Quinta-Feira, 04 de Março de 2010, 12h18
ARTICULAÇÃO
Mendes e Silval selam acordo para "minar" projeto de Wilson


   O governador Blairo Maggi (PR) foi o anfitrião de um encontro sigiloso entre o vice Silval Barbosa (PMDB) e o empresário Mauro Mendes (PSB), pré-candidatos à sucessão do republicano. Na presença do empreiteiro Mauro Carvalho, da Lotufo Engenharia, a reunião na calada da noite desta quarta (3) serviu para afinar os discursos entre o peemedebista e o empresário. Ambos temem a virtual candidatura do prefeito Wilson Santos (PSDB) ao governo e traçam estratégias para “minar” o tucano.

   Para tanto, decidiram trabalhar em sintonia e provocar um segundo turno na eleição majoritária. Neste caso, o grupo Mato Grosso Mais selará acordo com a “turma da botina” para detonar Wilson. Mendes e Silval não querem dar “brecha” para que o tucano conquiste o Paiaguás ainda no primeiro turno.

   Durante a reunião, os pré-candidatos até cogitaram estar na mesma chapa majoritária mas, diante do “efeito Wilson”, a possibilidade parece improvável. Empolgado, o vice-governador chegou inclusive a sugerir a Mendes a realização de uma pesquisa qualitativa para saber qual dos dois tem melhor aceitação dos eleitores. O empresário concordou, mas resta saber se levará a disposição adiante. Silval não costuma dar ponto sem nó e teria cogitado a hipótese de fazer a pesquisa pelo fato de já ter uma que o mostra na liderança da preferência dos eleitores. O encontro foi marcado pela ausência do presidente regional do PSB, Valtenir Pereira. Nos bastidores, a informação é de que o parlamentar sequer foi convidado para as discussões.

   Apesar de temer Wilson, o grupo de Mendes e Silval pode se unir ainda no primeiro turno se o PPS, capitaneado pelo deputado estadual Percival Muniz, recuar do apoio ao projeto de uma candidatura de terceira via. Neste caso, a sigla cairia nos braços do tucanato, enquanto o PDT recomeçaria a discutir os apoios. No PSB, por sua vez, haveria um embate entre Mendes e Valtenir, pré-candidato à reeleição. Como Maggi já declarou ter preferência por um “chapão” na disputa pelas oito cadeiras na Câmara Federal, dificilmente o presidente do PSB seria páreo para Wellington Fagundes, Homero Pereira, ambos do PR, Carlos Bezerra (PMDB) e Carlos Abicalil ou Serys Marly, do PT.


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/