• Sérgio Rodrigues | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Isso msm tem que enquadrar esse pessoal..onde já se viu expor essa mulher a uma situação vexatória. Ainda bem que a Justiça ainda existe em alguns casos.

  • Fernanda Siqueira | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Parabéns pela ação do juiz que interpretou de forma correta e agiu de acordo com a lei. É no mínimo bem feito ao empresário, tendo em vista o crescente desrespeito ao cidadão. BEM FEITO MESMO!!!!

  • Júlio Cesar Schimidt | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

  • Roberto Dionizio | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Se não querem o emprego, larguem a chance para quem precisa. Povinho mal educado.

  • Sandro Robson | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Quanta diferença entre esse juiz e seus parentes. Com todo respeito. O senhor enche o coração dos mato-grossenses. Ainda existe gente seria nesse estado.

  • Luiz Augusto | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Essa mulher teve sorte. Os motoristas costuman fazer mais do que apenas humilhar

  • Rosana Costa | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Esses motoristas são um bando de cavalos. Me perdoe a expressão, mas que são, são

  • Duilio Fraga | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Meu Deus. Pensei que isso era coisa de antigamente. Que absurdo uma coisa dessas acontecer hoje em dia

  • Márcia Gomes da Silva | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Esses motoristas são uns grossos, que não respeitam ninguém, nem mesmo os idosos e os deficientes. Transportam as pessoas como se tivessem carregando um monte de animais. Muito boa a decisão. Quem sabe assim eles aprendem

  • João Motorista | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    São terríveis. tenho que concordar