Sexta-Feira, 13 de Novembro de 2009, 09h06
SAÚDE PÚBLICA
Em visita a PS, Muniz vê cárcere privado contra médicos



Em visita nesta 5ª, o presidente da CPI da Saúde Sérgio Ricardo e o relator Wallace Guimarães sorriem, dentro do Pronto-Socorro de Várzea Grande, enquanto o prefeito Murilo Domingos observa os pacientes

  A primeira inspeção feita nesta quinta (12) por membros da CPI da Saúde, assim como as primeiras reuniões do grupo, foi marcada por momentos tensos e de discussão entre os deputados. Dos cinco membros da Comissão, a única a não fazer visitas in loco no Hospital e Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá e também de Várzea Grande foi Chica Nunes (DEM), que ocupa o posto de vice-presidente. Em Várzea Grande, o prefeito Murilo Domingos (PR), sua secretária de Saúde Jaqueline Guimarães e o diretor da Fusvag, Jorge Lafetá, acompanharam os deputados. Murilo detalhou as principais dificuldades. Ele reclamou, por exemplo, do fato de todos os pacientes do SUS de várias regiões do Estado estarem sendoo encaminhados para o PSVG. Reclamou ainda da demora na transferência daqueles que precisam de cirurgia para o Hospital Geral Universitário, na Capital.

  Já no HPSMC, os deputados foram recepcionados pelo secretário municipal de Saúde Luiz Soares, que teve a missão de mostrar a reforma na unidade que vem sendo feita. Ele amenizou a situação de caos no setor, ao considerar que apenas o setor de cirurgia passa por problemas. Soares apresentou relatório com números de exames, prestação de serviços odontológicos e atendimento médico em outras especialidades.

  Houve bate-boca entre o deputado Percival Muniz (PPS), uma funcionária do Pronto-Socorro, Soares e o relator da CPI Wallace Guimarães (PMDB). Os ânimos se exaltaram depois que a servidora confirmou que a administração manteve, por algumas vezes, cadeado no portão de entrada dos médicos, tudo para evitar abandono do plantão. “Então, as denúncias de que aqui existia cárcere privado são verídicas”, bradou Muniz, que logo foi contido por Wallace: “Não se deve prejulgar todas os casos, deputado! A porta de entrada do Pronto-Socorro estava aberta”, contrapôs Wallace. Em seguida, Soares entrou na discussão, junto com a servidora, tentando amenizar a situação. Por fim, a visita prosseguiu normalmente.

    No final, o presidente da CPI da Saúde, deputado Sérgio Ricardo (PR), declarou que a reforma no HPSMC não passa de mais um remendo e que é necessário construir um novo Pronto-Socorro em Cuiabá. Segundo ele, a construção ocorreu numa época em que a capital não apresentava tanta demanda na área da saúde pública. “É remendo em cima de remendo e essa reforma é só mais um remendo”. Nesta sexta (13), os parlamentares visitam as quatro policlínicas de Cuiabá. Ainda não se sabe quando os membros da CPI vão começar as oitivas, nem quais pessoas serão ouvidas. Eles têm a missão de descobrir porque as cidades de Cuiabá e Várzea Grande vivem um verdadeiro “caos” na saúde. (Patrícia Sanches)


Sérgio, Muniz, Wallace e Azambuja conversam com servidores do HPSMC, sob olhar do secretário Soares
Fotos: Jupirany Devillart


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/