Domingo, 31 de Dezembro de 2017, 09h25
Retrospectiva
Mato Grosso perde figuras históricas em 2017; Sarita, Aecim e Pedrossian entre os principais

Valérya Próspero

selo_retrospectiva2017

O ano de 2017 foi período de perda de figuras histórias que se destacaram na política de Mato Grosso. Entre os nomes de peso estão a ex-prefeita de Várzea Grande Sarita Baracat, o ex-prefeito de Cuiabá Aecim Tocantins e o ex-governador Pedro Pedrossian, além do ex-deputado federal Amador Ataíde Gonçalves Tut, o Amador Tut.

Em 18 de junho, falecia o professor Aecim Tocantins, aos 94 anos, uma das mais importantes personalidades de Cuiabá. Ele havia sido internado com pneumonia, mas sofreu duas paradas cardíacas e não resistiu. Aecim foi eleito vice-prefeito de Cuiabá, mas chegou a comandar a Capital por algumas vezes. Participou da história política de Cuiabá, tendo sido vereador e presidente da Câmara na década de 1950, vice-prefeito.

Com 76 anos, morreu, em 30 de julho, o ex-deputado federal Amador Tut, de infarto. Empresário do ramo dos transportes, foi eleito deputado estadual pelo extinto Partido Liberal (PL) em 1990. Depois de três mandatos na Assembleia, Tut foi suplente de deputado federal pela mesma legenda, em 2002. Chegou a assumir em 2004, na vaga de Wellington Fagundes (PR), que saiu candidato a prefeito de Rondonópolis.

Reprodução

sarita baracat

Ex-deputada estadual Sarita Baracat morreu em outubro após uma parada cardíaca

O ex-governador Pedro Pedrossian morreu, aos 89 anos, em 22 de agosto, em Campo Grande. Esteve à frente do Executivo estadual entre 1966 e 1971. Ele era o último governador vivo da época em que os dois estados vizinhos ainda eram um só.

Segundo biografia publicada na Fundação Getúlio Vargas, entre as ações do ex-governador está a construção da ponte Júlio Müller, sobre o rio Cuiabá, além de ter fundado duas universidades, a Federal de Mato Grosso, em Cuiabá, e a Estadual de Mato Grosso (do Sul), em Campo Grande.

Sarita morreu em 9 de outubro após ter uma parada cardíaca aos 86 anos. Ex-deputada estadual (entre 1978 e 1982), ela marcou época. Entrou para a história de Mato Grosso como a segunda mulher a ocupar um cargo público no Executivo do Estado. Foi entre 1967 e 1970, quando tornou-se prefeita da cidade onde viveu a maior parte da vida.

Outras figuras da velha guarda que se foram são o ex-secretário de Segurança Pública do Governo Dante de Oliveira, delegado aposentado Aldemar de Araújo Guirra, de 75 anos. O procurador de Justiça aposentado, Fadel Tajher Iunes, morreu em 19 de setembro, aos 82 anos, de infarto. Iunes foi membro do Ministério Público de Mato Grosso, antes da divisão do Estado. Após a divisão, optou em seguir a carreira no órgão fiscalizador de Mato Grosso do Sul.

Outras mortes

Além de figuras históricas, Mato Grosso também perdeu outros gestores públicos, jornalistas, artista, além de registrar casos que causaram choque ou comoção na população.

O ex-secretário estadual de Desenvolvimento do Turismo (extinta Sedtur) e presidente do diretório do PMDB de Rondonópolis, Jairo Pradela, morreu aos 54 anos em 28 de outubro. Ele lutava contra um câncer no fígado. Em 21 de julho morria o presidente da Companhia Mato-Grossense de Gás (MT Gás), Marci Areias, 73, em Cuiabá.

Reprodução

pedro pedrossian

 Desbravador, o ex-governador Pedro Pedrossian morreu aos 89 anos, em MS

Faleceu também, em 24 de abril, aos 60 anos, a ex-primeira-dama de Rondonópolis, Rose Sachetti, esposa do ex-prefeito e deputado federal Adilton. Ela vinha lutando contra um câncer de mama e depois uma leucemia. O vereador Livônio Paulo Brustolin (DEM), 52 anos, eleito nas últimas eleições em São José do Rio Claro, morreu em um acidente ao receber uma carga elétrica enquanto operava um pulverizador na propriedade rural. 

O ex-vereador de Colniza Elpídio da Silva Meira (PR), de 53 anos, foi executado com três tiros no tórax dentro da residência em 16 de março. Cerca de 9 meses depois o prefeito da cidade Esvandir Antonio Mendes, o Vando Colnizatur (PSB), de 61 anos, foi assassinado a tiros possivelmente por conta de dívidas. Cinco pessoas foram indiciadas pelo crime ocorrido em 15 de dezembro.

Faleceu em 23 de dezembro o artista plástico Nilson Pimenta, 60 anos, em razão de infarto. O artista também tinha diabetes. 

Outra morte que causou comoção, agora em Rondonópolis, foi do ciclista Lukas Jhones Rossi de Almeida, de 21 anos, assassinado com três tiros a queima roupa, em 10 de janeiro. A vítima representava Mato Grosso em competições e possivelmente foi alvo de latrocínio (roubo seguido de morte).

Neste ano, Cuiabá perdeu três jornalistas. Gonçalo José Fernandes, o Jê Fernandes, morreu aos 72 anos por uma embolia pulmonar e trombose. Jê fundou o Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso e o Jornal do Ônibus. Aos 57 anos, morria a jornalista e técnico-administrativa da UFMT, Maria Santíssima de Lima, vítima de câncer. Ela atuava na Universidade desde 1988. Francisco Borges, 34, faleceu após sofrer parada cardiorrespiratória.


Fonte: RDNEWS - Portal de notícias de MT
Visite o website: https://www.rdnews.com.br/