Judiciário

Quinta-Feira, 08 de Maio de 2014, 18h:52 | Atualizado: 08/05/2014, 19h:08

MENSALÃO

Henry tenta parcelar dívida e voltar ao IML, mas Justiça indefere pedidos

Rodinei Crescêncio

Pedro Henry, deputado federal

 Pedro Henry, preso desde dezembro, ainda almeja trabalhar no serviço público

O ex-deputado federal Pedro Henry (PP) teve  novo pedido negado pela Justiça nesta quinta (8). O juiz da 2ª Vara Criminal de Cuiabá, Geraldo Fidélis, negou parcialmente os embargos de declaração impetrados pela defesa para que fosse reanalisado o parcelamento da dívida e o não afastamento do ex-parlamentar do Instituto Médico Legal (IML), onde trabalhou até o início de abril deste ano.

Apesar de ter negado o retorno de Henry ao trabalho e de reavaliar o parcelamento da dívida, o magistrado acolheu parte dos argumentos da defesa, no sentido de apenas modificar o trecho da decisão onde consta o tempo em que o ex-deputado deverá ser mantido fora dos quadros do serviço público. Geraldi Fidélis decidiu que prazo agora é o dobro do tempo da pena aplicada, isto é, 14 anos e 4 meses.

Para justificar o não acolhimento dos recursos acerca da dívida, o juiz salientou que a situação econômico-financeira de Henry não está desvencilhada da situação patrimonial, “tampouco se restringe apenas aos vencimentos do recuperando, já que, para arcar com a multa imposta, poderá o embargante valer-se da venda de seus bens e arcar com o montante devido”, diz trecho da decisão. No entendimento do juiz, “garantir ao embargante o direito ao pagamento da pena de multa em suaves prestações, até que se alcance período superior a 53 anos, seria, sim, erigir uma ode à impunidade”.

Quanto ao pedido de afastamento da interdição temporária de direitos, relativa ao exercício de cargo público, o juiz também negou argumentando que no voto vencedor não houve citação a esse respeito. De acordo com ele, a questão não foi abordada no voto proferido pela ministra Rosa Weber, mas ventilada no voto prolatado pelo ministro Joaquim Barbosa.

Henry está preso desde o fim de dezembro passado, após ser condenado a 7 anos e 2 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no julgamento do Mensalão. Como cumpre a pena em regime semiaberto, mantinha dois empregos em Cuiabá: um no Hospital Santa Rosa, com salário de R$ 7,5 mil, e outro no IML. Uma decisão judicial proferida há um mês, no entanto, o afastou do serviço público, de modo que fosse cumprida a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). (Com Assessoria)

Juiz nega pedido para Henry passar Páscoa e aniversário com a família

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • adorno | Sexta-Feira, 09 de Maio de 2014, 07h29
    3
    0

    A justiça está mais que certa não podemos dar trégua a ladrão do dinheiro público, isso é vergonhoso para nós povo trabalhador! Como que um representante do povo povo roubar e ser conivente com coisas assim. se o Supremo Tribunal julgou é porque tem conhecimento do assunto. Temos que parar com esse negócio de querer ser bonzinho com bandidos.

  • joao do pedegral | Quinta-Feira, 08 de Maio de 2014, 20h00
    1
    0

    E A comissao das OSS onde esta?

  • joaoderondononopolis | Quinta-Feira, 08 de Maio de 2014, 19h19
    1
    1

    A justiça está muito dura com o ex-deputado, poderia dividir em 3 parcelas, sendo a 1ª que já está vencido em 10.04.2014, a 2ª parcela vence dia 10.05.2014 e a última em 10.06.2014, todas com juros e correção monetária.

Irmão de prefeito não deporá à CPI

francisco faiad 400 curtinha   Por meio de seu advogado Francisco Faiad (foto), Marco Polo de Freitas Pinheiro, o Popó, dono do instituto de pesquisa Mark e irmão do prefeito Emanuel Pinheiro, comunicou oficialmente hoje à CPI do Paletó, da Câmara da Capital, que não irá prestar depoimento nesta...

Nome reserva e vulnerável para IFMT

adriano 400 curtinha   O grupo do reitor Willian de Paula deve consolidar como candidato ao comando do Instituto Federal de Mato Grosso o professor Julio Santos, diretor do Campus de Alta Floresta. A eleição acontece em novembro. Mas há um candidato reserva da cúpula situacionista. Trata-se de Adriano Breunig (foto), que...

Prefeito e sobrepreço em álcool gel

gustavo melo 400 curtinha   O prefeito de Alto Araguaia, Gustavo de Melo (foto), e sua secretária de Saúde, Manoela Nunes, têm cinco dias para apresentar defesa prévia ao TCE sobre uma denúncia de superfaturamento na compra de materiais de higienização destinados à prevenção do...

Procon decide fazer audiências virtuais

rosamaria 400 curtinha   Por causa da pandemia, que levou à suspensão dos serviços presenciais, a secretária estadual Rosamaria Ferreira (foto), de Assistência Social e Cidadania, e o adjunto de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor, Edmundo da Silva Taques, decidiram que agora o Procon-MT...

Empolgado e já morando em VG

emanuelzinho 400   O deputado federal Emanuelzinho (foto), do PTB, está tão empolgado com a possibilidade de concorrer a prefeito de Várzea Grande que não só transferiu o domicílio eleitoral de Cuiabá para o município vizinho, ainda no ano passado, como também alugou um apartamento...

Prorrogação de mandatos até 2022

Muitos prefeitos e vereadores já trabalham com a hipótese de ganharem mais dois anos de mandato, "esticando" o atual para 2022. O Senado está prestes a aprovar uma PEC para tornar coincidentes os mandatos eletivos. Nesse caso, mandato dos prefeitos, vice e dos vereadores, eleitos em 2016, teria duração de seis anos. E, a partir das urnas de 2022, as eleições passariam a ser gerais para presidente, governadores, prefeitos, senadores, deputados e...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você conhece alguém próximo que foi infectado pelo coronavírus?

sim

não

em dúvida

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.