• claudio alves sobrinho | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Para este governo comno sempre ele focaliza as suas ações, em diretivas de palavras sempre progressista- positivista, afirmando sempre que tomou as medidas necessárias para conter as anomalias no setor ambiental de MT.

    o PROBLEMA é que ações de governo duram pouco, ninguem informou as autoridades deste estado que ações tem que ser pensada como ações de Estado não de governo.

    Por isso tudo que é feito por este governo no setor ambiental não é acertado e nem vai atingir um resultado favoravel para a sociedade de MT.

    O que ouçõ pelas entranhas do governo, é que Eu soja faço isso, aquilo, aquele eu que fiz, viva a soja a soja sustenta este estado.

    Coitado das familias e pais de baixas rendas que vivem nas àreas rurais, de MT, vão continuar sem o seu titulo, sem finaciamento para desenvolver suas economias de forma sustentável, por que muitas familias são sacrificadas por uma cultura.

    que pena. Essa é uma forma de pensar egoísta. reaja meu povo. acredite no seus filhos começe a fazer a diferença cobrem de governo estudo para seus filhos para que com o estudo voces sejam digninos, e não dependa mais dessa nomenclatura, eu sou o soja todo poderoso.

  • Sidney Torres | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Caro Romilson:

    As respostas acima certamente partiram da(s) mesma(s) pessoa(s), ou extirpe; pois ambas (Curiosidade e Democratico)expressam a conduta de quem ameaça,comete assédio moral, pratica arrogância e possue sérias limitações morais.

    Sou solidário àqueles que responderam que a Polícia Federal deverá fazer algo para acabar com esse circo que virou a Sema. Acredito que ali já virou caso de intervenção federal mesmo!!!

    Se fosse competência da Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, ela já teria indicado um novo secretário, pois é notória a decepção e indignação dela em relação aos atuais gestores da Sema. Porém, essa prerrogativa é do Governador Blairo "Teimoso" Maggi; que já está sofrendo as consequências da sua teimosia.Bom, avisado foi não é Excelência??

  • antonio barreto dos santos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Uma coisa é certa. A ganância e fome para ganhar dinheiro não dá para conciliar com responsabilidade ambiental. Isso vale para gestores inescrupulosos que usam instituição pública para praticarem ações (aprovação de projetos de desmatamento irregulares) visando atingir objetivos pessoais; serve também para politicos que para influenciarem na gestão ambiental do Estado nomeiam um monte de gente despreparada para exercer cargos técnicos; e serve também para empresários gananciosos, loucos para ganhar dinheiro, nem que tenha que derrubar toda a floresta e matar todos os animais, o que importa para eles é dinheiro na conta para comprar camionete ou para comprar outra propriedade rural, e aí começar todo o ciclo novamente. Enquanto isso, nós, a sociedade, ficamos assistindo esse espetáculo grotesco que todo ano se repete, com cada vez cenas mais explícitas do uso da máquina governamental para manter esse estilo de "desenvolvimento" do nosso Estado. Como mudar isso? primeiro, a sociedade deve tomar conhecimento do que está acontecendo, dos interesses que estão predominando neste governo, do grupo "piratas da amazônia" que tomou conta do poder público deste Estado, e depois, saber votar nas próximas eleições. Ah, ainda temos uma pequenina esperança de que as instituições sérias deste país, como a justiça federal, ministério público federal e policia federal possam efetivamente agir e punir os responsáveis, seja lá como for, governador, prefeitos, empresários, desembargadores, promotores, enfim, todos os que patrocinam ou são coniventes com a banalização do crime ambiental. esta é uma luzinha no final do túnel, mas, ainda temos essa esperança.