Judiciário

Sexta-Feira, 27 de Setembro de 2019, 18h:01 | Atualizado: 27/09/2019, 18h:12

ARMA DO CRIME

Tenente revela que comprou de ladrão de banco arma ligada a grupo de extermínio

tenente cleber

O 2° tenente Cleber Souza Ferreira, durante audiência de custódia quando foi preso em outra operação, a Assepsia

Durante depoimento, o 2° tenente da Polícia Militar Cleber Souza Ferreira, preso na Operação Coverage afirmou que comprou uma pistola da marca Glock de um criminoso especialista em roubos à bancos. A compra teria ocorrido durante uma investigação que buscava desmantelar quadrilha.

A informação foi divulgada pelo repórter Luis Vinicius do HiperNotícias. A transação teria acontecido no estacionamento do Supermercado Comper, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. 

No entanto, após as apreensões, Cleber optou por manter a arma em sua posse, mesmo que precisasse fraudar o seu registro. Para aquisição do armamento, o militar explicou que emprestou R$ 5 mil de um capitão, ainda não identificado, do Batalhão de Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam).

Conforme a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a pistola teria sido usada em sete crimes, sendo quatro tentativas de homicídio e três consumados. As mortes teriam sido cometidas por um grupo de extermínio, encabeçado por policiais militares - caso investigado na Operação Mercenários.

Negociações

As negociações para aquisição da arma começaram em setembro de 2017, durante uma operação de inteligência no batalhão Rotam. No depoimento, Clever afirmou que recebeu a informação de que um indivíduo, que teria participação em roubos à agências bancárias estaria em posse de armas de fogo, incluindo fuzis. 

No entanto, o tenente disse que esse informante alegou que, para chegar até essas armas, o PM teria que comprar uma delas. Cleber então teria procurado o capitão da Rotam, na época, para conseguir o valor de R$ 5 mil. 

Após o acordo, o oficial alegou que iniciou vigilância (diligência) do ladrão de bancos e conseguiu apreender seis pistolas e um revólver calibre 357. No dia seguinte a apreensão, Cleber alega que sacou o valor de R$ 5 mil de sua própria conta e repassou ao capitão que havia lhe emprestado o dinheiro.

  • No depoimento, o tenente alegou que devido ao valor que havia gastado na compra, decidiu ficar com a arma, mesmo sabendo que se tratava de uma arma não legalizada. Diante disso, ele procurou o tenente coronel Marcos Eduardo Ticianel Paccola, a época major da Polícia Militar, para verificar a possibilidade de fazer o registro da arma e torná-la legal.

No mês de novembro, dois meses após a aquisição da arma, o tenente coronel pediu para que Cleber se deslocasse até a Superintendência de Apoio Logístico e Patrimônio, setor responsável pelo material bélico da instituição, localizada no Quartel do Comando Geral da PM e lhe entregou o registro da pistola. Ou seja, naquele momento o armamento já era considerado legal.

As investigações que resultaram na Operação Coverage, chegaram a conversas de Cleber, que demonstrou temor que o esquema para legalizar a arma ligada aos crimes da Mersenário fosse descoberto.

Operação Assepsia 

A apreensão de um celular durante a Operação Assepsia, deflagrada pela GCCO, em 12 de junho - que desmantelou organização que teria facilitado a entrada de 81 celulares na Penitenciária Central do Estado (PCE) - foi ponto de partida para a Operação Coverage - 3ª fase da Operação Mercenários -, que prendeu o segundo-tenente Cleber de Souza Ferreira, tenente Thiago Satiro Albino, e o tenente-coronel Sada Ribeiro Parreira.

Os três militares e o tenente-coronel Marcos Eduardo Ticianel Paccola, também foram alvos do cumprimento de mandados de busca e apreensão.

Os denunciados devem responder pelos crimes de organização criminosa, embaraço de investigação em três inquéritos, falsidade ideológica, fraude processual e inserção de dados falsos em sistema de informações. Além da condenação pelos crimes praticados, o Ministério Público requereu que, ao final da ação penal, seja decretada a perda definitiva do cargo público dos cinco réus.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Leonardo | Domingo, 29 de Setembro de 2019, 12h28
    4
    0

    Há muita ingenuidade no ar.

Juca e os 7 secretários da Câmara

andre pozetti 400 curtinha   O presidente Juca do Guaraná definiu sete dos nove secretários que vão ajudá-lo a administrar a Câmara de Cuiabá. O secretário de Administração é Bolanger José de Almeida. O coronel PM da reserva Edson Leite conduz o Patrimônio e...

Morre mais um pastor da Assembleia

pastor jose alves de jesus 400   A Covid-19 transforma mais um pastor da Igreja Assembleia de Deus em vítima fatal. Morreu nesta terça José Alves de Jesus (foto), que presidia há vários anos o Campo Eclesiástico Autônomo da Igreja de Primavera do Leste e região. Ele estava hospitalizado com o...

Mauro e os "cabeças chatas" do CE

mauro mendes 400   O governador Mauro Mendes está disposto a conhecer a experiência da  educação pública  do Ceará, que há anos apresenta os melhores índices no Ideb e é orgulho dos irmãos Ciro e Cid Gomes, ex-prefeitos de Sobral e ex-governadores. Até pretende...

Seduc e microônibus para municípios

alan porto 400 curtinha   A secretaria estadual de Educação, sob Alan Porto (foto), tem buscado parcerias com prefeituras para construir quadras poliesportivas, laboratórios de informática e escolas, além de ampliar salas de aula, adquirir ares condicionados e microônibus escolares, de modo a atender...

Emanuel é quem mais realizou obras

emanuel pinheiro 400 curtinha   Um levantamento da empresa Percent Pesquisa & Consultoria, feita em Cuiabá entre os últimos dias 13 e 14, destaca que, na percepção de 49% dos cuiabanos, o prefeito reeleito Emanuel Pinheiro (foto) foi o que mais fez obras e serviços. Em segundo lugar, com 19,8%, é citado...

Emendas ajudam Unemat de ROO

thiago silva 400 curtinha   Em reunião com o reitor da Unemat, Rodrigo Zanin, e com o pró-reitor Alexandre Porto, o deputado estadual Thiago Silva (foto) tratou da emenda de R$ 1 milhão para manter o curso de direito e abertura do de jornalismo em Rondonópolis neste ano. E, juntos, definiram o modelo de...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT optou pela implantação do BRT em Cuiabá-VG em detrimento do VLT. O que você acha disso?

Estou de acordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.