Sábado, 04 de Agosto de 2007, 08h09
ARTICULAÇÃO
Sob conflitos, PT realiza congresso estadual


   Em meio a brigas política e jurídica, várias correntes petistas se reencontram neste sábado e domingo, em Cuiabá, na etapa do Congresso Estadual. O partido vai definir posições e propostas para o 3º Congresso Nacional, que acontece entre os dias 31 de agosto e 02 de setembro, em São Paulo. A etapa municipal de Cuiabá está sub judice. Mesmo assim, os 13 delegados terão direito a voto, num processo em separado.

    O grupo que aglutina os parlamentares Carlos Abicalil, Alexandre Cesar e Ságuas Moraes enfrenta embate contra as correntes ligadas aos dirigentes Serys Marly e Jairo Rocha, respectivamente, presidentes estadual e municipal do PT. Essa nova queda-de-braço começou com a realização da etapa municipal do Congresso nos dias 07 e 08 de julho. O diretório municipal de Cuiabá não conseguiu mobilizar, dentro do horário estabelecido, o número mínimo de 520 filiados  - de um total de 3.464 (15%) - para o credenciamento. Houve confusão quanto ao horário de encerramento das inscrições. Treze delegados foram escolhidos. Como a maioria é ligado ao grupo de Serys e Jairo, a corrente Unidade na Lula ou Campo Majoritário, sob a liderança do trio Abicalil-Alexandre-Ságuas, resolveu ingressar com recurso para impugnar a etapa municipal.

    O caso foi parar na Executiva Nacional, que deferiu o recurso. Jairo Rocha, indignado, pediu também que a etapa municipal em sete municípios, onde o Campo Majoritário elegeu a maioria dos delegados, também fosse impugnada. Um pedido foi deferido. Jairo ameaçou expôr situação de fraudes nos processos internos e recorreu ao Diretório Nacional, que é a instância superior, para garantir a legitimidade da etapa municipal de Cuiabá. Conseguiu com que todos os delegados tivessem direito a voz, voto e de também serem votados. É nesse clima de conflitos que os petistas se reencontram neste final de semana.


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/