Segunda-Feira, 01 de Fevereiro de 2010, 10h06
POLÊMICA
O mal não pode vencer o bem, diz Éder sobre gestão de Wilson


  O secretário estadual de Fazenda, Éder Moraes, tido como um dos homens fortes do governador Blairo Maggi (PR), fez novamente duras críticas à administração do prefeito Wilson Santos (PSDB), pré-candidato ao governo. Segundo Éder, diferentemente de Maggi, que gerencia de maneira agregadora, o tucano faria a política da desunião. Ele defendeu o governador com “unhas e dentes” ao alegar que a gestão republicana representa o desenvolvimento, avanço e melhoria na infraestrutura. “Mato Grosso não pode ser vítima de contador de falácias e de histórias”, disparou Éder, nesta segunda, 1º de fevereiro, em entrevista ao programa Cidade Independente, comandado pelo radialista Edivaldo Ribeiro, na Rádio Cidade.

  Éder, que há algum tempo tem trocado farpas com a gestão tucana, aproveitou a oportunidade para “metralhar” Wilson. Ele  chegou a dizer que está pronto para o debate e, assim, provar que o projeto político, que tem como pré-candidato Silval Barbosa (PMDB), é a melhor opção. “Não podemos deixar o mal vencer o bem. Estou pronto para o debate”.

  O secretário disse estar decepcionado também com as políticas públicas de geração de emprego da Prefeitura de Cuiabá. Segundo ele, mais de 24 mil pessoas foram inseridas no mercado de trabalho por meio do Sine, do governo, enquanto que o municipal registrou 1.445 inscrições. Somente três pessoas foram empregadas em 2009 pela prefeitura, segundo Éder. “Cuiabá foi a penúltima Capital do país na geração de empregos. Cuiabá ficou atrás apenas de Jaboatão, no Pernambuco, Isso é uma vergonha".

  Sem papas na língua, Éder criticou o anúncio feito pelo prefeito de que a Sanecap vai gerir o sistema de coleta de lixo. O secretário disse que a companhia não consegue sequer cuidar do saneamento. Mostrando que queria mesmo “implodir” a gestão tucana, o republicano partiu para o ataque às políticas de arrecadação do município que, segundo ele, não mostram resultados satisfatórios por falta de planejamento. “Mal e porcamente ele (Wilson) consegue administrar o IPTU. Falta seriedade, ele não pode discriminar o pobre. Bolsa esmola é o que ele destina para a infraestrutura”, rechaçou, numa referência às criticas do prefeito ao programa estadual Panela Cheia. Segundo Wilson, o povo precisa de educação e não de “bolsa esmola”.

--------------------------------------
Clique no play e confira entrevista de Éder Moraes à Rádio Cidade
 


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/