Quarta-Feira, 20 de Fevereiro de 2008, 17h59
SEGURANÇA PÚBLICA
Delegado Anderson também é cotado à Sejusp


   Surge, além do major PM Eumar Novacki, um outro "candidato" à cadeira de secretário de Justiça e Segurança Pública, no lugar do demissionário Carlos Brito. Trata-se do delegado de polícia Anderson Aparecido dos Anjos, gerente de Serviço de Inteligência.

   Seu nome começa a ganhar força nos bastidores junto ao Palácio Paiaguás. As primeiras referências que chegam ao governador Blairo Maggi apontam Anderson como um delegado que mantém uma relação estreita com o Ministério Público, conta com boa articulação junto à Polícia Militar e não tem ligação com nenhum dos grupos da polícia. Carrega também no currículo experiência, inclusive em trabalhos de investigador em São Paulo e com especialização na área de segurança.

  Perguntado se havia recebido convite oficial com vistas a integrar o primeiro escalão do governo Maggi, o delegado se mostrou surpreso. "Isso é novidade para mim. Não estou sabendo de nada. Desconheço".

    O governador ainda não anunciou oficialmente quem será o substituto de Brito, que enfrenta resistência de um grupo de deputados. Denúncias de corrupção na Sejusp teriam deixado o secretário numa saia-justa. Nesta quarta, o secretário-chefe da Casa Civil, João Malheiros, se reuniu com Brito e, sob orientação do governador, solicitou que o colega pedisse exoneração. Brito, que já havia sinalizado nesse sentido, reagiu. Disse que só entregará o cargo diante de uma nova conversa com Maggi.

(Às 18h12) - Novack enfrenta resistência; juíza é opção

Foto: Edson Rodrigues/Secom  O militar  Eumar Roberto Novacki, ajudante de Ordens de governador Blairo Maggi, enfrenta resistência dos próprios militantes enquanto optação para o cargo de secretário de Justiça e Segurança Pública, principalmente dos tenentes-coronéis e coronéis, que não aceitam, por uma questão hierárquica, serem comandados por um major. Diante do impasse, Novack já teria comunicado ao governador que não tem interesse em assumir o posto. Na história dos 170 anos da PM de Mato Grosso, nunca aconteceu de um major virar secretário de Justiça e Segurança Pública.

   Fontes revelam que a juíza Maria Herotides, da Comarca de Várzea Grande, fora convidada para assumir a Sejusp. Quem a procurou como porta-voz do governador Maggi fora nada menos que a primeira-dama do Estado, Terezinha Maggi, secretária de Trabalho, Emprego, Cidadania e Assistência Social. A magistrada pediu uma trégua para dar uma resposta.

(Às 20h12) - Grupo articula nome de Orestes para a pasta

    Começou nesta quarta um movimento no sentido de reforçar o nome do coronel PM, Orestes Oliveira, secretário-chefe da Casa Militar, para assumir a secretaria de Justiça e Segurança Pública. Emissários já bateram até a porta do governador Maggi no sentido de convencê-lo a escolher Orestes com vistas a substituir o demissionário Carlos Brito.


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/