Judiciário

Sábado, 11 de Setembro de 2010, 12h:00 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:27

JUDICIÁRIO

16 já desistem do concurso; próxima etapa é no domingo

16 desistem na 2ª fase do concurso; próxima etapa é neste domingo

   O índice de faltosos na segunda etapa do concurso público para ingresso na magistratura, que aconteceu neste sábado (11), foi de apenas 7%. Conforme a gerente setorial de concursos públicos, Gislene Maria Brun, o percentual é baixo, já que corresponde a 16 dos 231 candidatos habilitados para a fase que consistia na lavratura de sentença de natureza cível. Ela explica ainda que eles são automaticamente considerados desclassificados.

   Conforme o presidente da comissão do concurso, desembargador Rui Ramos Ribeiro, nessa etapa serão avaliados acertos na solução da questão, poder de síntese e condições satisfatórias do vernáculo. A prova será corrigida pelos três magistrados integrantes da comissão, composta, por Rui e pelos desembargadores Luiz Ferreira da Silva e Clarice Claudino da Silva (membros), além do advogado João Norberto Almeida Brito, representante da OAB-MT.

   O presidente da comissão explica que o candidato deve ter um índice de acerto mínimo de 60% nessa primeira prova da segunda etapa, para estar habilitado para a correção da segunda prova, que acontece já neste domingo (12), quando serão avaliado quanto à lavratura de sentença penal. Como nas etapas anteriores, os candidatos desclassificados poderão recorrer da decisão.

   “Não estamos desprestigiando ou desmerecendo outras carreiras, mas um concurso para magistrado não permite um certame rápido ou de poucas fases”, destacou Rui Ramos. Ele lembrou que, após a realização das provas, os candidatos habilitados ainda passarão quatro meses na Escola Superior da Magistratura de Mato Grosso (Esmagis-MT). Nesse período eles terão avaliados não apenas o conhecimento jurídico, mas a vocação, a fim de se observar se eles possuem ou não afinidade com a atividade judicante.

   Polêmica

Desembargador Rui Ramos   O processo para o preenchimento de 43 vagas de juízes em Mato Grosso foi, até agora, recheado por polêmicas. Até o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) precisou intervir na “briga” porque 16 provas simplesmente sumiram pouco antes da correção na primeira fase. O TJ chegou a criar a "Comissão do Concurso Público para Ingresso na Magistratura do Estado", mas o clima "azedou" logo no início. O desembargador Juvenal Pereira da Silva não gostou das explicações dadas pelo presidente da comissão, desembargador Rui Ramos. Ele justificou o sumiço alegando que houve “falha humana”.

   Conforme a versão apresentada por Rui Ramos, o problema na correção foi detectado quando a direção realizava uma sessão pública no Plenário 2 do TJ para cruzar os dados das provas. Alegando proporcionar maior lisura ao concurso, a Comissão decidiu não identificar os cadernos com os nomes dos concorrentes. Constavam apenas etiquetas com códigos de barra. Os cartões com a identificação dos candidatos foram colocados num outro envelope, o que dificultaria privilégios. Mesmo assim, alguns concorrentes questionam a falta da correção das provas, mesmo após a localização dos cadernos que no princípio foram dados como extraviados.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Levi | Sexta-Feira, 01 de Outubro de 2010, 09h36
    0
    0

    É verdade, vamos ver quantos filhos de magistrados, sobrinhos, irmãos, assessores e amigos vão passar no concurso, geralmente essas pessoas tem uma inteligência ímpar...

  • LAURA | Terça-Feira, 14 de Setembro de 2010, 14h12
    0
    0

    Concordo plenamente com você Alessadra, onde já se viu, "sumir" com 16 provas e alegar que houve "falha humana", só besta pra acreditar. O CNJ interferiu na briga, porém não deu em nada, o mínimo que podeira ter acontecido era anular o concurso e abrir licitação para que uma banca examinadora séria ficasse a frente do certame. Esse Judiciário é muito podre mesmo!!! Concurso Meia Boca...

  • Alessandra C. Arruda | Sábado, 11 de Setembro de 2010, 14h34
    0
    0

    Em pleno século 21 o preenchimento de vagas para juizes em Mato grosso, ainda e artesanal e caseira.Três magistrados escolhidos sabe Deus como são guinados por um Poder Supremo para fazer a correção das provas.Ora onde fica a insenção deste concurso e a sua credibilidade.O Poder judiciário tá mais podre que um chiqueiro.Será que ainda não chegou a informação de que há institutos sérios com profisionais da mais alta competência que realizam essas provas com a maior competência e seriedade, gozando de prestigio e credibilidade para aplicar e corrigir as provas sem necessidade de se apelar para comissões caseiras e desprovidas de credibilidade.É o fim....

Com certidão pra disputar 1ª suplência

dito lucas 400 curtinha   Filiado ao Podemos, Dito Lucas (foto), que entrou de última hora como primeiro-suplente da chapa ao Senado encabeçada por José Medeiros, assegura que vai apresentar novamente sua certidão junto à Justiça Eleitoral, de modo a provar que sua candidatura é legítima....

Um novo embate entre Diane x Adair

diane alves 400 curtinha   Adair José Alves Moreira, que vinha atuando na assessoria do vice-governador Otaviano Pivetta, decidiu mesmo concorrer de novo à Prefeitura de Alto Paraguai. Ele já foi prefeito por duas vezes. Adair será o principal nome da oposição à prefeita democrata Diane Alves (foto),...

Taques ofuscado e sob mira do MPE

pedro taques 400 curtinha   Pedro Taques (foto) achou que o recall dos tempos de senador e governador, ajudando-o a se posicionar de forma razoável nas pesquisas, bem antes do início da campanha, o manteria como favorito na corrida ao Senado. Ledo engano. Não levou em consideração o alto índice de...

2 caciques não disputam Alto Garças

roland trentini 400 curtinha   Após décadas de rixas, de campanhas ostentadoras, rachas e brigas eleitorais intermináveis em Alto Garças, os ex-prefeitos Rolando Trentini (foto) e Júnior Pitucha resolveram não mais concorrer ao Executivo. Mas, um deles segue se movimentando nos bastidores. Pela...

Um ex-prefeito inelegível em Poconé

clovis martins 400   Dificilmente o ex-prefeito petebista Clovis Damião Martins (foto) terá registro de candidatura a prefeito de Poconé deferido pela Justiça Eleitoral. O promotor de Justiça, Mário Anthero, já pediu impugnação do registro do petebista por inelegibilidades. Clovis, que...

Briga em Sinop entre Juarez e Dorner

juarez costa 400 curtinha   Em Sinop, a briga eleitoral caminha para tensão e acirramento entre o emedebista Juarez Costa (foto) e Roberto Dorner (Republicanos). Hoje, o ex-prefeito seria eleito, mas Dorner vem crescendo nas adesões, com ajuda do vice de sua chapa, ex-vereador Dalton Martini (Patriota). O apoio da prefeita Rosana...