito, mesmo sua chapa, encabeçada por Túlio Fontes (DEM), não tendo sido eleita. Foi beneficiada devido à cassação do registro do então prefeito reeleito Ricardo Henry (PP). O curioso é que Kishi não deve ter apoio na corrida por vaga à Assembleia do prefeito Fontes (DEM), que demonstra maior simpatia pelo nome do tucano Celso Fanaia.

   O congresso do PDT reuniu cerca de 400 pessoas. O primeiro a lançar o nome de Pivetta à sucessão estadual foi o ex-vereador Waldemar da Silva Costa, de Glória d´Oeste. Em seguida, o presidente do diretório de Cáceres, Ricardo Quidá, reforçou a proposta. Ambos fizeram rasgados elogios ao perfil de Pivetta, para quem é um empresário de sucesso, com visão de futuro e que já provou ter sido bom gestor durante os dois mandatos como prefeito de Lucas do Rio Verde. O encontro marcou a filiação no PDT de três ex-integrantes da Executiva municipal do PSB, sendo eles Adilson Domingos dos Reis, José Bento Luz, o Brito, e José Eduardo Gil.

   Sérgio Cintra fez um discurso inflamado. Ele tenta superar o desgaste político em Cuiabá devido à pecha de traidor por ter saído do palanque do tucano Wilson Santos, de cuja gestão havia participado como diretor da Funec, e reforçado o bloco do candidato a prefeito Mauro Mendes (PR), no segundo turno. Sua disposição é encarar agora projeto à Câmara Federal, apesar da chance mínima de eleição. Cintra citou como exemplo de que pode haver surpresa nas urnas o caso de Leonel Brizola (já falecido), que havia retornado ao Brasil, "concorreu contra grupos poderosos de comunicação no Rio de Janeiro e venceu o pleito de 1982". Everton Roberto Silva Santos disse que o PDT precisa se fortalecer com maior participação da juventude. O acadêmico de Direito, Mário Quidá, presidente do Diretório Central dos Estudantes da Unemat, (DCE /Unemat), arrastou para o encontro vários jovens universitários. Paola Reis, candidata derrota à vereadora por Cuiabá, defendeu maior inserção das mulheres na agremiação pedetista.

   Pivetta mais ouviu do que falou. Recebeu com cautela a manifestação interna de apoio a sua pré-candidatura à sucessão do governador Blairo Maggi. Ele anunciou para o próximo dia 19 outro encontro regional do PDT, desta vez em Rondonópolis. A estratégia é "amadurecer", nesses eventos, a proposta de candidatura majoritária.


Fonte: RDNEWS - Portal de notÝcias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/