Judiciário

Terça-Feira, 01 de Abril de 2014, 13h:15 | Atualizado: 01/04/2014, 15h:14

Polícia Federal

Caso é investigado após denúncia de Francis; 15 empresas no esquema

Pelo menos 15 empresas de Mato Grosso e Goiás participavam da quadrilha que, conforme a Polícia Federal, fraudava três programas do Ministério da Saúde. De acordo com os delegados Adriano Rodrigues Junqueira e Leonardo de Souza Caetano Machado, as firmas vendiam medicamentos para a Prefeitura de Cáceres sem licitação prévia e com preços superfaturados. Em um segundo momento, a fim de dar aparência de legalidade ao processo, era simulado um certame no qual as responsáveis pela venda de remédios já haviam feito acordo.

A investigação começou em abril do ano passado depois que o atual prefeito, Francis Maris (PMDB), denunciou a prática na secretaria municipal de Saúde. A Controladoria Geral da União (CGU) fiscalizou a pasta e detectou diversas irregularidades apontadas em um relatório que analisou procedimentos de 2011 a 2013.

Depois de analisar os programas Assistência Farmacêutica, de Saúde da Família e Piso de Atenção Básica à Saúde, a CGU verificou ainda que as empresas forneciam os medicamentos independente de licitação – uma espécie de fiado. Então, o município recebia os remédios e distribuía à população, mas quando acabavam o procedimento era refeito, de forma que elevavam o preço e não forneciam o material “adquirido”.

O resultado do relatório revela que as fraudes já aconteciam em gestões passadas. O ex-prefeito de Cáceres, Túlio Fontes, foi conduzido à sede da Polícia Federal, em Cuiabá, para prestar esclarecimentos como testemunha. O ex-secretário municipal de Saúde, Luís Landin, teve a prisão preventiva decretada por suposta participação no esquema, assim como diversos servidores e até o secretário municipal de Finanças, Odiner Gonçalves de Sá. Ao todo, foram expedidos 113 mandados judiciais, sendo 30 de prisão preventiva, 17 de prisão temporária, 13 de conduções coercitivas e 53 de busca e apreensão.

De acordo com a PF, os danos à população foram enormes, já que muitos medicamentos não foram disponibilizados para os mais carentes. “É um dinheiro que deixou de ser investido na Saúde de Cáceres”, disse um dos delegados.

PF deflagra operação em Cáceres e apura desvio de R$ 2,5 mi - veja aqui

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Fernanda | Terça-Feira, 01 de Abril de 2014, 22h19
    0
    0

    Espero que sejam punidos os que realmente devem, pois, há nomes de servidores públicos que apenas executam seus trabalhos e ainda ganham pouco. Fica a dica, se olhar no portal transparência é possível visualizar quem tem pessoas que recebem a faixa de R$ 2.000,00. Será mesmo que estas pessoas tiraram vantagens em licitações ou as vantagens ficaram a cargos os maiorais e proprietários de empresas?

  • Candinha | Terça-Feira, 01 de Abril de 2014, 20h08
    1
    0

    Os verdadeiros bandidos estão soltos...a verdade seja dita quem tem dinheiro esta solto e os que não tem nada a ver,...estAo ai

  • JANUÁRIO | Terça-Feira, 01 de Abril de 2014, 15h37
    0
    0

    A não que ser tenha sido autorizado pelo Prefeito, acho desnecessária a informação que a investigação iniciou-se por conta de denúncia do Chefe do Executivo. Essa informação, por se estar lidando com quadrilha, traz enorme risco para ele e sua família. Uma informação que se faz necessária é quais são as empresas envolvidas. Essas sim deve ter os nomes estampados em todos os jornais, para conhecimento de toda a sociedade.

  • paulo farias | Terça-Feira, 01 de Abril de 2014, 15h24
    1
    0

    Em Araputanga na gestao Vano Batista ha dois anos atras, teve uma operação semelhante, foi preso um funcionario de quarto escalão acusado de desviar dois milhoes de reais, morador em uma casa de madeira tipo palafita. o Secretrio de Saude à eopca, foi nomeado para atuar no Consorcio Intermunicipal de Sude da regiao.

  • Milton | Terça-Feira, 01 de Abril de 2014, 14h26
    0
    0

    É lamentavel esta situação nossa cidade um caos e pessoas ainda roubam o pouco que vem

  • flavio | Terça-Feira, 01 de Abril de 2014, 14h26
    0
    0

    é a mais pura realidade do municipio de caceres, politicos que estao no poder a decadas. elevando a cidade ao caos., quem mora em caceres. sabe das dificuldade que o municipio esta passando.espero que esse momento seja de refleçao. afinal a eleiçao está por vim. acorda caceres.acorda brasil

Fazendo politicagem sobre Covid-19

rubia fernanda 400 curtinha   A tenente-coronel Rúbia Fernanda, pré-candidata ao Senado pelo Patriota, não só ignora medidas protetivas em relação à Covid-19, como isolamento social, mantendo agenda de visitas e reuniões, como passou a fazer politicagem com coisa séria. Numa...

Punição a 2 ex-presidentes da Câmara

haroldo curtinha 400   Apesar de ter julgado regulares as contas de gestão de 2016 da Câmara de Cuiabá, ano em que teve dois presidentes, o já falecido Júlio Pinheiro, entre janeiro e junho e, depois, Haroldo Kuzai (foto), de 20 de junho a 31 de dezembro, o conselheiro interino João Batista Camargo, em...

Guiratinga, frota sucateada e a farra

sinval vilela 400 curtinha   O vereador Sinval Vilela (foto), do DEM, disse que em Guiratinga, administrada por Humberto Domingos, o Bolinha, está havendo farra com dinheiro público. E lista descasos e atos de incompetência do prefeito. Conta que a prefeitura possui um caminhão pipa, mas está encostado no...

Verba a quem não tem litígio à União

emanuel pinheiro 400 curtinha   Apesar do governo estadual anunciar que está recebendo os R$ 359 milhões da União, essa verba oriunda do chamado Orçamento da Guerra (Emenda Constitucional 106) para ajuda no combate ao coronavírus só será liberada a partir do próximo dia 9 e para quem, seja...

Salgadinhos sim; caminhão pipa, não

humberto bolinha 400 curtinha   Em Guiratinga, o prefeito Humberto Domingos, o Bolinha (foto), resolveu homologar na última segunda, 1º de junho, processo licitatório para contratar uma empresa com vistas a fornecer salgadinhos nas 11 secretarias municipais. Vão ser gastos com salgados R$ 21,7 mil. No mesmo dia, Bolinha...

Nepotismo e demissão na gestão Pátio

leandro junqueira 400   Acuado pela notificação recomendatória do Ministério Público Estadual, o prefeito de Rondonópolis, Zé do Pátio, não teve outra saída senão exonerar a servidora Renata Castilho Moreno do cargo comissionado de gerente do Departamento de Engenharia e...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você conhece alguém próximo que foi infectado pelo coronavírus?

sim

não

em dúvida

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.