Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2007, 10h15
SENADO
Pagot chegará "sangrando" no Dnit; Couto ataca


     O nome do executivo Antonio Luiz Pagot deve ser aprovado pela maioria dos senadores em sessão nesta quarta (19). Apesar disso, Pagot está sendo alvo de alguns ataques. Vai chegar "sangrando" no cargo de diretor-geral do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit). Na sessão desta terça, por exemplo, o senador tucano Mário Couto (PA), escalado para "arrancar o couro" de Pagot,  foi contundente em dizer que o ex-secretário de Infra-Estrutura do governo Blairo Maggi cometeu crime de responsabilidade. Cobrou ressarcimento dos R$ 428 mil que, segundo Couto, Pagot recebera ilegalmente como assessor parlamentar de Jonas Pinheiro durante oito anos por dupla função, já que atuava também como diretor da empresa Hermasa Navegação da Amazônia.

   Couto mostrou um documento encaminhado pelo próprio Pagot sobre o período em que este ocupou a dupla função. Segundo ele, as explicações comprometem ainda mais o indicado para o Dnit.

    Confira abaixo o que disse Couto, o opositor mais ferrenho à nomeação de Pagot.   

Ele é um fantasma

   "Sei que vou ser questionado. Sei que Luiz Antonio Pagot tem muitos amigos no Senado. Por isso, essa ansiedade. Mas, está claro, cristalino. Ninguém pode provar ao contrário. Ninguém! Ele cometeu uma irregularidade patente e comprovada. Não se pode negar isso. Este homem não pode assumir um órgão de tanta importância para este país. Ao votar a discussão do projeto nesta tribuna, vou dar mais detalhes do que aconteceu  dentro deste Senado. Ele trabalhou aqui e recebeu todo o tempo integralmente e trabalhou na Hermasa. Olha aqui! Em referência ao pedido de informação constante do requerimento do Excelêntíssimo senhor senador Arthur Virgilio e outros senadores, comunica o senhor Luz Antonio Pagot, conforme informado pela subsecretaria de pessoal comissionado. Exerceu o cargo de assessor parlamentar no gabinete do senador Jonas Pinheiro. Foi nomeado pelo ato de diretor número 292/1955. Exonerado em 1º de junho de 2002 pelo ato de diretor geral 608 de 4 de abril de 2006. Em referência a pergunta número 12, formulada pelo requerimento nº2007, reiteramos que o senhor Luiz Antonio Pagot exerceu o cargo em comissão de secretário parlamentar e o montante do valor recebido pelo exercício do audido cargo consta na planilha anexa elaborada pela subsecretaria de pagamento de pessoal. Quanto à remuneração atual, corresponde ao cargo mencionado à epoca pelo mencionado servidor, informamos que hoje, pasmem senhoras e senhores, quanto ele recebia. Um secretário parlamentar com uma remuneração de R$ 6,8 mil. Olha aqui senador Jonas. São fatos concretos. Não tem o que questionar, não adianta senador, olha a planilha de recebimentos. Todos os meses abonados, todos os dias. O homem estava lá em Itaquatiara na Hermasa e ao mesmo tempo estava aqui no Senado trabalhando. É um fantasma. Consegue estar em dois lugares ao mesmo tempo para trabalhar. Sabe quanto ele recebeu no total? R$ 429 mil deste Senado. Não pode senador. Não deve senador. Ninguém pode aprovar o nome deste homem. A sociedade está nos observando a cada dia. Chega de errarmos. Por favor senador, não se pode errar mais. Este é o primeiro documento. Vou apresentar outros de departamento desta Casa confirmado que ele cometeu o delito. E se cometeu, tem que devolver os R$ 500 mil, mas no decorrer das discussões, eu vou apresentar outras provas que tenho aqui nas mãos. Carimbadas, registradas e autenticadas que ninguém, absolutamente ninguém pode questionar. Estão aqui em meu poder".

Senador Mário Couto (PSDB-PA)


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/