Quinta-Feira, 29 de Maio de 2008, 10h21
INVESTIGAÇÃO
Defesa de Chica pede trégua para se pronunciar


Deputada Chica Nunes (PSDB) é acusada de desviar R$ 6,9 milhões da Câmara  A defesa da deputada Chica Nunes (PSDB), que se vê no olho do furacão, deve se pronunciar nos próximos dias. O advogado da parlamentar, Ricardo Almeida, conta que pediu cópia do inquérito ainda na terça para analisar todo documento e, só depois, vai se manifestar publicamente. “Ainda não posso falar nada porque não tive acesso aos laudos da polícia. Tudo que falar agora será precipitado, porque as informações que tive foram através da imprensa”.

  Ele conta que Chica Nunes precisou viajar nesta quarta, mas ponderou que tudo já estava programado. Ex-presidente da Câmara Municipal de Cuiabá de 2005 a 2006, a hoje deputada já tinha problema com a justiça eleitoral. No ano passado foi cassada por compra de votos e se mantém no cargo por força de uma liminar. Agora terá que responder pelos crimes de formação de quadrilha, falsificação ideológica e fraudes. Os crimes, segundo a polícia, foram cometidos durante a gestão da parlamentar à frente do legislativo cuiabano. Após 10 meses de investigação, o inquérito policial concluiu que houve um rombo de R$ 6,9 milhões.

  Além de Chica, a polícia detectou a participação do marido da parlamentar, ex-vereador Marcelo Ribeiro, pré-candidato pelo PP à Prefeitura de Barão de Melgaço, do ex-secretário de Finanças, Gonçalo Botelho Filho, de dois irmãos de Chica (Benedito Élson Santana Nunes e Élson Benedito Santana Nunes), além de Silas Lino de Oliveira - acusado de ser o operador do esquema. Ele era o responsável por realizar o saque do dinheiro no banco e constituir empresas fantasmas. Além deles, estão envolvidos no esquema Ana Maria Franco de Barros e Alessandro Roberto Rondon de Brito, que era secretário da Câmara na época. (Alline Marques)


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/