Judiciário

Terça-Feira, 09 de Março de 2010, 08h:44 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:25

JUDICIÁRIO

Desembargador devolve dinheiro recebido e adia processo no CNJ

Desembargador José Jurandir de Lima   O processo administrativo disciplinar que apura a suposta contratação dos dois filhos do desembargador José Jurandir de Lima durante o período em que ele comandou o Tribunal de Justiça foi adiado novamente na sessão desta terça (9) do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Nos bastidores, a informação é que ele conseguiu articular para adiar o julgamento do processo e, assim, ganhou um fôlego de, no mínimo, mais 15 dias.

   Tássia Fabiana Barbosa de Lima e Bráulio Estefânio Barbosa de Lima foram lotados em seu gabinete, mas não compareciam ao trabalho. O processo corre em segredo de Justiça e, por isso, na pauta do CNJ constam apenas as iniciais do nome do desembargador. O processo está sob a relatoria do conselheiro Milton Nobre.

   Mesmo sendo servidora do TJ, Tássia estudava e residia em São Paulo. Já o irmão Bráulio, que faleceu durante um acidente de automóvel em 2007, cursava faculdade de Medicina com elevada carga horária. O caso começou a ser investigado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), que enviou uma reclamação disciplinar ao CNJ. No inquérito conduzido pelo STJ, José Jurandir disse, em sua defesa, que seus filhos, mesmo lotados em seu gabinete, foram nomeados em comissão para exercerem cargos no TJ e negou ser o responsável pelas contratações de Tássia e Bráulio. O Ministério Público Federal denunciou o desembargador e seus filhos por peculato e crime continuado (artigos 312, parágrafo 1º, e 71 do Código Penal). Segundo a denúncia, os filhos do desembargador seriam "funcionários fantasmas" e não prestariam serviço algum.

   Segundo a denúncia, o desembargador teve importante participação, uma vez que atestou a presença de seus filhos sem que efetivamente estivessem presentes. O processo pode culminar no afastamento de José Jurandir do TJ. A resolução 07/2005 do CNJ proíbe a contratação de parentes de magistrados, até terceiro grau, para cargos de chefia e assessoramento no Poder Judiciário.

    O julgamento estava previsto para acontecer na sessão do último dia 23, quanto dez magistrados mato-grossenses foram aposentados compulsoriamente, no que se tornou o maior escândalo do Judiciário no país. Foram condenados os desembargadores José Ferreira Leite, José Tadeu Cury e Mariano Travassos, além dos juízes Marcelo Souza de Barros, Irênio Lima Fernandes, Antônio Horácio da Silva Neto, ex-presidente da Associação de Magistrados do Estado (Amam-MT), Marcos Aurélio dos Reis Ferreira, filho de Ferreira Leite, Juanita Cruz Clait Duarte (filha do ex-presidente do TJ desembargador Wandir Clait Duarte - já falecido), Maria Cristina de Oliveira Simões e Graciema Caravellas. De acordo com o relatório da auditoria contratada pelo ex-presidente Paulo Lessa, o desembargador Ferreira Leite recebeu três parcelas de pagamentos irregulares, sendo uma de R$ 22,1 mil, outra de R$ 291,3 mil e, a última, de R$ 23,2 mil. O juiz Irênio foi contemplado com quatro parcelas (R$ 61,7 mil; R$ 65,5 mil; R$ 5 mil e R$ 18,2 mil). Marcos Aurélio teria se beneficiado com duas parcelas (R$ 139,3 mil e R$ 15,7 mil). Antonio Horácio obteve duas, uma de R$ 28 mil e outra de R$ 54,7 mil. Já Marcelo Souza de Barros recebeu uma única parcela de R$ 237,3 mil.

(10h30) - Jurandir consegue novos documentos e conselheiro pede parecer do MPF

   A assessoria do conselheiro Milton Nobre garante que o processo foi adiado porque a defesa do desembargador José Jurandir de Lima conseguiu novos documentos que foram anexados ao à demanda. Agora, o relator solicitou ao Ministério Público Federal que emita parecer. O processo deve voltar à pauta de julgamento do CNJ na próxima sessão, que acontece em 23 de março.

(10h50) - Com esperança de ser absolvido, desembargador devolve todo o dinheiro recebido pelos filhos

   De acordo com fontes ligadas ao CNJ, José Jurandir de Lima teria devolvido todo o dinheiro recebido irregularmente pelos filhos no período em que permaneceram contratados pelo TJ, corrigido monetariamente. A devolução acontece como tentativa de se livrar de uma possível condenação, a exemplo do que aconteceu com os 10 magistrados na última sessão do CNJ. Mesmo assim, como ele devolveu o dinheiro somente agora, após o recebimento da denúncia pelo CNJ, as chances de Jurandir se livrar de uma condenação não são muitas. O Ministério Público Federal deve analisar todos os documentos que comprovam a restituição do montante e emitir parecer. Caso seja comprovada a culpa do desembargador, ele poderá ser afastado no próximo dia 23, quando o processo entra novamente na pauta do CNJ. A expectativa, porém, é que Jurandir consiga "amenizar" a decisão do Conselho. 

Postar um novo comentário

Comentários (19)

  • carlos cesar | Segunda-Feira, 15 de Março de 2010, 18h04
    0
    0

    carlos cesar, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Jedae | Quinta-Feira, 11 de Março de 2010, 14h14
    0
    0

    E a casa caiu. O barraco acabou de cair!

  • Jedae | Quinta-Feira, 11 de Março de 2010, 14h14
    0
    0

    Jedae, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • MEIRE | Quarta-Feira, 10 de Março de 2010, 15h03
    0
    0

    MEIRE, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Clemente | Terça-Feira, 09 de Março de 2010, 17h06
    0
    0

    Clemente, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • alex | Terça-Feira, 09 de Março de 2010, 16h46
    0
    0

    Só foi devolvido o dinheiro ilícito recebido pelos filhos, por causa dos ultimo acontecimentos do CNJ, caso ao contrario tava no bolsooo.ue engraçado nas 1 reportagens ele disse que estava dentro da lei, agora ele esta devolvendo ao erário? Vamos parar com essa conversinha fiadaa, nos brasileiros estamos saturados de desculpas mais desculpas..Mundança já Brasilll.

  • Prof. Shimizu | Terça-Feira, 09 de Março de 2010, 13h53
    0
    0

    Não interessa se devolveu ou não, o dinheiro. O dinheiro é ilegal, conseguido atra de um ato ilegal, portanto, deve pagar pelos seus atos, principalmente, porque ele é um homem da lei, como se diz por aí. Não pode ficar sem punição, senão, como vai poder punir outras pessoas.

  • Jones Mariano Everlonne | Terça-Feira, 09 de Março de 2010, 13h13
    0
    0

    Estou morrendo de pena desse Sr Desembargador, será que vcs não estão vendo que esse homem é inocente??não foi ele que nomeou a familia, ele nem sabia que os filhos trabalhavam em seu gabinete. na verdade esses hoemens que estão metidos nessa encrenca, Desembargadores do MT, são na verdade todos anjos, são todos inocentes, bandidos somos nós que assisitimos calados essa novela com enredo de filmes do norte da Italia. meu deus, onde vamos parar??em quem acreditar??? em quem confiar???pra onde vamos correr????, se a justiça na sua mais alta corte está atolada num mar de lama podre. se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão...(calma srs anjos, é só um trecho de uma musica dos anos 80)

  • Gean Carlo | Terça-Feira, 09 de Março de 2010, 12h57
    0
    0

    Gean Carlo, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Pedro Vargas | Terça-Feira, 09 de Março de 2010, 12h50
    0
    0

    Pedro Vargas, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

Secretário terá de explicar contrato

alex vieira 400 curtinha   O secretário de Educação de Cuiabá, Alex Vieira (foto), tem dois dias para apresentar defesa ao TCE sobre uma representação da empresa F. M Paragas, propriedade de Fernando Marcelo, que apontou supostas irregularidades na contratação, por dispensa de...

Presidente da OAB e péssimo exemplo

leonardo campos 400 curtinha   Continua repercutindo muito mal, inclusive em âmbito nacional, o escândalo em que se envolveu Leonardo Campos, o Léo Capataz (foto), que acabou se afastando da presidência da OAB-MT. Deu um péssimo exemplo à sociedade. Ele foi parar na Delegacia, na semana passada, sob...

3 fortes para prefeito de Rondonópolis

ze do patio 400 curtinha   Apesar da "inflação" de prefeitáveis em Rondonópolis, com quase 10 se colocando como virtuais candidatos a prefeito, a disputa deve ficar acirrada mesmo entre três. Um deles é Zé do Pátio (foto), do Solidariedade. Vai tentar o terceiro mandato não consecutivo e...

Ex-deputada vai à vereadora em VG

zilda pereira 400 curtinha   A ex-deputada estadual Zilda Pereira Leite (foto) permaneceu pouco tempo na base dos Campos em Várzea Grande. Chateada por não ter sido renomeada como secretária de Educação, de cuja pasta havia se afastado por problemas de saúde, Zilda se filiou ao PSB, do pré-candidato...

Breunig destaca aprovação de contas

adriano breunig curtinha 400   O professor Adriano Breunig (foto), ex-adjunto e ex-secretário de Estado de Ciência e Tecnologia no Governo Silval e hoje diretor de Políticas de Desenvolvimento Institucional do IFMT, contesta o registro em Curtinha, apontando-o como candidato reserva e "vulnerável" à...

Borgato não sairá mais de secretaria

nilton borgato 400 curtinha   Nilton Borgato (foto), ex-prefeito de Glória D'Oeste e filiado ao PSD, não sairá mais do comando da secretaria estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação. Dias atrás, ele chegou a ser avisado pelo governador que seria substituído e que iria para o Escritório...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você conhece alguém próximo que foi infectado pelo coronavírus?

sim

não

em dúvida

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.