Judiciário

Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 10h:51 | Atualizado: 01/06/2020, 11h:00

SEM PREVISÃO LEGAL

Juiz suspende VI de todos os membros do Tribunal de Contas; R$ 275 mil por mês

O juiz Bruno D’Oliveira Marques, da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular, determinou a suspensão de verba indenizatória que era paga a membros do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) desde 2015. Para o magistrado, não havia previsão em lei para o pagamento da verba, que era feito apenas com base em uma decisão administrativa.

Reprodução

juiz Bruno D'Oliveira Marques

Juiz Bruno D'Oliveira Marques deu decisão que suspendeu pagamentos no TCE-MT

Outra verba foi criada por lei aprovada na Assembleia no início deste ano. O Supremo Tribunal Federal  (STF) suspendeu também esse pagamento aos membros do TCE-MT e também secretários e adjuntos do Executivo.

A decisão do juiz foi dada em uma ação popular movida por Elda Mariza Valim Fim, Cesar Martins Conceição Júnior e Roberto Vaz da Costa, que integram o Observatório Social, e atinge os conselheiros, os conselheiros substitutos e os procuradores de contas que atuam no TCE-MT. Foi publicada hoje (1).

Bruno D’Oliveira Marques destacou a urgência em decidir sobre o pedido de suspensão dada a expressividade dos valores pagos. De acordo com o Portal Transparência do órgão, o juiz identificou que em setembro de 2019 foram pagos R$ 275,8 mil de verba indenizatória no TCE-MT, sendo que apenas quatro procuradores de contas receberam, juntos, R$ 141,5 mil.

Os membros do Observatório destacam na ação que, além do alto valor e da falta de previsão legal, a verba indenizatória ainda era paga sem qualquer prestação de contas, ou seja, sem transparência.

Pela decisão administrativa nº 09/2015, conselheiros recebiam salário de R$ 39,2 mil mais a verba de R$ 23,8 mil, correspondente a 67,32% do subsídio. No caso dos procuradores o valor era de um salário inteiro a mais, em R$ 35,3 mil.

Os pagamentos eram feitos com base em leis que criaram a verba para os deputados estaduais da Assembleia, mas que não citava qualquer membro do TCE-MT. A ação afirma que trata-se de “remuneração disfarçada”.

O Observatório cita que em 2013, 2014 e até meados de 2015, o órgão gastava menos de R$ 1 mil por ano de verbas indenizatórias. Porém, a partir da decisão administrativa questionada, passou a gastar R$ 4 milhões anuais “para custear atividade de controle externo dentro do Estado”, mesmo não havendo “qualquer contrapartida para a administração pública em troca do pagamento questionado”.

O magistrado entendeu que a instituição da verba feriu o princípio da legalidade, por ter sido feito sem previsão em lei. Bruno D’Oliveira Marques ainda extinguiu parcialmente a ação no que diz respeito a um pedido de condenação por dano moral coletivo em relação a 12 membros do TCE-MT. O juiz destacou que esse tipo de punição deve ser feito por meio de ação civil pública e não ação popular, como é o caso.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Márcio | Terça-Feira, 02 de Junho de 2020, 15h27
    8
    2

    Parabéns. Mas, tem muita gente ainda recebendo essa verba, como os auditores da CGE que, também, foram beneficiados pelo Silval Barbosa, além, a VI paga aos deputados. Uma aberração com o dinheiro público.

  • Thiago martelo | Terça-Feira, 02 de Junho de 2020, 05h16
    11
    0

    Parabéns Dr. Bruno. O POVO MATOGROSSENSE AGRADECE!!! " PARABÉNS OBSERVATÓRIO!!! "A B U S O"

  • Rondonopolitano | Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 11h01
    18
    1

    O tce é mesmo uma vergonha

Servidores sem pagar os empréstimos

adevair cabral curtinha 400   A Câmara de Cuiabá rejeitou o veto total do prefeito Emanuel e promulgou a Lei 6.547, que suspende por 90 dias o pagamento de parcelas de contrato de crédito consignados tanto dos servidores públicos ativos e inativos da prefeitura quanto da própria Câmara Municipal. A...

Eleição ao Senado junto com municipal

carlos favaro 400 curtinha   A eleição suplementar para uma vaga ao Senado deve ocorrer em MT junto com o pleito municipal, em 15 de novembro. A definição oficial partirá do TSE até o final deste mês. Em princípio, a suplementar estava marcada para abril, mas, por causa da pandemia, foi...

Wellington tem 47 lotados no Senado

wellington 400 curtinha   Com dois meses e meio na cadeira de senador, Carlos Fávaro tem hoje 18 assessores lotados no gabinete, muito aquém do quadro dos colegas Jayme Campos e Wellington Fagundes. O chefe de gabinete de Fávaro é o advogado Irajá Rezende de Lacerda, filho do primeiro-suplente Zé Lacerda....

Cáceres, lockdown e frases de alerta

francis maris 400 curtinha   Em Cáceres, o prefeito Francis Maris (foto) decretou lockdown desde a última segunda, dia 29, como forma de forçar os moradores a permanecer em casa para conter o avanço da Covid-19. Mas as medidas restritivas não estão surtindo tanto efeito na prática. Muitos continuam...

4 prefeitos de MT com coronavírus

luiz binotti 400 curtinha   Pelo menos quatro prefeitos em Mato Grosso já foram diagnosticados com Covid-19. O caso mais recente envolve Luiz Binotti (foto), de Lucas do Rio Verde. Ele aguarda resultado de exames, mas já se encontra em isolamento domiciliar. Com sintomas do novo coronavírus, Binotti decidiu ficar em casa. De um...

Forçando cuiabanos a ficar em casa

emanuel pinheiro 400 curtinha   Acuado por causa do avanço dos casos de Covid-19, o que tem provocado colapso na rede pública de saúde, principalmente em Cuiabá, o prefeito Emanuel Pinheiro (foto) decidiu adotar medidas mais restritivas para conter circulação e aglomerações de pessoas,...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Até dezembro, o IFMT terá eleição para Reitoria. Quem você acha que será eleito dos candidatos abaixos?

Deiver Alessandro

Julio Santos

Nenhum deles

Não tenho ideia

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.