Judiciário

Segunda-Feira, 19 de Julho de 2010, 19h:57 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:26

JUDICIÁRIO

CNJ revela nomes de magistrados que receberam créditos ilegais

    Após se negar a prestar esclarecimentos sobre a inspeção realizada pelo Conselho Nacional de Justiça no Tribunal de Justiça de Mato Grosso, o juiz-auxiliar da Corregedoria Geral, Ricardo Chimenti, agora já estabele um prazo para o resultado das investigações. Segundo ele, até o início de agosto a sociedade mato-grossense enfim vai conhecer o resultado da inspeção realizada por determinação do corregedor-geral, ministro Gilson Dipp, e que trará a conclusão sobre o recebimento de créditos irregulares durante as gestões dos ex-presidentes José Ferreira Leite e José Jurandir de Lima, ambos aposentados compulsoriamente pelo CNJ. Conforme informações não confirmadas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), pelo menos 14 magistrados são investigados pelo Conselho. A expectativa é que mais desembargadores e juízes sejam punidos devido a demora na elaboração do relatório final que, segundo o próprio juiz-auxiliar, é extremamente grave. A análise foi feita por técnicos do Tribunal de Contas da União (TCU) e da Controladoria Geral da União (CGU), após inúmeras irregularidades encontradas pelo CNJ.

   A "briga" vem sendo travada nos bastidores do TJ desde junho de 2008, quando o então corregedor-geral, desembargador Orlando Perri, determinou a realização de uma auditoria na folha de pagamento de magistrados do Estado. Eles teriam recebido vantagens salariais irregulares. Nem o próprio Perri escapou da oportunidade de ver sua conta corrente "inchada" por receber valores indevidos. Ao ser questionado sobre o assunto na época, Perri teria dito que ele e a "torcida do flamengo" receberam os valores indevidamente. Embora não seja confirmado, o magistrado deve figurar na lista dos investigados.

   Em entrevista concedida no início de junho ao RDNews, o juiz auxiliar do CNJ, Ricardo Chimenti, garantiu que o prazo para a divulgação do resultado, que era de 30 dias prorrogáveis por igual período, não foi cumprido em razão de outros processos em andamento no CNJ que se assemelham. “Temos outros procedimentos de Mato Grosso e este, em especial, é muito grave”, afirmou o juiz. Ele alertou ainda que o resultado pode culminar no afastamento de desembargadores e juízes. "Não podemos generalizar, mesmo porque temos muitas pessoas boas nesse meio, muitos profissionais de caráter, mas é certo que também existe muita gente podre e é justamente esses que o CNJ quer tirar do Judiciário mato-grossense, para que somente os bons permaneçam", disse o juiz - veja aqui.

   Preocupados com o resultado da inspeção, há magistrados que já devolveram dinheiro aos cofres do Judiciário. A dúvida é se a atitude pode "amenizar" uma possível punição, ou se isso só agrava a situação. O desembargador Rubens de Oliveira, por exemplo, já devolveu mais de R$ 400 mil só nos últimos meses, quando viu que o cerco estava se fechando. O problema é que a devolução aconteceu mais de três anos depois de ter creditado os valores em sua conta bancária. O fato deve, inclusive, prejudicar o magistrado, que é apontado por muitos nos corredores do TJ como o "desembargador que assinou sua sentença de culpa" por ter devolvido o montante.

   Os valores foram recebidos entre 2007 e 2009 e, ao devolver o montante, o magistrado relata ser referente a benefícios como férias indenizadas, abono pecuniário, gratificação, entre outros. Por fim, alegou que independentemente das razões do deferimento dos pagamentos em questões anteriores, o recebimento de tais vantagens se mostra insubsistente. Antes disso, numa outra passada do desembargador pelo Departamento Financeiro do TJ, ele revelou ter recebido R$ 20 mil em outubro de 2007, R$ 30 mil em dezembro de 2007, e R$ 16 mil em fevereiro de 2008. Neste episódio, devolveu R$ 66,3 mil.

   Recentemente, o RDNews teve acesso a uma lista com a discriminação de todos os recebimentos dos magistrados mato-grossenses. Os que mais receberam foram Perri e o ex-presidente Paulo Lessa - veja aqui.

   Escândalos

   Este deve ser um dos maiores escândalos do Judiciário mato-grossense, mas também o capítulo final, ao menos nessa "maré" de maus exemplos que se tornou o Tribunal de Justiça. Pela primeira vez em toda a história, dois desembargadores já foram afastados por suspeitas de envolvimento num esquema de venda de sentenças no Estado.

   Evandro Stábile, presidente do Tribunal Regional Eleitoral, e José Luiz Carvalho, são investigados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Conforme denúncia protocolada pelo Ministério Público Federal, há “fortes indícios quanto à existência de um grupo de pessoas associado em torno de uma estrutura organizada, perene e com predisposição comum de meios objetivando a prática criminosa, notadamente a suposta manipulação de decisões judiciais, mediante exploração de prestígio e corrupção ativa e passiva". Sustenta ainda que "contatos diários dos integrantes do grupo, sempre a tratar da possibilidade de influenciar em decisões judiciais, demonstra a regularidade e a constância das atividades empreendidas”. No inquérito que tramita no STJ sob sigilo, há transcrição de conversas telefônicas em que advogados e supostos intermediadores de agentes públicos mencionam o nome de Stábile, que foi afastado pelo CNJ da função de desembargador.

   Quatro desembargadores e sete juízes já foram aposentados pelo CNJ, apenas neste ano, por cometerem irregularidades. Foram condenados os desembargadores José Ferreira Leite, José Tadeu Cury e Mariano Travassos, além dos juízes Marcelo Souza de Barros, Irênio Lima Fernandes, Antônio Horácio da Silva Neto, ex-presidente da Associação de Magistrados do Estado (Amam), Marcos Aurélio dos Reis Ferreira, filho de Ferreira Leite, Juanita Cruz Clait Duarte (filha do ex-presidente do TJ desembargador Wandir Clait Duarte - já falecido), Maria Cristina de Oliveira Simões e Graciema Caravellas. Logo depois foi a vez do desembargador José Jurandir de Lima ser aposentado compulsoriamente sob acusação de nepotismo.

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • pedro ronaldo | Terça-Feira, 20 de Julho de 2010, 10h49
    0
    0

    cade a mussarela molho tomate farinha sal azeite o forno ta quente so falta montar a pizza e assar bem devagarinho que é para não queimar se acha que ese povo vai ser punido conta outra

  • Amadeu José | Terça-Feira, 20 de Julho de 2010, 09h41
    0
    0

    Maior escândalo do Judiciário Mato-Grossense? Aposto quanto quiserem se não é o maior escândalo do Judiciário Brasileiro, isso só com os já aposentados e sem contar com o que virá depois do término dos processos em andamento no CNJ.

  • Rodrigo Silvaldo da Silva | Terça-Feira, 20 de Julho de 2010, 09h33
    0
    0

    Conselho Nacional de Justiça, ocupado somente com o normal. Lembra muito a luta de Dom Quixote com seus dragões/moinhos de ventos, não tem o que fazer e embarcam na primeira pirueta que encontram. E fecham os olhos para os reais problemas do Judiciário Mato Grossense, a falta de servidores e capacitação adequada para todos, ausência de remuneração adequada a todos... o volume exagerado de recursos do Estado, entre outros. Os juízes que dedicam a vida, sacrificam família, ficam como reféns dos Covardes de Capa e espada, apontando erros que não existem, virando a sociedade contra a justiça, causando revolta. É interessante que só atuam em processos que podem dar mídia, pois sabem que o seu tempo é curto e tem que aparecer para assumir algum outro postinho que conseguirem após sujar a reputação de tantos homens com seus julgamentos baixos e sem fundamento. Não tenho qualquer relação com qualquer dos magistrados já julgados, mas estudo direito há muito tempo e as decisões deles (CNJ) só se mantém por caráter político, assim como foi a sua criação. Sinto nojo de ter que assistir este espetáculo de horror, em mais um episódio com a falta de pão (pois do pão e circo, restou só o circo mesmo). Vergonha Sr. Conselheiro, muita vergonha. Permita-me apenas uma pergunta: Sua mãe não lhe ensinou a diferença do bem e do mal? Penso que poderia tomar algumas lições com ela novamente.

  • Darci José Mallmann | Terça-Feira, 20 de Julho de 2010, 05h54
    0
    0

    Será que eles serão punidos como cidadões humildes, simples e muitas das vezes sem conhecimentos? Pelo fato de serem pessoas formadas deveriam devolver tudo o que ganharam, pois daí em diante não merecem sequer um créditos mais, são mais corruptos dos os próprios politicos sujos. E infelizmente, a sociedade ainda quer acreditar em Justiça... só mesmo a divina, pq a daqui da terra, é mesmo destes mercenários.

  • Carmen Cuiabá/MT | Segunda-Feira, 19 de Julho de 2010, 21h59
    0
    0

    Demorou para casa cair... agora devem é construir uma com base solida em jus ao direito e justiça..... Espero que realmente sejam punidos os demais Juizes, assessores, escrivãos e desembargadores formadores de quadrilha.... e assim como a policia federal faz os show pirotécnicos com empresarios... que os faça com estes supostos cumpridores da lei.....

  • Claudio | Segunda-Feira, 19 de Julho de 2010, 21h10
    0
    0

    CUIDADO DES. ORLANDO, O DES. MÁRCIO "ZÉ BONITINHO" VIDAL GARANTE QUE TE GANHA NO VOTO PARA A PRESIDÊNCIA DO TJMT

  • lauro | Segunda-Feira, 19 de Julho de 2010, 20h28
    0
    0

    o executivo é que repassa verba aos outros poderes, logo deveria pagar bem os seus servidores do executivo, e não é o que acontece...esquisito isso.

  • Carlos Santos | Segunda-Feira, 19 de Julho de 2010, 20h05
    0
    0

    É agora que a jiripoca vai piar minha gente!!!!!! hehehehehe

Nomes do DEM para vereador de VG

pablo 400 curtinha   O DEM do casal Jayme-Lucimar, senador e prefeita, respectivamente, é dono da maior bancada na Câmara de Várzea Grande, com sete dos 21 vereadores. Destes, cinco já estão trabalhando projeto de reeleição, sendo eles Gisa Barros, que era do PSB; Valdemir Bernadino, o Nana; Pedro...

Flerte com candidato de outro partido

selma arruda 400 curtinha   Apesar de estar filiada ao Podemos, a ex-senadora Selma Arruda, que teve o mandato cassado por crimes eleitorais e deixou a cadeira neste ano, continua flertando com o pedetista, empresário e vice-governador Otaviano Pivetta, que não demonstra mais tanto ânimo para continuar com o projeto de disputa...

Joelson e as traições política e familiar

joelson 400   Dos 23 vereadores pela Capital que vão à reeleição, o que mais deve enfrentar dificuldades para obter êxito nas urnas é o sargento Joelson (foto), que aproveitou a janela de março e trocou o PSC pelo Solidariedade. Primeiro, por causa da atuação pífia. Trata-se de um...

Calistro, dúvida à reeleição e Sumaia

sumaia leite 400 curtinha   Jânio Calistro, reeleito para o 2º mandato de vereador em 2016 e como o mais votado em Várzea Grande, com 3.658 votos pelo PSD, se mudou para o DEM dos Campos, mas ainda avalia se vai encarar o teste das urnas deste ano. Ele se mostra um tanto baqueado, após ficar preso por três meses. E...

Grupos convergem para Emanuelzinho

emanuelzinho 400   O jovem deputado federal Emanuelzinho (foto) está cada vez mais empolgado com a possibilidade de disputar a Prefeitura de Várzea Grande. Até se mudou da Capital para a cidade vizinha, onde montou apartamento no Edifício Maktub. Uma das revelações políticas do PTB, Emanuelzinho tem...

Câmara de ROO e pasta de Controle

orestes miraglia 400 curtinha   A Câmara de Rondonópolis deu de ombros para uma decisão do Tribunal de Justiça e, em primeira votação, aprovou mensagem do prefeito Zé do Pátio, criando a secretaria de Transparência Pública e Controle Interno (SETRACI) em...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.