Judiciário

Quarta-Feira, 03 de Março de 2010, 10h:05 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Judiciário

Com missão de contornar crise, Silvério é novo presidente do TJ

   O desembargador José Silvério Gomes foi eleito nesta quarta (3) novo presidente do Tribunal de Justiça por meio de voto secreto em sessão extraordinária, por 23 votos a 1. Ele cumprirá mandato tampão, já que o ex-presidente Mariano Travassos foi condenado no final do mês passado à aposentadoria compulsória junto com outros 9 magistrados mato-grossenses por desvio de dinheiro. Eles foram acusados de desviar cerca de R$ 1,5 milhão para socorrer a Loja Maçônica Grande Oriente. Agora Silvério terá a árdua missão de contornar a mais grave crise no Poder Judiciário do Estado. O escândalo ganhou repercussão nacional. Ele será empossado ainda nesta quarta de manhã.

   O novo presidente concorreu com o desembargador Manoel Ornellas, atual corregedor-geral do TJ, mas saiu vencedor devido ao seu perfil “apaziguador”. O vice-presidente na gestão Travassos, Paulo da Cunha, era tido como favorito na disputa, mas na última hora rejeitou a possibilidade de entrar na disputa. Silvério, conseguiu o apoio do chamado “blocão”, grupo de desembargadores ligados ao ex-presidente Paulo Lessa e ao ex-corregedor do TJ, Orlando Perri, autor das denúncias que culminaram na pena máxima aos 10 magistrados.

   A nova eleição aconteceu porque a punição imposta a Travassos aconteceu em 23 de fevereiro, ou seja, apenas 5 dias antes dele completar 50% de seu mandato frente ao Judiciário. Assim, o vice ficou impedido de assumir automaticamente, já que conforme o regimento interno do Tribunal, em caso de afastamento do presidente antes de ter cumprido ao menos a metade da gestão, novas eleições devem ser convocadas.

   Na história do Poder Judiciário de Mato Grosso houve duas situações de magistrados que não chegaram ao final de seu mandato na Presidência, sendo eles os desembargadores José Vidal e Wandyr Clait Duarte, que presidiram o Tribunal de Justiça nos anos de 1989 e 2000, respectivamente.

   O desembargador José Vidal renunciou ao cargo antes de completar o primeiro ano, sendo substituído pelo vice-presidente, desembargador Flávio Bertin, que se candidatou à vaga na eleição convocada e foi eleito para finalizar a gestão. Já o desembargador Wandyr Duarte faleceu depois de completado um ano na direção do TJMT, sendo substituído pelo então vice-presidente, desembargador Munir Feguri.

   Condenação

   Foram condenados pelo CNJ o ex-presidente do Tribunal de Justiça, José Ferreira Leite, os desembargadores José Tadeu Cury e o atual presidente do TJ, desembargador Mariano Travassos, além dos juízes Marcelo Souza de Barros, Irênio Lima Fernandes, Antônio Horácio da Silva Neto, ex-presidente da Associação de Magistrados do Estado (Amam-MT), Marcos Aurélio dos Reis Ferreira, filho de Ferreira Leite, Juanita Cruz Clait Duarte (filha do ex-presidente do TJ desembargador Wandir Clait Duarte - já falecido), Maria Cristina de Oliveira Simões e Graciema Caravellas.

   O esquema começou em 2003, quando os envolvidos criaram uma cooperativa de crédito vinculada à maçonaria, da qual o ex-presidente do TJ Ferreira Leite era grão-mestre. Eles foram denunciados em 2008 pelo ex-corregedor do TJ, desembargador Orlando Perri, por desvios de verbas e materiais na construção do Fórum de Cuiabá e favorecimento em licitação e tráfico de influência envolvendo desembargadores. As denúncias envolvendo supostos pagamentos ilegais a magistrados e desembargadores expuseram um racha sem precedentes na cúpula do Judiciário de Mato Grosso e ganharam destaque nacional. O Pleno do TJ é composto por 30 desembargadores. Cada um deles recebe salário de R$ 22 mil e mais uma série de regalias e privilégios. Já o presidente ganha R$ 24 mil. (Com Patrícia Sanches)

Veja como ficou a votação para escolha do novo presidente do TJ
José Silvério Gomes - 23 votos
Manoel Ornellas - 1 voto
Em branco - 1  voto

----------------------------------------------------
Clique no play
e confira a reportagem da TVCA

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Silva | Quarta-Feira, 03 de Março de 2010, 17h50
    0
    0

    Ele também é maçon? Porque se for...

  • parabensss | Quarta-Feira, 03 de Março de 2010, 11h09
    0
    0

    parabensss, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Paulo Rogério Barcelos Santiago Lima | Quarta-Feira, 03 de Março de 2010, 10h55
    0
    0

    coitadinho do ornellas...que lavada....e agora judiciario....vamos mexer o doce da imparcialidade....vaoms(gogogogogo)

Um novo embate entre Diane x Adair

diane alves 400 curtinha   Adair José Alves Moreira, que vinha atuando na assessoria do vice-governador Otaviano Pivetta, decidiu mesmo concorrer de novo à Prefeitura de Alto Paraguai. Ele já foi prefeito por duas vezes. Adair será o principal nome da oposição à prefeita democrata Diane Alves (foto),...

Taques ofuscado e sob mira do MPE

pedro taques 400 curtinha   Pedro Taques (foto) achou que o recall dos tempos de senador e governador, ajudando-o a se posicionar de forma razoável nas pesquisas, bem antes do início da campanha, o manteria como favorito na corrida ao Senado. Ledo engano. Não levou em consideração o alto índice de...

2 caciques não disputam Alto Garças

roland trentini 400 curtinha   Após décadas de rixas, de campanhas ostentadoras, rachas e brigas eleitorais intermináveis em Alto Garças, os ex-prefeitos Rolando Trentini (foto) e Júnior Pitucha resolveram não mais concorrer ao Executivo. Mas, um deles segue se movimentando nos bastidores. Pela...

Um ex-prefeito inelegível em Poconé

clovis martins 400   Dificilmente o ex-prefeito petebista Clovis Damião Martins (foto) terá registro de candidatura a prefeito de Poconé deferido pela Justiça Eleitoral. O promotor de Justiça, Mário Anthero, já pediu impugnação do registro do petebista por inelegibilidades. Clovis, que...

Briga em Sinop entre Juarez e Dorner

juarez costa 400 curtinha   Em Sinop, a briga eleitoral caminha para tensão e acirramento entre o emedebista Juarez Costa (foto) e Roberto Dorner (Republicanos). Hoje, o ex-prefeito seria eleito, mas Dorner vem crescendo nas adesões, com ajuda do vice de sua chapa, ex-vereador Dalton Martini (Patriota). O apoio da prefeita Rosana...

França elegível; CNJ desatualizado

roberto franca 400 curtinha   O advogado Rodrigo Cirineu, que assumiu a assessoria jurídica da campanha a prefeito de Cuiabá de Roberto França (foto), assegura que o ex-prefeito está elegível. Explica que o cadastro de inelegibilidades do Conselho Nacional de Justiça, constantando ainda o nome de...