Judiciário

Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 07h:30 | Atualizado: 26/04/2019, 15h:59

DISPUTA INTERNA

18 juízes buscam vaga de desembargador

Eduarda Fernandes

Pleno do TJ - Mauro Savi

Magistrados disputam cadeira no Tribunal de Justiça de Mato Grosso

Os desembargadores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) analisaram e aprovaram as 18 inscrições de juízes para a vaga de desembargador existente após a aposentadoria de Cleuci Terezinha Chagas. O posto é dedicado apenas a membros da magistratura mato-grossense, que será preenchido pelo critério de merecimento.

Em março, o adiantou que 24 juízes tinham condições de disputar a vaga deixada pela desembargadora aposentada.

Podiam concorrer à vaga apenas os juízes que ocupam a primeira quinta parte dos mais antigos lotados na Entrância Especial, conforme determina o artigo 161 do Código de Organização Judiciária (Lei 4.964/1985).
Em data ainda a ser definida, os desembargadores farão a escolha do juiz que ascenderá ao cargo de desembargador.

Os juízes que compõem a lista para acesso ao Tribunal de Justiça são: Flávia Catarina Oliveira de Amorim Reis, Maria Aparecida Ferreira Fago, Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, Mário Roberto Kono de Oliveira, Sebastião de Arruda Almeida, Vandymara Galvão Ramos Paiva Zanolo, Paulo Sergio Carreira de Souza, Abel Balbino Guimaraes, Marcemila Mello Reis Penner, Márcio Aparecido Guedes, Valmir Alaércio dos Santos, Sinii Savana Bosse Saboia Ribeiro, Gilperes Fernandes da Silva, Jones Gattass Dias, Marilza Aparecida Vitório, Ester Belém Nunes, Paulo de Toledo Ribeiro Junior, Aristeu Dias Batista Vilella.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

AGEM entra no facão e é 2ª extinta

A Agência de Desenvolvimento Metropolitano da Região do Vale do Rio Cuiabá (AGEM), que teve como última presidente Tânia Mattos, foi extinta pelo Governo Mauro Mendes. A princípio, o MT-Par assumiria as atividades sistêmicas, os cargos, o patrimônio e as funções, mas isso se tornou inviável por questões jurídicas. Mauro então decidiu que todo o escopo da extinta agência permanecerá sob a...

Foto de Bolsonaro na urna e o arquivo

milene curtinha juiza 190   A juíza da 10ª Zona Eleitoral de Rondonópolis, Milene Aparecida Pereira Beltramini (foto), julgou um caso inusitado na última quarta, dia 15. Foi instaurado inquérito para apurar eventual crime de violação do sigilo do voto de Gerlei Batista de Jesus, que, durante o...

Solenidade da posse foi superfaturada

justino malheiros curtinha   O conselheiro do TCE-MT Luiz Henrique Lima determinou que o presidente da Câmara de Cuiabá, Misael Galvão, suspenda pagamento de R$ 19,9 mil à empresa Capriata de Souza Lima, contratada no ano passado pelo então presidente Justino Malheiros (foto) para organizar a...

Governo vai enterrar de vez o VLT

O VLT vai mesmo morrer sem nunca ter nascido. O Palácio Paiaguás decidiu que não retoma as obras, pois teria que investir mais R$ 1 bilhão, mesmo valor já consumido no projeto, e a manutenção anual chegaria a R$ 50 milhões. Além da problemática financeira de um governo que reclama falta de recursos para investimentos, ainda existe confusão jurídica, um nó muito dificil de desatar. Há três...

Apelo à consciência para evitar greve

mauro mendes curtinha   O governador Mauro Mendes tem grande enfrentamento pela frente, que é o provável indicativo de greve puxado pelo Sintep, categoria que congrega os profissionais da Educação. A categoria apresenta uma extensa lista de reivindicações e a primeira delas é por reajuste salarial e...

Vereador já "colhe" rede de inimizades

abilio 190   Devido à maneira inconsequente como conduz o mandato, gravando conversas e reuniões, invadindo salas, além de manipular dados, dissimular e provocar discussões e brigas, Abílio Júnior (foto) conseguiu, em pouco tempo, ampliar a rede de inimizades em todos os núcleos por onde passa...

ENQUETE

Tramita na Câmara Federal o projeto 832/2019, do deputado José Medeiros, requentando uma proposta de 2007 do então deputado Jair Bolsonaro, propondo extinguir o Exame da Ordem como exigência para inscrição na OAB e, assim, poder exercer a profissão. O que você acha disso?

Concordo - esse Exame tem de acabar

Discordo - bacharel precisa, sim, se submeter ao Exame

Sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.