• Paulo Mattos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Diligentes, íntegros e sempre trabalhadores Deputados Estaduais de meu querido Estado de Mato Grosso: será que eu também não poderia ser incluido nesse listão de aposentadoria patrocinado pea Assembléia Legislativa ? Afinal já trabalhei mais de trinta anos, contribuo normalmente com a previdência e, assim como os senhores deputados e ex-deputados, também estou precisando de dinheiro, aliás, de preferência, de uma boa aposentadoria.Afinal, já que a Casa Legislativa, antecipando-se ao carnaval já instalou o seu Bloco da Alegria nas ruas do Estado, pr que não me beneficiar e assim também os milhões de trabalhadores matogrossenses que, estes sim, ralam diariamente (mas ralam mesmo) para conseguir um mínimo de sobrevivência digna? Vergonhosos nossos Deputados, indecentes mesmo, uma vez que sequer vergonha na cara possuem.

  • Paulo Mattos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Diligentes, íntegros e sempre trabalhadores Deputados Estaduais de meu querido Estado de Mato Grosso: será que eu também não poderia ser incluido nesse listão de aposentadoria patrocinado pea Assembléia Legislativa ? Afinal já trabalhei mais de trinta anos, contribuo normalmente com a previdência e, assim como os senhores deputados e ex-deputados, também estou precisando de dinheiro, aliás, de preferência, de uma boa aposentadoria.Afinal, já que a Casa Legislativa, antecipando-se ao carnaval já instalou o seu Bloco da Alegria nas ruas do Estado, pr que não me beneficiar e assim também os milhões de trabalhadores matogrossenses que, estes sim, ralam diariamente (mas ralam mesmo) para conseguir um mínimo de sobrevivência digna? Vergonhosos nossos Deputados, indecentes mesmo, uma vez que sequer vergonha na cara possuem.

  • Suzenil | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Não gostei do comentário do Paulo Matos. Vovo dizia que cada qual com seu saraqual. O duodécimo da AL não da para pagar todo mundo, apenas alguns previlegiados. Agora se vc tem inveja desse povo que esta ganhando o que vc não esta, banque o louco e coloque seu nome nas próximas eleições. Venda sua alma para o diabo, faça nepotismo e empregue todos os seus parentes, roube do povo e vá queimar nas profundezas com aconteceu com a maioria que já se foi.
    Ou simplesmente seja vc mesmo, viva todos os dias como se fosse o último, viva com parcos recursos, mas seja feliz.
    Dinheiro pode comprar momentos felizes, mas não compra a felicidade eterna.

  • ALBUCASSIS RAMIRES | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    ROMILSON,

    CREIO QUE DEVERIAMOS FAZER UMA CAMPANHA PARA QUE O TRIBUNAL DE JUSTIÇA,JULGUE OS 50 PROCESSOS ONDE O SR.BOSAIPO É ACUSADO DE TODA SORTE DE PERALTICES.

    E AI SIM, OS DEFENSORES DO SR. BOSAIPO,ENTUPIRIAM A NOSSA BOCA,INCLUSIVE A MINHA,QUE NÃO VAI CANSAR DE REPETIR QUE ELE"BOSAIPO" NÃO PREENCHE AS CONDIÇÕES MINIMAS PARA SER CONSELHEIRO,E QUE O SEU LUGAR É JUNTO COM O SEU PADRINHO E PATROCINADOR"COMENDADOR ARCANJO".

    ELE TEM PRESTIGIO SUFICIENTE COM ALGUNS DESEMBARGADORES PARA PEDIR CELERIDADE NO JULGAMENTO DOS SEUS PROCESSOS.

    ESSA DECISÃO SALVARIA O CONCEITO DO NOSSO TRIBUNAL DE JUSTIÇA E ACABARIA COM A DISCUSSÃO SE ELE É ANJO OU DEMONIO.

  • julio augusto de oliveira soares | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Romilson vc como um reporter bem informado poderia checar com suas fontes a legalidade destas aposentadorias,já que no meu humilde entender o teto para os ganhos salariais nos orgãos públicos não pode ultrapassar o salário dos ministros do STF e juntando o salario de "ilustre" membro do TCE com a aposentadoria,como "árduo" defensor do povo com grandes projetos de sua autoria ultrapassa e muito este teto e a fonte pagadora é a mesma,os nossos impostos que poderia ser melhor empregado do que alimentar a farra fisiológica.

  • mario matos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Pelo que me lembro, o FAP foi extinto, graças a uma iniciativa de Wilson Santos e da professora Serys, quando estavam na Assembléia. Como é que que essa sinecura foi remontada e agora apareça garantindo mais esse dinheirão pro bolso desse espertalhão do Bosaipo?
    Acho que o Ministério Público precisa agir para desmontar essas negociatas que são feitas com o dinheiro do povo!
    Cadê o Cearazinho??? Eu estou perplexo! Quanto golpe, quanta baixeza! Até quando esta gente vai montar no nosso lombo e explorar nosso bolso????

  • Alex | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Com pode ocorrer tamanha injustiça. Na verdade eu não quero a aposentadoria como a do senhor Bosaipo que aliás é paga mim e por outros trabalhadores (muito $$$$ para poucos e pouquíssimo para muitos). Afinal, o que será que garante uma aposentadoria tão diferenciada daquela que é recebida pelos trabalhadores brasileiros? (OPS, desculpe-me político também é trabalhador). Acho que a esperteza é uma das características que explica... A sociedade precisa manifestar-se por esta e tantas outras injustiças nesse Brasil. É Bem Mato Grosso!!!

  • Maria Luiza | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Nossa quanta inveja, direito é direito gente o Conselheiro contribuiu durante o tempo que esteve prestando serviço no legislativo nada mais justo do que receber, afinal ele pagava do seu salário.

    Na vida há tempo para tudo, tempo para plantar e tempo para colher ele está colhendo os frutos do que plantou

    E absolutamente justo!

    O pior cego é aquele que não quer enxergar

  • carlos antonio souza | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    é por tudo isto é que o pais não consegue andar pra frente, olha ai gente aonde vai o nosso dinheiro, para dar uma ajuda de 01 salario minimo para um pobre coitado é uma briga e tanta para uma aposentadoria de 12.500,00 pilas é na calada da noite se resolve, isto é mais uma vergonha que temos que aceitar, povão deste estado deste pais vamos as ruas manifestar, chega dessa aberrações.

  • Joaquim Silvério | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O inciso XI do artigo 37 da Constituição Federal é bem clara, quanto ao acumulo de remuneração:

    XI - a remuneração e o subsídio dos ocupantes de cargos, funções e empregos públicos da administração direta, autárquica e fundacional, dos membros de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, dos detentores de mandato eletivo e dos demais agentes políticos e os proventos, pensões ou outra espécie remuneratória, percebidos cumulativamente ou não, incluídas as vantagens pessoais ou de qualquer outra natureza, não poderão exceder o subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, aplicando-se como limite, nos Municípios, o subsídio do Prefeito, e nos Estados e no Distrito Federal, o subsídio mensal do Governador no âmbito do Poder Executivo, o subsídio dos Deputados Estaduais e Distritais no âmbito
    do Poder Legislativo e o subsídio dos Desembargadores do
    Tribunal de Justiça, limitado a noventa inteiros e vinte e cinco centésimos por cento do subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, no âmbito do Poder Judiciário, aplicável este limite aos membros do Ministério Público, aos Procuradores e aos Defensores Públicos;