• Maria | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 06h37
    19
    23

    Indecente este senhor! Ilegal e imoral a atitude desesperada do senhor Mauro Mendes. O Sintep é uma entidade sindical. Seus recursos financeiros lhe são conferidos por seus filiados e filiadas por livre vontade. O Estado deve arcar com o dever de fornecer educação aos seus cidadãos e cidadãs com recursos determinados pela lei. Se ele não consegue cumprir leis e pensa que o Estado é simplesmente uma das suas empresas, deve renunciar. Vá administrar as suas empresas, senhor Mauro Mendes! O Estado é outro organismo, bem diferente do que a sua pouca inteligência consegue absorver! Tire as mãos dos recursos do Sintep que não lhe pertencem e nem ao Estado!

  • Iury Lara | Terça-Feira, 18 de Junho de 2019, 23h53
    15
    19

    Quanto abuso de poder. Inconcebível a atitude desse governador tirano/autoritário! Não esqueceremos de você Mauro Mendes, nos aguarde nas próximas eleições.

  • aloísio | Terça-Feira, 18 de Junho de 2019, 23h12
    14
    3

    Impressiona como nossas relações são permeadas pelo dinheiro. As pessoas, independentemente de posição social conhecem essa realidade e se utilizam desse expediente para tomarem suas decisões, levarem vantagem. Isso até lembra a lei de Gérson: "levar vantagem em tudo...!

  • Citizenship | Terça-Feira, 18 de Junho de 2019, 23h03
    13
    16

    Essa determinação de subtrair a arrecadação do sindicato para pagar locomoção de alunos é uma completa loucura. Que lei estabelece subtrair receita sindical por causa de greve? Ou trata-se de multa? Que lei autoriza vincular receita subtraída do sindicato a uma despesa estatal específica? Ou uma multa a uma despesa específica do governo? Juiz pode impor penalidades previstas em lei. Não pode inventar o que a lei não diz. Houve algum acordo? Mas a decisão do sindicato não é manter a greve? Greve no serviço público é permitida por lei, resguardada a prestação de serviço em 30% do serviço regular. O juiz inverteu a lei antes do processo encerrar-se?

  • Todeolho | Terça-Feira, 18 de Junho de 2019, 22h36
    17
    12

    Que reposição? Não está descontando os dias parado? Se está, ninguém vai trabalhar de graça! Vai pagar a parte os dias de reposição? Ou vai contratar outro profissionais para repor as aulas?