Quarta-Feira, 10 de Setembro de 2008, 08h37
LEGISLATIVO
Franša se irrita com veto da CCJ e rasga projeto


 O deputado Roberto França (sem partido) "roubou" a cena na sessão noturna desta terça, sob risco de responder até por quebra de decoro parlamentar. Irritado com o parecer da Comissão de Constituição e Justiça, contrário a um de seus projetos, ele subiu a tribuna e fez um discurso duro contra os assessores jurídicos. No final, num recado a Francisco (Chico) Monteiro, um dos integrantes do quadro jurídico, França rasgou o seu projeto e jogou os papéis para cima.

  O discurso explosivo de França levou a Mesa Diretora a encerrar a sessão de imediato. A equipe da TV Assembléia, sob Wanderlei de Oliveira, preocupada com a cena, mandou até apagar as imagens em que França aparecia "dando show". O parlamentar ficou irritado porque entendia que o seu projeto voltado à área da educação deveria receber parecer favorável da CCJ, que avalia a constitucionalidade das propostas. "A Assembléia existe para atender aos deputados", esbravejou França, rasgando o seu projeto em pedaços e jogando-os sobre a Mesa Diretora.

   Os seus colegas parlamentares não se manifestaram até agora sobre a possibilidade de acionar França por quebra de decoro. Ele não é o primeiro a perder o controle emocional durante discurso. O deputado licenciado Zé do Pátio (PMDB), numa discussão acalorada com o petista Alexandre Cesar e sob gritos, chegou a jogar seu projeto para o alto, vindo a encostar num copo e derramar água sobre a Mesa Diretora.

   França é ex-deputado federal e foi prefeito de Cuiabá por dois mandatos consecutivos (1997/2004). Também foi estadual. Nas eleições de 2006, não conseguiu se eleger pelo PPS. Os 19.521 votos obtidos deixaram-no na segunda suplência da aliança PPS/PFL, que elegeu 10 deputados. Com quatro licenças consecutivas do titular Gilmar Fabris (DEM), França se mantém deputado há praticamente dois anos.

(Às 9h45) - Argumentos são fajutos, alega deputado

  O projeto de França rejeitado pela CCJ defendia a implantação de oficiais nas escolas da rede pública estadual em período integral. França argumentou que trata-se de uma proposta que já vem sendo implantada pelo governo federal. Ele contrapôs também o argumento de que é inconstitucional devido à invasão de competência e que iria gerar despesas. "Não se trata de gerar desespesas porque o projeto estabelece parcerias. Existe predisposição da Comissão (CCJ) em prejudicar nossos projetos", disparou o deputado.

  Irritado, França, num recado a Chico Monteiro, disse que vai desmascarar assessores que usam dois pesos e duas medidas e que privilegiam deputados que puxam o saco com pareceres favoráveis a  projetos. "Não posso aceitar que meia-dúzia que se intitula dono dessa Casa. É por isso que vem uma enxurrada de projetos vetados pelo governo, desmoralizando a Assembléia". Em outro momento do discurso, França disse que não vai alisar ninguém e chegou a dizer, sem citar nomes, que "alguns assessores jurídicos entraram em cargos na AL pela janela e pela porta do fundo". "A CCJ deveria ter vergonha de ver essa enxurrada de vetos, com esses advogados desqualificados. Não devo e não como no cocho de nenhum deles. Isso é sacanagem. Ou a CCJ atua com imparcialidade e no cumprimento da lei ou vamos trocar todo mundo" ameaçou França.

  Ao final do pronunciamento, ele se dirigiu ao assessor jurídico Chico Monteiro, rasgou o seu projeto e jogou pedaços de papéis para o alto.

Clique no play e veja a bronca de frança


Fonte: RDNEWS - Portal de notÝcias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/