Quinta-Feira, 08 de Novembro de 2007, 16h00
DEBATE
Deputados e artistas temem fusão de secretarias


    A proposta ainda camuflada do governo Blairo Maggi de fundir as secretarias Cultura, Turismo e Esporte e Lazer tem motivado discussões entre deputados e os segmentos da cultura. Na última terça, por exemplo, o deputado Carlos Avalone (PSDB) usou a tribuna para criticar o pré-projeto, ainda sob estudo pelo núcleo do governo. “Estou ouvindo rumores e conversas sobre a fusão e isso está tomando corpo. Vejo muitas pessoas preocupadas com este assunto. As secretarias de Cultura e de Turismo foram criadas durante o governo Dante de Oliveira para fomentar essas duas áreas e não tem sentido esse retrocesso", avisou o tucano, que ocupa hoje a vaga de parlamentar no lugar de Guilherme Maluf, secretário de Saúde da Capital.

    Para Avalone, "os rumores não são de graça". Observa que essas especulações advêm de um estudo que deve estar em andamento. "Usar argumentos como gastar menos para fazer mais é tratar a Cultura, por exemplo, num patamar inferior ao das demais secretarias”.

     O vice-líder do governo na Assembléia, deputado Alexandre Cesar (PT), também confirma que a discussão permeia os gabinetes do Palácio Paiaguás. “Tem-se cogitado. Não há estudo sobre o assunto. Não tem lógica tal fusão porque são esferas que possuem políticas diferentes. Eles podem dialogar, mas não se unirem de vez”.

     A fusão das pastas resultaria na criação de uma supersecretaria e já teria até um nome para conduzir a nova estrutura: Pedro Nadaf - clique aqui e saiba mais. Os segmentos da cultura estão se movimentando, com vistas a impedir as mudanças. Eles estão buscando as vias diplomáticas ao procurar apoio dos parlamentares, mas se o governo confirmar e insistir na fusão prometem mobilizar a sociedade.

    O Fórum de Cultura, que discute políticas públicas para o setor, não concorda com a fusão. "Somos totalmente contra. Manifestamos na Câmara Setorial Temática de Cultura na Assembléia Legislativa. O governo não se manifestou em público, mas nós já estamos nos mobilizando", diz Ahmad Jarrah, gestor do núcleo Audivisual do Espaço Cubo e colaborador do Museu da Imagem e do Som de Cuiabá (Misc). (Simone Alves)


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/