Quinta-Feira, 08 de Novembro de 2007, 08h18
EMBATE JURÍDICO
No TRE, Deucimar é 1º dos infiéis sob ameaças


  Com apenas 33 dias da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de que o mandato pertence ao partido e não ao político, com validade da regra a partir de 27 de março deste ano, oito pedidos de cassação de mandato já foram protocolados no Tribunal Regional Eleitoral. O primeiro requerimento contra infiéis é direcionado ao vereador por Cuiabá Deucimar Silva, que deixou o DEM para ingressar no PP em 1º de outubro. Se Deucimar perder a vaga, assumirá a primeira suplente Márcia Campos, irmã do senador Jaime Campos. O diretório dos democratas promete esconjurar mais 14 parlamentares infiéis.

     Outras seis impugnações movimentaram o protocolo do TRE. O PSB requereu a vaga do vereador Éden Capistrano, que se afastou da Câmara de Cuiabá para ficar à frente da secretaria municipal de Meio Ambiente. Para impedir que o primeiro suplente, Dilemário Alencar, que trocou o PSB pelo PTB, seja beneficiado, os socialistas se adiantaram e também reclamaram a cassação do dissidente. Se o TRE acatar os requerimentos do PSB, assume o terceiro suplente Adjane da Silva Prado. Aliás, Adjane tem mais pressa que o seu partido, pois quando o PSB solicitou a vaga de Éden, o suplente já havia assinado a petição junto ao TRE. O segundo suplente Hélio Pimenta Braga ficará a ver navios, pois também tem seu nome inserido na lista dos "traidores". Ele se filiou no PP.

     Do diretório do PMDB de Chapada dos Guimarães, veio dois pedidos de cassação que ameaçam o vereador Oswaldo de Arruda Garcia e o suplente Raudinei Benedito Barbosa, o Satito. Os dois foram eleitos pela sigla, mas hoje estão filiados no PV. Além de Oswaldo, o vereador Nilo Ivo da Costa também pode sofrer as consequências de sua infidelidade partidária, mas o PMDB avisa: esta é uma ação interposta de forma autônoma.

     O líder comunitário José Benevides da Costa, o Tito, está ávido por uma vaga de vereador pela Capital. Sua empolgação com a decisão do TSE é tanta que, mesmo na condição de nono suplente, protocolou pedido de perda de mandato do vereador titular Helny de Paula. O presidente da MTGás trocou o PPS pelo PR. Hoje, Chico 2000 é quem está na cadeira de Helny. Chico não perderia a vaga, pois deixou o PPS para ingressar no PR antes de 27 de março.

    Nesta quarta, houve mais uma contestação. Um requerimento feito pelo PSDB de Brasnorte pede o mandato do vereador Wanderley Campagnoni. Ele ingressou no PR no final de outubro. O TRE tem 60 dias para tomar decisão.

   Assembléia

   Nesta quinta, a direção do PMDB se reúne para decidir se ingressa ou não com pedido de cassação do deputado estadual Walter Rabello, que fugiu para o PP. Já está definido que o partido não cumprirá o acordo com Rabello e proporá ação para empossar na cadeira o suplente Nilson Santos, de Colíder. (Simone Alves)

    Parlamentares infiéis com pedidos de cassação já protocolados no TRE/MT

nomes municípios partidos
Deucimar Silva Cuiabá trocou DEM pelo PP
Éden Capistrano Cuiabá trocou PSB pelo PMDB
Dilemário Alencar Cuiabá trocou PSB pelo PTB
Helio Pimenta Cuiabá trocou PSB pelo PSDB
Oswaldo Garcia Chapada dos Guimarães trocou PMDB pelo PV
Raudinei Benedito (Satito) Chapada dos Guimarães trocou PMDB pelo PV
Wanderley Campagnoni Brasnorte trocou PSB pelo PSDB
Helny de Paula Cuiabá trocou PPS pelo PR
   


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/