Judiciário

Quarta-Feira, 30 de Junho de 2010, 11h:20 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:26

JUDICIÁRIO

CNJ vê sumiço irregular, mas manda concurso prosseguir

   O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) julgou procedente o Procedimento de Controle Administrativo que pedia a correção de 16 provas que sumiram pouco antes da correção do concurso para ingresso na magistratura do Tribunal de Justiça. O julgamento do PCA, que foi instaurado após denúncia feita pelo advogado Jonathas Henrique Vasconcelos Caldeira, um dos candidatos, aconteceu na sessão desta quarta (30). A decisão do CNJ terá impacto imediato num dos maiores problemas no Judiciário mato-grossense, que é a falta de magistrados de primeiro grau no Estado.

   O relator do processo, conselheiro Walter Nunes da Silva Júnior, determinou ainda a anulação da decisão do TJ que suspendeu a segunda etapa do concurso até que fosse verificada a existência ou não de fraudes no processo. Afirmou que a decisão do TJ comprometia a impessoalidade do certame. "Para mim, o que ocorreu foi uma irregularidade. Quem deveria ser aprovado não poderia ser prejudicado com a realização de toda a segunda etapa e os reprovados não deveriam ser beneficiados".

   A suspeita de fraude surgiu quando 16 das 49 provas não foram localizadas durante a correção, em 7 de março. Após o episódio, todo o processo foi colocado em xeque, já que ultrapassada a fase da prova dissertativa, os candidatos fariam ainda as etapas de confecção de sentenças de naturezas cível e criminal. O concurso para provimento de cargos de juízes substitutos do Estado oferece 43 vagas e é formado, ao todo, por seis fases.

   O TJ chegou a criar a "Comissão do Concurso Público para Ingresso na Magistratura do Estado", mas o clima "azedou" logo no início. O desembargador Juvenal Pereira da Silva não gostou das explicações dadas pelo presidente da comissão, desembargador Rui Ramos. Ele justificou o sumiço alegando que houve “falha humana”.

   Conforme a versão apresentada por Rui Ramos, o problema na correção foi detectado quando a direção realizava uma sessão pública no Plenário 2 do TJ para cruzar os dados das provas. Alegando proporcionar maior lisura ao concurso, a Comissão decidiu não identificar os cadernos com os nomes dos concorrentes. Constavam apenas etiquetas com códigos de barra. Os cartões com a identificação dos candidatos foram colocados num outro envelope, o que dificultaria privilégios. Mesmo assim, alguns concorrentes questionam a falta da correção das provas, mesmo após a localização dos cadernos que no princípio foram dados como extraviados.

   Juvenal, que é conhecido por posicionamentos fortes no Judiciário, parece não ter acreditado na versão apresentada por Rui Ramos e decidiu "abandonar o barco". A comissão era formada Rui, Juvenal, Luiz Ferreira da Silva e pelo representante da OAB-MT, advogado João Norberto Almeida Brito. Com a saída de Juvenal, a desembargadora Clarice Claudino foi convocada para assumir o posto.

(14h) - Rui Ramos diz que processo é demorado e estipula prazo de 18 meses

   Rui Ramos, presidente da comissão do concurso, afirmou em coletiva à imprensa nesta quarta que o prazo para o fim de todas as fases do certame deve levar cerca de 18 meses. Ele fez questão de ressaltar também que em momento algum o CNJ cogitou a existência de fraudes, mas sim de irregularidades. O magistrado prometeu que já nesta quinta irá iniciar o processo de correção das provas.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Justiniano Lessa Ferreira | Quarta-Feira, 30 de Junho de 2010, 16h47
    0
    0

    ou seja... continua tudo com dantes. pura enganação!!! comenta-se que muitos dos atuais magistrados submetessem ao exame da oab passariam vergonha, não seriam aprovados.

França elegível; CNJ desatualizado

roberto franca 400 curtinha   O advogado Rodrigo Cirineu, que assumiu a assessoria jurídica da campanha a prefeito de Cuiabá de Roberto França (foto), assegura que o ex-prefeito está elegível. Explica que o cadastro de inelegibilidades do Conselho Nacional de Justiça, constantando ainda o nome de...

Candidato da família Oliveira à Câmara

luluca 400 curtinha   O jovem advogado Luluca Ribeiro (foto) é uma das apostas do MDB por renovação na Câmara da Capital. Concorre a vereador e tende a "herdar" o espólio político da família Oliveira, dos tios Dante, ex-governador que morreu em 2006, e Thelma, prefeita de Chapada dos Guimarães....

Deputado tenta censura e sem êxito

xuxu 400 curtinha   Em duas tentativas, o deputado estadual Xuxu Dal Molin (foto), candidato a prefeito de Sorriso pelo PSC, tentou, sem êxito, censurar o portal Rdnews. Na 1ª Vara Cível da Comarca de Sorriso, Xuxu ingressou com pedidos de antecipação de tutela, pleiteando retirada do ar de matérias que...

Rei do Gado entra numa difícil disputa

mauricao 400 curtinha   O leiloeiro Maurição Tonhá (foto), chamado por muitos de "Rei do Gado", está de volta à disputa eleitoral. O pecuarista com bens avaliados em R$ 19 milhões é candidato pelo DEM a prefeito de Água Boa, muncípio já administrado por ele por dois mandatos. Em...

Ajudando a enterrar CPI do Paletó

luciana zamproni 400 curtinha   O Palácio Alencastro está convicto de que, assim como na primeira votação, o relatório da CPI do Paletó que propõe punição ao prefeito Emanuel e vai ser votado nesta terça, será arquivado pela maioria dos vereadores cuiabanos. O desfalque do...

8 candidaturas e Thelma com chances

thelma de oliveira 400 curtinha   Mesmo sem apoio de nenhum outro partido, a não ser do seu PSDB, enfrentando forte desgaste político e rejeição popular e ainda problemas de saúde, se recuperando de tratamento de câncer de mama, a prefeita Thelma de Oliveira (foto) ainda tem chances de...