Quinta-Feira, 31 de Dezembro de 2009, 17h57
Palácio Alencastro
Sílvio deve substituir Celcita; PP quer a vaga



Sílvio Fidélis e o seu chefe Chico Galindo posam para fotografia na entrega de Título de Cidadão Mato-Grossense
Foto: Ronaldo Mazza

  O professor Sílvio Fidélis, ex-presidente da extinta Fundação de Promoção Social (Prosol) no primeiro mandato do governo Blairo Maggi, é o mais cotado para assumir a pasta de Assistência Social e Desenvolvimento Humano de Cuiabá. Sua indicação partiu do próprio prefeito em exercício Chico Galindo. Deve substituir a ex-deputada federal Celcita Pinheiro, que  já está demissionária. Ela resolveu entregar o cargo e comunicou a decisão tanto ao prefeito Wilson Santos (PSDB), que está licenciado por 15 dias, quanto a Galindo. Celcita continua no posto até o retorno de Wilson, no início de janeiro - leia mais aqui.

   Filiado ao PTB, Fidélis é hoje assessor direto de Galindo. Ele exerce essa função desde 2006, quando Galindo foi eleito deputado estadual. Atuou como assessor parlamentar na Assembleia do empresário e irmão do reitor da Unic Altamiro Galindo e, depois, foi junto para o Palácio Alencastro com o hoje vice-prefeito e secretário de Planejamento Orçamento e Finanças. Sílvio Fidélis tem experiência na área social. No início da gestão Maggi, a partir de 2003, comandou a Prosol e atuava muito próximo da primeira-dama Terezinha Maggi, secretária estadual de Emprego, Trabalho, Cidadania e Assistência Social. Depois, ambos entraram em divergências e Fidélis deixou o governo.

    Mesmo com toda sinalização para Sílvio Fidélis vir a ser o próximo integrante do primeiro escalão, a bancada do PP na Câmara Municipal começa a se articular para indicar o substituto de Celcita, que é filiada ao DEM e assumiu a secretaria sob indicação pessoal do próprio prefeito. O partido tem como representantes o presidente da Câmara, Deucimar Silva, Éverton Pop e Levi de Andrade. Houve acordo entre eles para cada um indicar um nome e entregar a lista tríplice ao prefeito. Hoje o PP só conta com um cargo no staff, que é ocupado pelo advogado João Emanuel, diretor-presidente da Agência de Habitação. A chance do partido de Deucimar, Pedro Henry e José Riva "emplacar" um nome para a área social da Capital aumenta se a legenda integrar o arco de alianças em torno da candidatura de Wilson a governador. De outro lado, é maior a chance de Sílvio ser oficializado no cargo porque é indicação de Galindo, que se prepara para assumir de vez o Palácio Alencastro a partir de 4 de abril, quando Wilson deve renunciar com vistas a disputar o Paiaguás.


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/