Terça-Feira, 11 de Março de 2008, 08h05
ÁGUA BOA
Em desvantagem, petista é o principal adversário


 Se as eleições fossem hoje, o prefeito de Água Boa, Maurício Cardoso Tonhá (PR), o Maurição, bateria todos os adversários e seria reeleito com 65,6% dos votos. É o que aponta a pesquisa Mark feita nos últimos dias 26 e 27 de fevereiro em 12 bairros do município. A aceitação ao nome do prefeito se mantém há 10 meses, quando já liderava com quase 40% das intenções de voto - leia mais aqui. A margem de erro é de 3,5% para mais ou para menos. O republicano aparece à frente em 11 amostragens estimuladas.

   Em segundo lugar figura o ex-vereador Edilson Penthof (PT), bastante atrás de Maurição. Foi citado por 12,8% dos 227 entrevistados pela Mark. Já o vereador Sandro Lúcio Aleixo, o Papagaio (PSDB) é preferido por 7% do eleitorado, enquanto o empresário Beto Basso (PMDB) aparece como lanterna com 4,4%. Num outro cenário sem Beto Basso, Maurição permanece à frente com 66,5%. Nesse quadro tem a inclusão do nome do empresário Naévio Basso (PMDB), que foi lembrado por 3,1%.

   Na estimulada 03, em que aparecem como concorrentes Maurição, o ex-prefeito Luiz Elias Abdala (DEM), Edilson e Papagaio, o prefeito republicano sairia vitorioso com 62,1%. Maurição também aparece em vantagem num quadro sem o nome de Abdala e com participação do vereador Ari Zandoná (DEM). Detém 65,6% da preferência.

   Já numa outra simulação feita pela Mark, somente entre os dois maiores virtuais candidatos (Maurição e Edilson), o prefeito é tido como preferido por 69,6% em detrimento ao nome de Edilson (18,5%). Em seguida, o atual prefeito bateria o eventual adversário Beto Basso com uma frente ampla: 70,5% a 12,8%. O ex-prefeito de Água Boa, Celso Carvalho (PMDB) também perderia para Maurição, com uma desvantagem de 60 pontos percentuais (estimulada 07).

  Por sua vez, Naévio seria derrotado num suposto confronto com o prefeito. Perderia com 5,7% dos votos, enquanto o seu virtual concorrente teria 75,3%. Para 72,7% dos entrevistados pela Mark, o prefeito deveria ser reeleito, caso disputasse a prefeitura com Papagaio, que foi mencionado por 10,6% do eleitorado. Já numa disputa com Abdala, reduziria alguns pontos percentuais de Maurição, porém continuaria à frente. Seria reconduzido à cadeira com 66,1%, ao passo que Abdalla teria 20,3%.

    Num confronto só com Ari Zandoná e Maurição, o prefeito seria reeleito com 78%, enquanto Ari teria 4,8% dos votos.


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/