• J. Quest | Terça-Feira, 07 de Dezembro de 2010, 19h18
    0
    0

    Um erro atrás do outro. Não tem status de secretário e muito menos chefe de poder; já que defensoria pública não é poder. É uma importante instituição com independência e autonomia, com base constituicional; mas não é poder, assim como o MP não é (instituição essêncial à justiça etc).

  • Marcio | Terça-Feira, 07 de Dezembro de 2010, 16h52
    0
    0

    O Governador não precisa escolher o primeiro por um motivo simples: essa votação é mera formalidade, afinal a prerrogativa de escolha é totalmente do Governador a partir do recebimento da lista tríplice. A lista indica que os três são competentes para ssumir o cargo, e de fato, realmente são. Djalma ou Prieto são bons quadrose orgulhamo-nos de tê-los como defensores. Dizer que o Governador precisa escolher o Prieto para respeitaradecisão da maioria é ridículo! A maioria deve saber que qualquer um deles será bom para a instituição, e isso eu tenho certeza. Ao colocar críticas desse porte, os leitores não ajudam a fortalecer a Defensoria. Ao contrário, apenas lançam sombras sobre a instituição. Esse argumento em favor do Prieto força um bocado a barra, assim como as assinaturas em pról do Djalma. O Governador a meu ver deveria escolher o Djalma em funçaõ do que ele já fez e provou ter capacidade para fazer. Mas isso não torna o Prieto incapaz. Temos de louvar a defensoria por ter quadros tão bons em suas fileiras. Eu não queria estar na pele do Silval, não pela decisão, mas por que os Defensores estão equivocados em tentar descreditar este ou aquele candidato. Governador: escolha o que melhor nos represente. O povo precisa e os dois que estão para ser escolhidos são bons e tem seus predicados e falhas, afinal, são meramente humanos. Leve em consideração que os dois são pessoas sérias e integras. O povo aplaudirá de qualquer forma sua decisão e tenho certeza, terá respeito por sua decisão. Peço aos defensores e aos que desse meio fazem parte que louvem aos dois. O contrário enfraquecerá não um grupo político, mas sim a instituição como um todo.

  • JUCA | Terça-Feira, 07 de Dezembro de 2010, 14h41
    0
    0

    Gente,a Defensoria Pública òrgão defensor dos direitos democráticos do cidadão , deveria a primeira a dar o exemplo, respeitando o resultado apontado pelos seus operadores.