• Teka Almeida | Sexta-Feira, 27 de Março de 2020, 09h00
    7
    0

    Vejam a incoerência!!!! Circula na tv uma propaganda VERGONHOSA do TCE onde diz que com a fiscalização conseguem economizar para o estado R$ 5,29. Economizar????!!! É vergonhosa a forma de escolha de conselheiros, é vergonhoso o subsidio, é vergonhoso os penduricalhos, é vergonhoso membros afastados por corrupção, é vergonhosa a verba indenizatória aprovada. Depois acham ruim quando a população chama de TRIBUNAL DE FAZ DE CONTAS. Um órgão sem quê nem para quê, desperdício do dinheiro público.

  • Josualdo Ferreira | Quinta-Feira, 26 de Março de 2020, 21h36
    5
    0

    Materiazinha sem vergonha essa. O limite de gasto com pessoal para os estados é divido da seguinte forma: 49% para o Poder Executivo, 6% para o Judiciário, 2% para o Ministério Público e 3% para o Poder Legislativo, incluindo o Tribunal de Contas que é um órgão auxiliar do legislativo. Desses 3% ficam 1,77% para a Assembleia Legislativa e 1,23% para o Tribunal de Contas. Então o TCE tem que se ajustar para voltar aos 1,23% que foram ultrapassados. Esses percentuais somados dão 60% que o estado, como um todo, pode gastar com pessoal. Esse percentual incide sobre a receita corrente líquida e não sobre a receita total do estado. Por exemplo: Em 2018 a Receita Total do estado foi de R$ 21,4 bilhões e a Receita Corrente Líquida foi de R$ 15,3 Bi. Assim o percentual de 60% foi aplicado sobre R$ 15,3 Bi.

  • Maria Madalena | Quinta-Feira, 26 de Março de 2020, 21h28
    3
    0

    Presidente Guilherme Maluf o tribunal de contas precisa fazer este corte urgentemente, pois a crise financeira que o estado e o mundo está passando não é brincadeira, estou convicta assim como os cidadãos de mato grosso estão na sua administração frente ao tribunal de contas, é necessário diminuir metade dos cargos comissionados e contratados