• G. Campos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

  • kaka | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Começou ! Começou ! Ontem eu fiz um comentario aqui que isto não ia dar em nada, e não vai dar !!! Este Brasil está uma piada ! Alguem se lembra ai oque deu o Caso Renan Calheiros ?

  • joao | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

  • Francisco Delmondes Bentinho | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Grandes coincidências vem acontecendo nas adaministrações públicas matogrossenses, vejam algumas:
    Câmara Municipal de Cuiabá - dois mandatos, dois atos de currupção em investigação, o primeiro envolve a hoje deputada Chica Nunes, com aproximadamente mais de R$ 6 milhões, segundo notícias veiculadas na mídia; segundo caso, este em evidência, que é o do envolvimento do vereador Lutero, que está sendo investigado, segundo o noticiário; terceiro, o caso da prefeitura municipal de Marcelândia, que sob o comando do então Geovani Marchetto, (Calnago), com prejuizo auditado em mais de R$ 6 milhões de reais.
    Acreditem e pensem em qual partido politico são filiados os dois investigados e denunciados pelo MP: Chica Nunes e Geovani Marchetto o Calango.

    Chica Nunes (PSDB)
    Calango (PSDB)
    Lutero Ponce (PMDB)
    E a grande pergunta que fica no ar, esta grana surrupiada dos cofres publicos, aliás do Zé Povinho, que paga impostos e tudo mais. Aliás são 5 (digo cinco) meses trabalhando para pagar impostos.
    E o questionamento, eles vão devolver esta grana. Nunca, pois os meios legais não os atingem em toda sua plenitude.

  • Clodoeste Pereira Kassuda Silva | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Agora eu ao entendi nada...
    Cadeia é só para os p... da vida.

    Também só levou 7 milhões do povo. Já pensou se fosse um pobre que tivesse roubado um pão. Estaria no Carumbé.

    Kassu de Água Boa

  • fabio | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    sera que se fosse um pobre coitado tambem iria ter o pedido de prisão revogado?

  • Marco Antonio Lima de Andrade | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Hiran Monteiro Filho pai de Jeferson Daltro, Superintendente da Educação Profissional do Estado de Mato Grosso e primo do Secretario Chico Daltro. Nesse mato pode ter mais coelho que imaginam. Lutero tambem era afiliado politico Secretário. Abra o olho com dinheirama da SECITEC Ministéri Público!!!!!! Se for: tal pai tal filho, estamos perdidos.

  • JUNIOR | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    E ALGUEM ACREDITA NESTA JUSTIÇA?

    AGORA SENTEM E ESPEREM O PAPAI NOEL DEVOLVE O DINHEIRO.

  • ze | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    nao vou perder mais o meu precioso tempo lendo sobre politica, tudo acaba em pizza, isso é cuiaba a cidade da copa.

  • Ronei Duarte | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Quem rouba um tostão vai para prisão,quem rouba um milhão merece perdão! É o nosso Brasil! Depois querem que os estrangeiros nos respeite e nos levem a sério!