Quinta-Feira, 03 de Dezembro de 2009, 12h11
SAÚDE PÚBLICA
Câmara vota em regime de urgência PCCS de médicos


  O Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) dos médicos de Cuiabá foi encaminhado em regime de urgência à Câmara e será votado durante a sessão ordinária desta quinta (3). A criação do PCCS foi a principal reivindicação dos médicos da Capital, que fizeram greve por quase 75 dias e desencadearam um movimento demissionário em massa. A paralisação da classe fez com que o sistema público de saúde entrasse em colapso.

  A população acabou pagando um alto preço. Com a entrega do PCCS, o prefeito de Cuiabá Wilson Santos cumpre parte do acordo feito em 5 de novembro com os médicos. A mediação entre os profissionais e a administração foi feita pela desembargadora Clarisse Claudino, no Tribunal de Justiça. 

   Durante os debates, o prefeito se comprometeu a melhorar as condições de trabalho dos médicos e a realizar um reajuste salarial para a classe. Até a Câmara contribuiu cedendo R$ 1,2 milhão de seu duodécimo de 2010 para que o aumento salarial pudesse ser feito. A tendência é que a proposta seja aprovada sem nenhuma resistência do Legislativo.

   A matéria estabelece piso inicial de R$ 1,6 mil aos médicos. Atualmente, o salário de um profissional recém contratado é de apenas R$ 800. "Resultado de muita luta, o PCCS é um caminho para contemplar todos os trabalhadores", avaliou o vereador petista Lúdio Cabral. (Patrícia Sanches e Andrea Haddad)

(12h30)Com 17 votos favoráveis e uma ausência, PCCS é aprovado por unanimidade

  O Plano de Cargos, Carreiras e Salários foi aprovado por unanimidade pelos vereadores de Cuiabá. Foram 17 votos pela aprovação e apenas uma ausência. O presidente da Mesa Diretora, Deucimar Silva (PP), não vota. O projeto foi aprovado sem muita discussão. Os parlamentares apenas fizeram questão de frisar a importância da Câmara na cobrança para que a prosposta fosse viabilizada.


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/